Qual a Consequência de Violar a Suspensão do Direito de Dirigir

violar suspensao direito dirigir

É claro que há consequências para o motorista que violar a suspensão do direito de dirigir.

Caso contrário, do que adiantaria penalizar quem não respeita as leis?

Como veremos ao longo desse artigo, a lógica do Código de Trânsito Brasileiro (CTB) é que sejam aplicadas penalidades cada vez mais rigorosas se o motorista continuar infringindo a lei.

É justamente o caso de quem é autuado por violar a suspensão do direito de dirigir.

Essa pessoa precisará ficar um tempo ainda maior sem poder conduzir nenhum veículo nas vias públicas.

Já pensou se isso acontece com você?

Pare e imagine como seria a sua rotina sem poder dirigir seu veículo.

Por isso, você deve evitar a todo custo ser penalizado com a perda da Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

A melhor maneira de fazer isso é respeitando o CTB.

Ande dentro do limite de velocidade, não estacione em local proibido, não faça ultrapassagens indevidas, não beba antes de dirigir, sinalize sempre e observe o que dizem as placas.

Há muitas outras regras a serem seguidas, por isso é importante ter um bom conhecimento do Código de Trânsito.

Se essas dicas estão chegando tarde demais, porque você já cometeu a infração que resultará na cassação da habilitação, nem tudo está perdido, pois você pode recorrer para evitar a penalidade.

Ouviu falar que apresentar recurso é perda de tempo porque a defesa raramente é aceita?

Isso é bobagem!

Sabendo encontrar bons argumentos, as chances de vitória são ótimas.

Caso você ainda não esteja totalmente convencido, tenha em mente que você tem três alternativas:

  • Aceitar a suspensão e ficar meses sem dirigir;

  • Violar a suspensão do direito de dirigir e receber uma penalidade ainda maior;

  • Recorrer e ter a chance de anular a penalidade.

O que você prefere?

Neste artigo, explicaremos tudo sobre a perda da CNH, o que ocorre com quem violar a suspensão do direito de dirigir e como recorrer.

Boa leitura!

 

O Que Significa a Suspensão do Direito de Dirigir

violar suspensao direito dirigir consequencia
Já imaginou ser impedido de ir ao trabalho dirigindo seu carro?

Todas as infrações previstas no Código de Trânsito preveem como penalidade a multa, ou seja, a necessidade do infrator pagar ao órgão de trânsito uma determinada quantia.

Quando o motorista exagera, seja em uma conduta isolada que causa um perigo acima do comum ou pelo acúmulo de infrações, uma outra penalidade pode ser aplicada, que é a suspensão do direito de dirigir.

O condutor penalizado deve entregar ao Departamento Estadual de Trânsito (Detran) seu documento de habilitação.

Enquanto a CNH fica com o órgão, o motorista não poderá conduzir nenhum veículo pelas ruas, avenidas e rodovias brasileiras.

A suspensão é temporária.

Pode durar no mínimo dois meses e no máximo dois anos, dependendo do caso.

Ela é a razão de existir do sistema de pontos das infrações, instituído pelo artigo 259 do CTB:

“Art. 259. A cada infração cometida são computados os seguintes números de pontos:

I – gravíssima – sete pontos;

II – grave – cinco pontos;

III – média – quatro pontos;

IV – leve – três pontos.”

Essa contagem de pontos serve para penalizar com a suspensão da habilitação o motorista que tem uma pontuação alta.

A regra é que, quando são acumulados 20 pontos no período de 12 meses, o condutor perde a carteira.

Mas o excesso de pontos não é o único caso em que a suspensão é aplicada.

Entenda a seguir.

 

Entenda o Que o CTB Diz Sobre

É o artigo 261 do CTB que dispõe sobre a penalidade de suspensão do direito de dirigir.

Veja o que ele diz:

“Art. 261. A penalidade de suspensão do direito de dirigir será imposta nos seguintes casos:

I – sempre que o infrator atingir a contagem de 20 (vinte) pontos, no período de 12 (doze) meses, conforme a pontuação prevista no art. 259;

II – por transgressão às normas estabelecidas neste Código, cujas infrações preveem, de forma específica, a penalidade de suspensão do direito de dirigir.”

Portanto, além da suspensão por pontos, que explicamos acima, o motorista pode perder a habilitação por cometer uma das chamadas infrações auto-suspensivas.

São elas:

  • 165: dirigir sob a influência de álcool;

  • 165-A: recusar o bafômetro;

  • 170: dirigir ameaçando pedestres ou motoristas;

  • 173: disputar corrida;

  • 174: promover ou participar de competição de manobra na via, sem autorização;

  • 175: demonstrar manobra perigosa;

  • 176 (incisos I a V): deixar de tomar as providências necessárias ao se envolver em acidente com vítima;

  • 191: forçar ultrapassagem entre dois veículos;

  • 210: transpor bloqueio policial;

  • 218, inciso III: andar em velocidade mais de 50% acima do limite;

  • 244, incisos I a V: conduzir moto sem capacete, transportando criança menor de sete anos ou pessoa sem capacete, com faróis apagados ou fazendo malabarismo;

  • 253-A: bloquear a via deliberadamente com veículo”.

A descrição que fizemos das infrações acima é resumida.

Se você quiser conferir o texto completo, clique no número de cada artigo e caia no local exato do CTB.

Quando um condutor é multado por uma dessas condutas, portanto, ele tem o direito de dirigir suspenso mesmo que a soma dos pontos de sua CNH não chegue a 20.

O artigo 261 do CTB também explica, em seu parágrafo 2º, o que o motorista penalizado precisa fazer para voltar a dirigir:

“§ 2º Quando ocorrer a suspensão do direito de dirigir, a Carteira Nacional de Habilitação será devolvida a seu titular imediatamente após cumprida a penalidade e o curso de reciclagem.”

Se no seu caso a penalidade já foi confirmada e não é mais possível recorrer, em vez de violar a suspensão do direito de dirigir, já comece o curso de reciclagem para ganhar tempo.

São aulas teóricas realizadas em um Centro de Formação de Condutores (CFC).

A carga horária é de 30 horas aula, cada uma com 50 minutos de duração.

O conteúdo inclui legislação de trânsito, direção defensiva, noções de primeiros socorros e relacionamento interpessoal.

Concluídas as aulas, o condutor vai fazer uma prova com 30 questões de múltipla escolha. É preciso acertar pelo menos 21 para conseguir ser aprovado.

 

Prazos de Suspensão da Carteira

violar suspensao direito dirigir prazo
Os prazos mudam conforme o motivo da suspensão da carteira

Já explicamos que a suspensão do direito de dirigir é temporária e pode durar no mínimo dois meses e no máximo dois anos.

Agora, é a hora de ser mais específico.

Os possíveis prazos, estabelecidos no parágrafo 1º do artigo 261, variam conforme a razão que motivou a penalidade.

É previsto também o aumento no tempo de suspensão quando há reincidência, isto é, se o motorista repete o motivo da penalidade no período de 12 meses.

A regra é:

  • Suspensão por excesso de pontos: seis meses a um ano sem dirigir. No caso de reincidência, oito meses a dois anos.

  • Suspensão por infração auto-suspensiva: dois a oito meses sem dirigir. No caso de reincidência, oito a 18 meses.

Note que no caso da suspensão por excesso de pontos o mínimo é meio ano sem poder conduzir nenhum veículo.

É bastante, imagine ficar todo esse tempo sem poder dirigir.

Muita gente que tem a habilitação suspensa até tem a intenção de respeitar a proibição.

Mas depois de um tempo cansa dos percalços de não poder sair com seu veículo e acabam por violar a suspensão do direito de dirigir.

Há também os que nunca pensaram em cumprir de fato com a suspensão.

Mas o que acontece quando esses motoristas são parados em uma blitz?

 

O Que Acontece Se Você Violar a Suspensão do Direito de Dirigir

Violar a suspensão do direito de dirigir é, antes de tudo, uma infração de trânsito de natureza gravíssima.

A conduta está descrita no artigo 162 do CTB, inciso II.

Confira o dispositivo infracional:

“Art. 162. Dirigir veículo:

(…)

II – com Carteira Nacional de Habilitação, Permissão para Dirigir ou Autorização para Conduzir Ciclomotor cassada ou com suspensão do direito de dirigir:

Infração – gravíssima;

Penalidade – multa (três vezes);

Medida administrativa – recolhimento do documento de habilitação e retenção do veículo até a apresentação de condutor habilitado;”

Veja que, se o motorista é flagrado em uma abordagem ao violar a suspensão do direito de dirigir e ainda com a CNH, o documento é recolhido.

E o veículo fica retido até um condutor habilitado ser apresentado.

Como o artigo prevê um fator multiplicador de três vezes sobre a multa, isso quer dizer que o infrator terá de pagar R$ 880,41.

Mas as consequências de violar a suspensão do direito de dirigir não param por aí.

Há uma penalidade muito pior: a cassação do documento de habilitação.

É o que estabelece o inciso I do artigo 263 do Código de Trânsito:

“Art. 263. A cassação do documento de habilitação dar-se-á:

I – quando, suspenso o direito de dirigir, o infrator conduzir qualquer veículo;

(…)”

E qual é a diferença entre ter a CNH suspensa e cassada? Veja o que diz o parágrafo 2º do artigo acima para compreender:

“(…)

§ 2º Decorridos dois anos da cassação da Carteira Nacional de Habilitação, o infrator poderá requerer sua reabilitação, submetendo-se a todos os exames necessários à habilitação, na forma estabelecida pelo CONTRAN.”

Enquanto o prazo máximo de suspensão – em situação de reincidência por excesso de pontos – é de dois anos, na cassação a penalidade tem essa duração em qualquer caso.

E o que acontece não é que a habilitação fica recolhida pelo Detran e, depois de dois anos, é possível pegá-la de volta após a aprovação na reciclagem.

É necessário esperar o prazo passar e se inscrever no processo de reabilitação.

Nele, além da reciclagem, o motorista precisa se submeter aos mesmos exames pelos quais passou para obter a primeira habilitação.

Ou seja: exame de aptidão física e mental, avaliação psicológica, prova teórica e exame final de prática de direção.

Além de esses exames prolongarem ainda mais o tempo sem dirigir, há um custo considerável (varia de acordo com o estado) a ser desembolsado.

 

Em Vez de Violar a Suspensão do Direito de Dirigir, Recorra

violar suspensao direito dirigir o que fazer
Todo condutor tem o direito de elaborar sua defesa

Você entendeu por que violar a suspensão do direito de dirigir não é uma boa ideia?

Se você for penalizado com a perda da CNH, não faça como os motoristas que ignoram a penalidade e seguem dirigindo mesmo assim.

E caso você esteja pensando que, com a habilitação cassada, poderia fazer o mesmo, afinal não há penalidade administrativa pior, informe-se melhor.

Primeiro porque a multa de R$ 880,41 do artigo 162, inciso II, não vale apenas para quem violar a suspensão do direito de dirigir, mas também para o condutor que sofre a cassação do documento.

Além da nova multa, pode acontecer algo muito pior.

Confira o que diz o artigo 309 do Código de Trânsito:

“Art. 309. Dirigir veículo automotor, em via pública, sem a devida Permissão para Dirigir ou Habilitação ou, ainda, se cassado o direito de dirigir, gerando perigo de dano:

Penas – detenção, de seis meses a um ano, ou multa.”

Isso significa que, se o motorista que está com a CNH cassada adotar um comportamento irresponsável ao volante e for flagrado por uma autoridade policial, pode ser acusado de crime de trânsito.

Por exemplo, se ele estiver andando sobre a calçada, em velocidade muito acima das condições de segurança da via, avançando o sinal vermelho, ameaçando pedestres, etc.

O crime de trânsito é uma situação bastante diferente da infração, pois é aberto um processo judicial, e não administrativo.

Assim, o motorista precisará de um advogado para representá-lo, e um juiz decidirá se ele é culpado ou não.

Como a pena máxima nesse caso é inferior a quatro anos, o Código Penal permite que a detenção seja substituída por uma pena restritiva de direito (como a prestação de serviços à comunidade).

Você quer passar por tudo isso?

Para evitar todos esses incômodos, em vez de violar a suspensão do direito de dirigir, apresente recurso para não precisar entregar a CNH e cumprir a penalidade.

Afinal, assim como todo réu tem direito a um advogado em um processo judicial, a Constituição Federal também assegura a possibilidade de ampla defesa em processos administrativos, que é o caso de multa, suspensão e cassação da habilitação:

“Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:

(…)

LV – aos litigantes, em processo judicial ou administrativo, e aos acusados em geral são assegurados o contraditório e ampla defesa, com os meios e recursos a ela inerentes;”

Aproveite esse direito e não corra o risco de ser penalizado de forma mais rigorosa.

 

 

Como Funciona a Defesa Contra CNH Suspensa

violar suspensao direito dirigir defesa
Quando a defesa é aceita, o seu processo de suspensão é anulado

Nenhuma penalidade prevista no CTB é aplicada sem que seja dada ao condutor a oportunidade de se defender.

Primeiro, tente recorrer especificamente da infração que poderá resultar na suspensão, seja por pontos ou direta.

Assim que receber a notificação de autuação, analise minuciosamente o documento e confira se todas as informações estão corretas.

Na notificação, consta um prazo para o condutor apresentar a defesa da autuação, também conhecida como defesa prévia.

Nela, o motorista pode expor os possíveis erros do auto de infração para solicitar o seu arquivamento.

Para isso, tenha em mente o que diz o artigo 281 do Código de Trânsito:

“Art. 281. A autoridade de trânsito, na esfera da competência estabelecida neste Código e dentro de sua circunscrição, julgará a consistência do auto de infração e aplicará a penalidade cabível.

Parágrafo único. O auto de infração será arquivado e seu registro julgado insubsistente:

I – se considerado inconsistente ou irregular;

II – se, no prazo máximo de trinta dias, não for expedida a notificação da autuação.”

Havendo algum erro nas informações registradas pelo agente, o auto pode ser considerado inconsistente e irregular, como diz o inciso I.

Também pode acontecer a situação prevista no inciso II, de a notificação ter sido expedida pela autoridade mais de 30 dias depois da data da infração.

Na própria carta devem constar essas duas datas.

Então, logo ao recebê-la, confira também essa informação.

O mesmo órgão responsável pela autuação analisará todos os fatos expostos e decidirá se impõe ou não a penalidade.

Caso decida por aplicá-la, não lamente, porque a sua defesa está apenas começando.

Vai ser expedida uma notificação de imposição de penalidade.

É a carta que vem com um boleto para pagamento da multa.

Ela trará uma data para que o condutor apresente recurso contra a decisão de aplicar a penalidade.

O pagamento ou não pagamento da multa não tem influência no direito de recorrer.

Caso a defesa acaba sendo aceita e a multa tenha sido paga, o valor é devolvido atualizado ao recorrente.

Pode ser usada uma argumentação mais ampla no recurso, abordando não apenas os erros formais no auto de infração, mas também o mérito da questão.

O recurso será julgado por uma Junta Administrativa de Recursos de Infrações (Jari), órgão colegiado que tomará a decisão por maioria simples.

Se o recurso for indeferido pela Jari, é expedida uma nova notificação informando a decisão e um prazo para entrar com recurso na segunda instância.

O CTB determina que o Conselho Estadual de Trânsito (Cetran) julgará esse recurso quando a autuação for feita por órgão municipal ou estadual.

No caso de autuação feita por órgão de trânsito federal, há duas possibilidades.

Em caso de suspensão do direito de dirigir por mais de seis meses, cassação da CNH ou infração gravíssima, o Conselho Nacional de Trânsito (Contran) julgará o recurso em segunda instância.

Nos demais casos de multa aplicada por órgão federal, essa será a função de um colegiado especial, “integrado pelo Coordenador-Geral da JARI, pelo Presidente da Junta que apreciou o recurso e por mais um Presidente de Junta”, de acordo com o artigo 289 do CTB.

Caso nenhum desses recursos dê resultado, a multa é confirmada e, a partir daí, é aberto um processo administrativo de suspensão do direito de dirigir.

A não ser que a autuação em questão não tenha sido feita pelo órgão executivo de trânsito do estado, que é o Detran, e que o infrator e o proprietário do veículo usado na infração sejam a mesma pessoa.

Nesse caso, a Deliberação Nº 163/2017 do Contran determina, em seu artigo 7º que um único processo administrativo é aberto para a aplicação da multa e da suspensão.

Se isso não acontecer e os processos forem separados, isso significa que há mais três oportunidades para se defender: defesa prévia e recursos em primeira e segunda instância contra o processo específico da suspensão.

Que tal?

São tantas oportunidades para anular a penalidade que é difícil entender por que muita gente não recorre e prefere violar a suspensão do direito de dirigir.

 

Conclusão

violar suspensao direito dirigir como funciona
Evite dirigir se você tiver com a CNH suspensa e não se envolva com problemas maiores!

Esperamos que, com todas as informações que apresentamos aqui, você entenda que violar a suspensão do direito de dirigir é a sua última opção.

A primeira andar dentro do limite de velocidade, respeitar a sinalização, dar a preferência aos pedestres, não furar o sinal vermelho, enfim, seguir todas as regras de trânsito.

Assim, dificilmente você será multado e, melhor ainda, estará contribuindo para um trânsito mais seguro.

Mas nós sabemos que mesmo os melhores motoristas cometem erros, assim como a autoridade de trânsito.

Se algum procedimento do agente responsável pela autuação foi incorreto ou a sinalização estava encoberta, por exemplo, por que o motorista deveria pagar?

Para não ser injustiçado, tente recorrer antes de violar a suspensão do direito de dirigir.

É completamente possível reverter qualquer penalidade.

Ainda mais se você contar com a ajuda da equipe de consultores especializados do Doutor Multas.

Temos todo o conhecimento necessário sobre o Código de Trânsito e resoluções do Contran para preparar o recurso perfeito, totalmente personalizado.

Vamos fazer uma análise gratuita sem compromisso da sua situação.

Vai deixar passar essa oportunidade de evitar a perda da CNH?