Multas de Auto Gestão: Guia Completo (Preço Atualizado)

A lei de trânsito mudou e a sua CNH pode estar em risco! Você tem uma multa e quer evitar a perda da habilitação? Clique aqui e fale com o especialista!

As multas auto gestão são as multas de trânsito de competência municipal e podem variar de acordo com a legislação de cada município, mas geralmente incluem infrações como estacionar em local proibido, ultrapassar o sinal vermelho, dirigir em velocidade acima da permitida, utilizar o celular ao volante, entre outras.

Segue abaixo uma tabela com 30 exemplos de multas de trânsito de responsabilidade municipal, com a descrição da infração, a quantidade de pontos na carteira de habilitação e o valor da multa:

Infração Pontos Valor da multa
Estacionar em local proibido 3 R$ 195,23
Ultrapassar o sinal vermelho 7 R$ 293,47
Dirigir em velocidade acima da permitida 4 R$ 293,47
Utilizar o celular ao volante 4 R$ 293,47
Estacionar em vaga reservada para idosos ou pessoas com deficiência 5 R$ 293,47
Estacionar em fila dupla 5 R$ 293,47
Parar em local proibido 3 R$ 195,23
Dirigir sem cinto de segurança 7 R$ 293,47
Transportar crianças sem a cadeirinha de segurança 7 R$ 293,47
Conduzir veículo em mau estado de conservação 5 R$ 195,23
Não usar o capacete de segurança 7 R$ 293,47
Utilizar o farol alto em local de baixa luminosidade 4 R$ 195,23
Fazer conversão em local proibido 5 R$ 293,47
Descumprir as normas de tráfego em rodízio de veículos 4 R$ 293,47
Dirigir na contramão de direção 7 R$ 293,47
Realizar manobra perigosa 5 R$ 293,47
Estacionar em cima da calçada 3 R$ 195,23
Fazer o retorno em local proibido 3 R$ 195,23
Dirigir embriagado 7 R$ 2.934,70
Desobedecer a sinalização de trânsito 7 R$ 293,47
Não respeitar a faixa de pedestres 7 R$ 293,47
Andar com os faróis apagados em local de baixa luminosidade 4 R$ 195,23
Dirigir com a carteira de habilitação suspensa ou vencida 7 R$ 293,47
Transportar pessoas em excesso no veículo 5 R$ 195,23
Não dar preferência a pedestres ou ciclistas 7 R$ 293,47
Utilizar buzina de forma indevida 3 R$ 195,23
Parar em local de embarque e desembarque de passageiros 5 R$ 195,23
Dirigir com fones de ouvido 4 R$ 195,23
Dirigir na faixa exclusiva de ônibus 5 R$ 293,47
Deixar de dar preferência a veículos que estejam na rotatória 4 R$ 195,23
Estacionar em local proibido para carga e descarga 5 R$ 195,23
Estacionar em locais reservados para táxis 4 R$ 195,23
Utilizar o pisca-alerta em movimento 4 R$ 195,23
Transportar carga mal acomodada ou sem a devida sinalização 5 R$ 195,23
Fazer o retorno em local inadequado 4 R$ 195,23
Estacionar em local proibido por sinalização horizontal ou vertical 5 R$ 195,23
Parar em local proibido por sinalização horizontal ou vertical 5 R$ 195,23

Os valores e pontos de multas de trânsito de responsabilidade municipal são padronizados em todo o Brasil, conforme estabelecido pelo Código de Trânsito Brasileiro (CTB).

Portanto, os valores e pontos de multas de trânsito de responsabilidade municipal são os mesmos em todo o território brasileiro.

Prazo para receber a notificação

De acordo com o artigo 281 do Código de Trânsito Brasileiro, a notificação da autuação de infração de trânsito deverá ser expedida para o proprietário do veículo ou para o infrator, no prazo máximo de 30 dias contados a partir da data em que a infração foi cometida.

Esse prazo é importante para garantir o direito de defesa do motorista. Caso a notificação não seja enviada dentro desse prazo, o motorista poderá alegar a nulidade da multa, já que a notificação deve ser expedida dentro do prazo estabelecido pelo CTB.

Vale lembrar que, mesmo que o motorista não receba a notificação dentro do prazo de 30 dias, ele ainda é responsável pela infração cometida e pode ser autuado posteriormente, desde que a notificação tenha sido expedida dentro do prazo de 5 anos a partir da data da infração, conforme estabelece o artigo 280, parágrafo único, do CTB.

Endereço desatualizado no Detran

Caso o motorista não tenha atualizado seus dados no DETRAN, a responsabilidade pela não recepção da notificação de autuação de infração de trânsito é do próprio motorista.

O DETRAN é responsável por manter os dados cadastrais dos condutores, mas cabe ao motorista informar as mudanças de endereço e outras informações relevantes para que as notificações possam ser entregues corretamente.

Banner Consulta Grauita
Banner Consulta Grauita
Banner Consulta Grauita

Por isso, é importante que o motorista mantenha seus dados atualizados junto ao DETRAN e fique atento às possíveis notificações que possam ser enviadas. Caso o motorista seja autuado e não receba a notificação no prazo de 30 dias, ele poderá ter sua defesa prejudicada, já que é responsabilidade do condutor manter seus dados atualizados para receber notificações de infrações de trânsito.

Como conferir e atualizar os seus dados no Detran

Existem diversas formas de manter os dados atualizados no DETRAN. Abaixo, descrevo algumas delas:

Atualização presencial: o motorista pode se dirigir a uma unidade do DETRAN em sua cidade, munido de documento de identificação pessoal e comprovante de endereço, para atualizar seus dados cadastrais.

Atualização online: em alguns estados brasileiros, é possível atualizar os dados cadastrais diretamente no site do DETRAN, mediante login e senha. Para isso, o motorista deve acessar a página de serviços online do DETRAN e selecionar a opção “Atualização de Cadastro”.

Atualização por correio: o motorista também pode solicitar a atualização dos dados cadastrais por correio, enviando uma carta com os dados atualizados e cópias dos documentos de identificação pessoal e comprovante de endereço.

Atualização por procuração: em casos de impossibilidade do motorista comparecer pessoalmente ao DETRAN, ele pode designar um procurador para realizar a atualização cadastral em seu nome. Para isso, é necessário apresentar uma procuração específica e os documentos de identificação pessoal e comprovante de endereço do motorista e do procurador.

É importante destacar que, para manter os dados atualizados no DETRAN, é necessário informar qualquer mudança de endereço, telefone, e-mail ou qualquer outra informação relevante que possa impactar na comunicação com o órgão de trânsito.

Isso é fundamental para garantir que o motorista receba as notificações de autuação de infração de trânsito, bem como outras comunicações importantes sobre a situação do veículo e da CNH.

Como recorrer de multas de auto gestão?

Para recorrer de multas de trânsito municipais, o motorista deve seguir algumas etapas importantes. Abaixo, descrevo as principais chances de recorrer de uma multa de trânsito municipal:

Foi multado? Você tem uma multa e quer evitar a perda da habilitação? Clique aqui e fale com o especialista!

Defesa prévia: após receber a notificação de autuação, o motorista tem o direito de apresentar a defesa prévia, alegando a sua inocência ou qualquer outro argumento que possa justificar o cancelamento da multa. O prazo para apresentar a defesa prévia é de 15 dias a partir da data de recebimento da notificação. Nessa etapa, é possível alegar, por exemplo, erros na autuação, problemas com a sinalização no local da infração ou qualquer outra irregularidade que possa invalidar a multa.

Recurso em primeira instância: caso a defesa prévia seja indeferida, o motorista pode apresentar o recurso em primeira instância, no prazo de 30 dias a partir da data de recebimento da notificação de penalidade. Nessa etapa, é possível apresentar novos argumentos e provas que possam justificar a anulação da multa. O recurso em primeira instância é julgado pelo órgão de trânsito responsável pela aplicação da penalidade.

Recurso em segunda instância: caso o recurso em primeira instância seja indeferido, o motorista ainda pode apresentar o recurso em segunda instância, que é julgado pelo Conselho Estadual de Trânsito (CETRAN) ou pelo Conselho de Trânsito do Distrito Federal (CONTRANDIFE). O prazo para apresentar o recurso em segunda instância é de 30 dias a partir da data de recebimento da notificação de indeferimento do recurso em primeira instância. Nessa etapa, o motorista deve apresentar argumentos e provas mais consistentes, a fim de justificar a anulação da multa.

Ação judicial: se todas as etapas recursais forem esgotadas e a multa ainda não for cancelada, o motorista pode ingressar com uma ação judicial, buscando a anulação da multa. Nesse caso, é necessário contar com o auxílio de um advogado especializado em direito de trânsito, que irá apresentar as provas e argumentos jurídicos necessários para a defesa do motorista.

Vale lembrar que cada uma das etapas descritas acima tem prazos e procedimentos específicos, que devem ser observados com atenção pelo motorista que deseja recorrer de uma multa de trânsito municipal. Além disso, é importante ter em mente que o sucesso do recurso depende de argumentos e provas consistentes, capazes de convencer as autoridades de trânsito ou o judiciário sobre a justiça da anulação da multa.

A lei de trânsito mudou e a sua CNH pode estar em risco! Você tem uma multa e quer evitar a perda da habilitação? Clique aqui e fale com o especialista!