Recorrer da Multa de Cinto de Segurança é Possível Se Você Seguir Esse Guia

Quer saber como recorrer da multa de cinto de segurança? Baixe Grátis o PDF Exclusivo de Como Recorrer sua Multa de Trânsito!

recorrer multa cinto de seguranca possivel
Recorrer da Multa de Cinto de Segurança é Possível Se Você Seguir Esse Guia

Se você ainda não sabe como recorrer da multa de cinto de segurança, chegou ao lugar certo para aprender.

Quem ainda não foi autuado dessa forma é quase um privilegiado, pois é uma das infrações mais comuns.

Em alguns casos é o esquecimento. Em outros, pressa. E tem ainda a chance de o agente de trânsito se enganar, acreditando ter visto você sem o cinto, quando na verdade estava com.

Fora quando não é com o motorista, mas sim uma multa por passageiro deixar usar cinto de segurança.

Mas tem como provar que você foi autuado de forma incorreta? Será possível recorrer da multa de cinto de segurança e cancelar os pontos na habilitação?

Neste artigo, você verá que sim. Nem toda multa por não usar cinto foi aplicada corretamente. E se há erros no processo, é grande a chance de ter o recurso da multa de cinto segurança deferido.

Quer aprender os atalhos que levam para isso?

Não fique sem dirigir. Baixe Grátis o Passo a Passo para Recorrer sua Multa (CLIQUE AQUI)

Então, siga a leitura, descubra se não usar cinto de segurança é infração grave ou gravíssima, qual o valor da multa sem cinto, como recorrer e muito mais.

 

Multa de Cinto de Segurança no Brasil

recorrer multa cinto de seguranca brasil
O cinto é obrigatório em vias públicas há cerca de 20 anos

No Brasil, é obrigatório o uso do cinto de segurança, o que está previsto no artigo 65 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB):

“Art. 65. É obrigatório o uso do cinto de segurança para condutor e passageiros em todas as vias do território nacional, salvo em situações regulamentadas pelo CONTRAN.”

Essa obrigatoriedade do cinto de segurança começou em 1989 nas rodovias nacionais, mas somente em 1997 em todas as vias públicas.

Desde então, estatísticas diversas já foram produzidas no sentido de reforçar a importância do cinto de segurança.

Entre elas, a de que o seu uso diminui o risco de morte em 50% para passageiros nos bancos dianteiros e em 75% para passageiros nos bancos traseiros.

E não há exceções na regra. Ela vale para motorista e passageiros tanto nos bancos da frente quanto nos de trás, e dentro ou fora da cidade.

Mesmo que seja apenas para ir até a esquina de casa ou dar um volta na quadra para mostrar o carro novo para a esposa, é preciso usar o cinto.

É mais comum as pessoas ignorarem essa obrigatoriedade dentro da cidade, acreditando que, por serem trajetos menores e com menor velocidade, não há riscos pelo não uso.

Mas não se engane!

Já pensou se justamente no dia que você decidiu ir ao mercado de carro, sem botar o cinto de segurança, um motorista descuidado bate contra o seu veículo e, com a força do impacto, você é arremessado para fora dele?

Será que realmente vale a pena correr esse risco?

E se estiver com uma criança, for seu filho, por exemplo? Não dá para dar chance para o azar, não é mesmo?

Ou seja, mais vale prevenir e usar o cinto de segurança.

Mas entre a teoria e a prática, parece haver uma diferença importante.

Conforme repercussão na imprensa, as multas pela falta do cinto não param de crescer pelo Brasil.

O aumento foi de 428% em Itapetininga (SP), 155% na Região Metropolitana de Campinas (SP) e é a principal infração aplicada em Juiz de Fora (MG), apenas para citar alguns exemplos.

Mas e se um agente de trânsito lhe pegar sem o cinto? O que acontece? Qual o tipo de infração?

Vamos abordar essas dúvidas no próximo tópico, mas desde já é importante saber que dá para recorrer da multa de cinto de segurança e cancelar a autuação.

 

Não Usar Cinto de Segurança é Infração Grave ou Gravíssima?

recorrer multa cinto de seguranca
Já imaginou levar mais 5 pontos na CNH?

Na maioria dos casos, o não uso do cinto de segurança é uma infração grave, conforme afirma o texto do artigo 167 do CTB:

“Art. 167. Deixar o condutor ou passageiro de usar o cinto de segurança, conforme previsto no art. 65:

Infração – grave;

Penalidade – multa;

Medida administrativa – retenção do veículo até colocação do cinto pelo infrator.”

Lembrando que a infração grave gera cinco pontos na carteira de motorista.

Entretanto, existe uma exceção para essa regra, na qual a infração é gravíssima e gera sete pontos.

Veja o que diz o artigo 168 do CTB:

“Art. 168. Transportar crianças em veículo automotor sem observância das normas de segurança especiais estabelecidas neste Código:

Infração – gravíssima;

Penalidade – multa;

Medida administrativa – retenção do veículo até que a irregularidade seja sanada.”

Ou seja, se o passageiro ser cinto for uma criança, seus problemas serão maiores, especialmente se ela estiver no banco da frente.

Crianças até dez anos de idade devem ser transportadas nos bancos traseiros usando as devidas adequações conforme cada faixa etária, que são:

  • Bebês de até 1 ano de idade devem ser transportados no banco de trás do carro no bebê conforto, de costas;

  • Crianças entre 1 e 4 anos devem ficar na cadeirinha presa com o cinto e no banco traseiro;

  • Crianças com idade entre 4 e 7 anos e meio, deve ser utilizado um assento de elevação no banco de trás;

  • Crianças com idades entre 7 anos e meio e 10 anos devem utilizar apenas cinto de segurança no banco de trás.

Por se tratar de crianças, a penalidade é maior, pois elas são mais frágeis e exigem mais cuidados por parte de quem as transporta.

Ainda assim, o direito de recorrer da multa de cinto de segurança se mantém.

 

Valor da Multa de Cinto de Segurança                           

recorrer multa cinto de seguranca valor
O valor da multa pesa no bolso!

Como talvez você já saiba, no final do ano passado, houve um reajuste nos valores das multas.

Desde 1º de novembro de 2016, quando entraram em vigor as mudanças na legislação de trânsito estabelecidas pela Lei nº 13.281, de 4 de maio de 2016, as multas ficaram mais caras.

A infração grave, que gerava uma multa de R$ 127,69, passou para R$ 195,23.

Se você foi multado, saiba como recorrer e não ter pontos na carteira de motorista. Baixe Grátis o PDF Exclusivo de Como Recorrer sua Multa de Trânsito!

Já a gravíssima, que era de R$ 191,54, passou para R$ 293,47, mas ela pode ser multiplicada em vários casos, o que não ocorre pelo não uso do cinto de segurança por crianças.

Então, se você não quiser ter que arcar com esses valores, o bom é sempre prevenir e usar o cinto.

Contudo, sempre é possível recorrer de multa de cinto de segurança quando necessário, principalmente se você não foi abordado para a autuação.

 

Quem Pode Aplicar a Infração                       

recorrer multa cinto de seguranca quem pode aplicar infracao
Continue a leitura e descubra se você poderia ter sido multado

Essa é sempre uma questão polêmica.

O Código de Trânsito Brasileiro deixa a questão bem aberta, sendo que em cada tipo de via há a competência de um órgão específico.

Lembrando que, se você for multado por um agente que não tenha competência para aplicar a infração, aumentam as chances de êxito ao recorrer da multa de cinto de segurança, que deve ser cancelada.

Os artigos 20 a 25 do CTB relatam as competências de cada órgão de trânsito, determinando onde cada um pode autuar e multar, além de suas responsabilidades e limites.

Comecemos pelos municípios, onde desde agosto de 2015, guardas civis também podem dar multas.

Essa decisão foi tomada pelo Supremo Tribunal Federal (STF) após muita discussão, pois em algumas cidades era permitido e em outras não, o que gerava confusão.

Logo, os agentes locais estão autorizados a aplicar multas dentro de seus municípios, o que inclui ruas, avenidas, travessas, dentre outros, mas sempre municipais.

Cabe lembrar ainda que alguns municípios possuem convênios com empresas privadas.

Devido a um entendimento do Superior Tribunal de Justiça (STJ) de que o objetivo do Código de Trânsito Brasileiro é evitar acidentes, e não gerar arrecadação de fundos, não fazia sentido empresas privadas, que visam o lucro, poderem expedir multas.

Por causa disso, empresas privadas podem fiscalizar, mas não emitir multas.

Já empresas públicas, como a Companhia de Engenharia e Tráfego (CET), na cidade de São Paulo, ou da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), em Porto Alegre, estão autorizadas a autuar motoristas dentro do município.

Em âmbito estadual, a Polícia Rodoviária Estadual pode aplicar e arrecadar as multas impostas por infrações de trânsito nas rodovias e estradas estaduais.

Já a Polícia Militar pode aplicar multas, mas apenas se houver convênio.

Um exemplo muito comum é o convênio para a atuação nas blitze da Lei Seca, na qual os agentes municipais de trânsito atuam junto com policiais militares.

Por fim, em âmbito federal, a Polícia Rodoviária Federal pode aplicar e arrecadar as multas impostas por infrações de trânsito nas rodovias e estradas federais, ou seja, apenas nas chamadas BR’s.

 

Passageiro Sem Cinto Também dá Multa?

Como falamos anteriormente, passageiro sem cinto de segurança também gera multa para o condutor.

Mas e se o carro estiver lotado e todos dentro estiverem sem cinto?

Será que nesse caso é aplicada uma multa por cada passageiro?

Há quem entenda que sim, mas não é o que recomenda o Manual Brasileiro de Fiscalização de Trânsito (MBFT), instituído a partir da Resolução n.º 371 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran).

Veja o que ele diz:

“O agente só poderá registrar uma infração por auto e, no caso da constatação de infrações em que os códigos infracionais possuam a mesma raiz (os três primeiros dígitos), considerar-se-á apenas uma infração.

Exemplo: condutor e passageiro sem usar o cinto de segurança, lavrar somente o auto de infração com o código 518-51 e descrever no campo ‘Observações’ a situação constatada (condutor e passageiro sem usar o cinto de segurança).”

 

Como Recorrer de Multa de Cinto de Segurança

recorrer multa cinto de seguranca recorrer da multa
A chance de recurso vale tanto para motorista como para passageiro sem cinto

Chegamos à parte mais aguardada deste artigo: como recorrer da multa de cinto de segurança.

Se você foi autuado dessa forma, para entender o que fazer, antes é necessário conhecer a legislação.

Conforme o artigo 280 do Código de Trânsito Brasileiro:

“Art. 280. Ocorrendo infração prevista na legislação de trânsito, lavrar-se-á auto de infração, do qual constará:

I – tipificação da infração;

II – local, data e hora do cometimento da infração;

III – caracteres da placa de identificação do veículo, sua marca e espécie, e outros elementos julgados necessários à sua identificação;

IV – o prontuário do condutor, sempre que possível;

V – identificação do órgão ou entidade e da autoridade ou agente autuador ou equipamento que comprovar a infração;

VI – assinatura do infrator, sempre que possível, valendo esta como notificação do cometimento da infração.”

No caso da infração não possuir algum desses itens, ela pode ser cancelada.

Essa é uma regra que vale ao recorrer da multa de cinto de segurança ou qualquer outra razão para a sua autuação.

Especificamente sobre essa infração, vale observar mais um trecho do mesmo artigo da lei:

“§ 3º Não sendo possível a autuação em flagrante, o agente de trânsito relatará o fato à autoridade no próprio auto de infração, informando os dados a respeito do veículo, além dos constantes nos incisos I, II e III, para o procedimento previsto no artigo seguinte.

§ 4º O agente da autoridade de trânsito competente para lavrar o auto de infração poderá ser servidor civil, estatutário ou celetista ou, ainda, policial militar designado pela autoridade de trânsito com jurisdição sobre a via no âmbito de sua competência.”

Ou seja, apesar da lei prever que o agente de trânsito possa emitir a infração mesmo sem parar o veículo, no caso do cinto, acaba sendo bem fácil de recorrer caso o motorista não tenha sido abordado.

É possível que o motorista estivesse com uma roupa da mesma cor do cinto e o agente de trânsito não tenha percebido.

Ou devido a um reflexo no vidro, o agente pode ter se enganado.

Sem contar que, à noite, é mais difícil ver um detalhe desses.

Para garantir seus direitos, o melhor é aprender como recorrer da multa de cinto de segurança.

Seja qual for a infração cometida, você tem direito a três recursos:

Ao recorrer da multa de cinto de segurança, é claro que o ideal seria matar o assunto logo de cara.

Mas é importante saber que você conta com mais de uma possibilidade, ainda que o primeiro resultado seja negativo.

Mas atenção: como os recursos devem ser encaminhados para o órgão responsável por aquela via, não adianta encaminhar um recurso de uma infração em via federal para um órgão do Estado, por exemplo.

Defesa prévia

A defesa prévia se faz logo que se recebe a primeira notificação, chamada de notificação de autuação.

Ela é a primeira possibilidade para recorrer da multa de cinto de segurança.

Também é nessa fase que é possível transferir os pontos para outra pessoa, caso você não seja o condutor no momento do registro da infração.

Para facilitar seu trabalho, nós do Doutor Multas desenvolvemos um modelo para o recurso na defesa prévia.

Caso você ganhe logo nessa fase, o processo administrativo é cancelado, arquivado e não gera a notificação de penalidade.

A notificação só se torna uma multa após essa etapa, sendo que antes ela vai para o endereço até sem o código de barras.

Primeira instância

Se a defesa for negada ou você não a apresentou no prazo, você receberá a notificação de penalidade. Essa vem já com o código de barras para o pagamento.

Mas ainda não é preciso pagar a notificação recebida para recorrer da multa de cinto de segurança novamente.

Nesse caso, entra-se com o recurso em primeira instância, na Junta Administrativa de Recursos de Infrações (JARI).

Neste recurso, é possível se opor à multa novamente.

Entretanto, muda quem julga a notificação, sendo a análise mais ampla.

No recurso à JARI, serão consideradas não só as matérias formais, mas também todas aquelas circunstâncias que, de fato, ocorreram para a infração.

Segunda instância

Caso o novo recurso também tenha sido indeferido, é possível recorrer em segunda instância junto ao Conselho Estadual de Trânsito (Cetran).

Mas para isso, aí sim, o pagamento da multa se faz necessário.

É importante lembrar que você só pode recorrer da multa de cinto de segurança nessa instância se teve seu pedido negado na fase anterior.

Mas você sabe o que muda de uma instância para outra?

E porque existe essa possibilidade de recorrer duas vezes?

Basicamente, o que muda é a comissão julgadora.

E a lei prevê a possibilidade de erro humano na hora de um julgamento e, por isso, todos têm direito a duas defesas por pessoas diferentes.

É aquela velha história de mudar os olhos de quem olha para ver se muda o que vê.

 

Vale a pena recorrer?

Sim, vale a pena recorrer de multa de cinto de segurança em todas as instâncias, pois mesmo em casos em que a pessoa não vá ganhar, ainda assim ela ganha tempo.

Por exemplo: você foi autuado por estar sem cinto de segurança, mas já está com 15 pontos, esse prazo dos recursos pode ser fundamental para suspender a multa e não perder a carteira.

Se ganhar, não paga a multa. Se perder, só paga ao final de todos os recursos.

Lembrando que é seu direito recorrer de multa de cinto de segurança, assim como de outras, sempre que necessário.

Isso ajuda a melhorar a fiscalização no trânsito e reduz a quantidade de notificações expedidas por erro humano.

 

Dicas Para Ter o Recurso Deferido

recorrer multa cinto de seguranca dicas
Ganhar fica mais fácil com dicas de especialistas!

Veja agora quatro dicas que podem fazer toda a diferença na hora de recorrer da multa de cinto de segurança:

1. Preste atenção na notificação

Observe sempre se a notificação foi preenchida corretamente, com horário, local, placa do do veículo, dados do automóvel.

Muitas vezes o número da placa não bate, ou a cor do veículo é diferente.

Em todos esses casos, é possível cancelar a notificação e evitar a multa.

Outras vezes, o local é preenchido de forma incompleta, o que também é passível de recorrer de multa de cinto de segurança e conseguir o cancelamento.

2. Mantenha seu endereço atualizado e não perca prazos

Vale ressaltar que é importante ter sempre seu endereço atualizado para as notificações chegarem até você.

Caso contrário, a notificação pode ir para um endereço antigo.

E isso não é bom? Não é.

Nesses casos, é feita uma publicação no Diário Oficial, mas as chances da pessoa não ver e perder os prazos para recursos são grandes.

3. Recorra por AR

Outra coisa importante é quando mandar o recurso pelo correio, o fazer com Aviso de Recebimento (AR).

Esse aviso serve para quem enviou a correspondência saber quando ela chegou ao seu destinatário e também como prova de que o recurso foi entregue.

4. Não esqueça de nenhum documento ou prova

Vale ressaltar que, para apresentar o seu recurso, é fundamental ficar atento não só com os prazos, mas com os documentos necessários.

Na hora de recorrer da multa de cinto de segurança, você precisa seguir todos os requisitos presentes na Resolução nº. 299/2008, do Contran, que diz o seguinte:

“Art. 4º A defesa ou recurso não será conhecido quando:

I – for apresentado fora do prazo legal;

Art. 5º A defesa ou recurso deverá ser apresentado com os seguintes documentos:

I – requerimento de defesa ou recurso;

II – cópia da notificação de autuação, notificação da penalidade quando for o caso ou auto de infração ou documento que conste placa e o número do auto de infração de trânsito;

III – cópia da CNH ou outro documento de identificação que comprove a assinatura do requerente e, quando pessoa jurídica, documento comprovando a representação;

IV – cópia do CRLV”

Se faltar algo, seu recurso será indeferido.

Lembre-se também de mandar todas as provas e documentos possíveis junto para reforçar a sua argumentação.

 

Qual a Forma Certa de Usar o Cinto de Segurança

Pouca gente sabe, mas se usado incorretamente, o cinto de segurança reduz ou perde sua eficácia em caso de acidentes.

Veja qual é a forma certa de usar o cinto:

  • Você deve sentar-se bem para trás no banco.

  • Traga o cinto para o centro do seu ombro (uma parte vai por cima do ombro e a outra passa pela cintura).

  • A parte de baixo do cinto deve passar na parte mais baixa do seu abdômen.

  • Lembre de empurrar a ponta dele para dentro da base até ouvir o clique.

  • Não torça o cinto, pois em caso de acidente, isso pode gerar um traumatismo em você.

  • Não incline o banco muito para trás, pois senão você pode escorregar por baixo do cinto e ele perderá toda a utilidade.

  • Cintos duas pontas só são permitidos para carros anteriores a 1999; os demais precisam vir equipados com os cintos de três pontas.

  • No caso de veículos antigos, que possuem somente o cinto de duas pontas atrás, a legislação abre uma exceção e permite que a criança seja carregada no banco da frente.

  • Tanto os bebês conforto quanto as cadeirinhas são feitos para serem fixados em cintos de três pontas e não de duas.

Lembre sempre que o uso adequado do cinto de segurança salva vidas.

 

Conclusão                           

recorrer multa cinto de seguranca evite infracoes
Não ligue o carro sem antes colocar o cinto de segurança!

Vimos nesse artigo como recorrer da multa de cinto de segurança e todas as hipóteses de defesa possíveis para um condutor ter sucesso nesse desafio.

Você também conferiu dicas para garantir que o seu pedido na defesa seja deferido e, agora, sabe o que fazer caso receba uma notificação.

Mesmo assim, lembre-se sempre de usar o cinto de segurança.

Ele garante que você, sua família e amigos estejam seguros.

Por mais que sejamos prudentes no volante, não temos como controlar a ação dos outros motoristas e os fatores imponderáveis do trânsito.

Não esqueça, porém, que se você levar uma multa e discordar dela, deve recorrer.

Foi multado? Baixe Grátis o PDF Exclusivo de Como Recorrer sua Multa de Trânsito!

No caso do cinto de segurança, por sinal, há muitas alegações possíveis e grande chance de sucesso caso não tenha sido abordado pelo agente de trânsito.

Mas como cada caso é um caso, se precisar de uma ajudinha, conte com a equipe do Doutor Multas, especialista em recursos contra infrações.

Envie um e-mail para a nossa equipe e responderemos com uma análise gratuita sobre a sua situação.

Recorrer da Multa de Cinto de Segurança é Possível Se Você Seguir Esse Guia
4.7 (93.13%) 288 votes