Recall de Veículos: As Respostas Para as 8 Dúvidas Mais Comuns

Foi multado? Não fique sem dirigir! Descubra agora como não perder a CNH: Clique aqui para ter uma CONSULTA GRATUITA com o Doutor Multas.
recall duvidas comuns
Recall de veículos: as respostas para as 8 dúvidas mais comuns

Você sabe o que é recall de veículos? Sabia que ele pode salvar vidas?

Não há exagero algum nisso. Aliás, essa é uma ação que certamente evita mais desastres em um cenário já trágico: o trânsito.

Quando falamos em recall de veículos, o Brasil tem grande experiência no tema.

Alguns dos chamados para reparos ou substituições de peças automotivas por aqui já ultrapassaram a marca de 1 milhão de proprietários como público-alvo.

Como você pode ver, recall de carros não é brincadeira, mas um assunto muito sério.

E para esclarecer tudo a respeito dele, separamos neste artigo as principais dicas e também responderemos as dúvidas mais comuns.

Ao final da leitura, você estará mais bem informado e pronto para fazer a sua parte por um trânsito mais seguro.

Quer ser um motorista melhor? Comece entendendo o significado de recall e por que você não pode ignorar um chamado da montadora do seu veículo.

 

O que é o recall de veículos

recall o que e
Descubra o que é recall e como ele te protege

Recall é um termo estrangeiro utilizado no mercado nacional para indicar que um produto foi lançado com defeito. O alerta costuma ser feito para indicar que o seu uso pode oferecer riscos à segurança.

Embora possa se direcionar a mercadorias diversas, o recall de veículos é o mais famoso.

É também o que ocupa maior destaque na mídia, seja pela publicidade obrigatória ao fato, ou mesmo por aparecer em noticiários, dada a abrangência que atinge.

De acordo com o site do Procon de São Paulo, o termo recall é descrito desta forma:

“Para indicar o procedimento, previsto em lei, e a ser adotado pelos fornecedores, de chamar de volta os consumidores em razão de defeitos verificados em produtos ou serviços colocados em mercado, evitando, assim, a ocorrência de acidentes de consumo.”

Quando os consumidores são chamados para levar seus veículos para o recall, é preciso que isso seja realizado com urgência.

Portanto, não perca tempo arranjando desculpas: leve seu carro para o recall caso seja chamado.

Infelizmente, a chamada de recall no Brasil não é algo incomum.

Por exemplo, em agosto de 2017, a Chevrolet divulgou que mais unidades do carro Spin possuíam um defeito de fabricação extremamente perigoso.

De acordo com a reportagem publicada na revista Autoesporte mais de 160 mil carros foram atingidos pelo risco de incêndio.

O texto informa que uma falha de vedação na grade de entrada de ar, que fica abaixo do para-brisas, permite que entre água no compartimento do motor do carro.

Se isso ocorrer em “volume extremo” e água chegar ao interior da caixa de fusíveis e relés, pode haver um curto-circuito.

E você sabe o que isso causa?

Como consequência, o acionamento involuntário e repetitivo do motor de partida pode dar início a um incêndio.

Veja pelo exemplo que um recall sempre indica uma situação de risco.

Mas você sabe quando ocorreu o primeiro recall no Brasil?

Foi em 1988. Cerca de 23.800 unidades do veículo de modelo OF 620 da Mercedes Benz possuíam um defeito no suporte da coluna da direção.

Desde então, o número de recalls aumentou consideravelmente.

Só em 2017, de 1° de janeiro até o início de setembro, foram anunciados os recalls dos seguintes modelos:

  • Audi A3 Sportback, Q3, RS Q3, A4 Sedan, A4, A5, Q5, SQ5;

  • BMW i3, Série 1, Série 3, Série 5, Z4, M3, M5, X5, Série 4 430i Cabrio Sport, X1, R Nine T;

  • Chevrolet Onix;

  • Chrysler Town & Country, Dodge Journey;

  • Citroën C4 Lounge;

  • Fiat Punto, Linea, Toro, Uno, Strada, Bravo, Doblò, Doblò Furgão, Fiorino, Grand Siena, Idea, Linea, Novo Palio, Palio Fire, Palio Weekend, Siena;

  • Ford Fusion, EcoSport, Ka, Edge, Ranger, New Fiesta;

  • Honda Civic, City, Fit, Accord;

  • Hyundai Santa Fe, Grand Santa Fe;

  • Jaguar F-Pace, XF, XE, F-Type;

  • Jeep Renegade, Compass, Wrangler;

  • Land Rover;

  • Lexus IS 300;

  • Mercedes-Benz Classe A 200, Classe B 200, CLA 200, Classe A 250, CLA 250, GLA 250, Classe E 250, GLE, GL e GLS, ML 350, SLK 300, SLC 300, SLC 43 AMG, Vito;

  • Mitsubishi Outlander Phev;

  • Nissan Tiida, Livina, Frontier;

  • Peugeot 308, 408;

  • Porsche 911 Carrera, 718 Boxter, 718 Cayman;

  • Renault Sandero, Duster, Logan e Oroch;

  • Suzuki Grand Vitara;

  • Toyota Corolla, Etios, Hilux, SW4;

  • Volkswagen Jetta, Jetta Variant, Eos, Amarok, Gol, Voyage, Saveiro, Up!, Fox, CrossFox, SpaceFox, Space Cross;

  • Volvo V40, V40 Cross Country, S60, V60 e XC60, XC90.

 

Como Funciona o Recall de Veículos no Brasil

Para preservar a integridade dos consumidores, o recall é previsto no artigo 10 da Lei Federal 8.078/90 – Código de Defesa do Consumidor.

Veja o que ele diz:

“Artigo 10 – O fornecedor não poderá colocar no mercado de consumo produto ou serviço que sabe ou deveria saber apresentar alto grau de nocividade ou periculosidade à saúde ou segurança.

§1º – O fornecedor de produtos e serviços que, posteriormente à sua introdução no mercado de consumo, tiver conhecimento da periculosidade que apresentem, deverá comunicar o fato imediatamente às autoridades competentes e aos consumidores, mediante anúncios publicitários.

§2º – Os anúncios publicitários a que se refere o parágrafo anterior serão veiculados na imprensa, rádio e televisão, às expensas do fornecedor do produto ou serviço.

§3º – Sempre que tiverem conhecimento de periculosidade de produtos ou serviços à saúde ou segurança dos consumidores, a União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios deverão informá-los a respeito.”

Recomendamos que os proprietários de veículos fiquem atentos aos comunicados sobre os recalls.

Lembrando: o recall é realizado em oficinas autorizadas e não gera custos para você. Ou seja, o proprietário do veículo não paga nenhum centavo.

É responsabilidade do fabricante assegurar que os equipamentos que fazem parte do veículo estejam em perfeita ordem.

Não seja enganado: nunca pague para que seja realizado o recall do seu carro.

Além disso, o recall assegura que defeitos de fábrica sejam reparados, mas não danos que foram causados pelo proprietário do veículo por descuido ou falta de manutenção.

Se o defeito é de fábrica, é obrigação dela chamar o recall e bancar os gastos.

No próximo tópico, veja as perguntas mais comuns sobre o recall no Brasil.

 

8 Dúvidas Mais Comuns Sobre Recall

recall como funciona brasil
Você sabe o que é recall branco?

Separamos oito dúvidas muito comuns a respeito do recall para esclarecer tudo sobre o assunto.

Confira só:

  1. Como o proprietário é informado da necessidade de levar o carro para realizar o recall?

A lei estipula que o fornecedor utilize os meios de comunicação (internet, televisão, rádio e jornais) para informar os clientes da existência do recall.

  1. O recall pode ser chamado de outro nome?

Sim. O recall também pode ser chamado de “Aviso de Risco”.

  1. O que é recall branco?
recall branco
Recall branco é o tipo de recall voluntário; entenda abaixo

Esse é um tipo de recall voluntário. Ou seja, a montadora não é obrigada a realizar o reparo, pelo fato de ele não gerar risco à vida das pessoas no veículo.

Mesmo assim, ela decide fazê-lo.

Nesta entrevista ao G1, Marcos Morita, especialista em estratégias empresariais, afirma que o recall branco é uma boa sacada para a montadora.

“O pior recall é aquele que a fabricante espera o problema aparecer para tomar uma decisão, como ocorreu com o Fox em 2008, devido ao risco de mutilação pela argola usada no rebatimento do banco traseiro, e agora com os motores 1.0 da Volkswagen”, diz.

Em outras palavras, o recall branco evita que os primeiros acidentes ocorram e sejam noticiados na mídia, afetando a imagem da empresa.

  1. Se a pessoa não atendeu o chamado para o recall, ela pode procurar a oficina especializada?

Nesse caso, o proprietário do veículo pode e deve procurar a oficina especializada, pois o recall será efetuado.

Não se esqueça: o recall não possui prazo de validade.

Se você vai comprar um carro que não é zero quilômetro, uma dica é verificar se ele já passou ou deve passar por algum recall.

  1. Além do alerta nos meios de comunicação, existe outra forma de o proprietário do veículo ser informado do recall?

Sim. As fabricantes de carro podem enviar para a casa do proprietário um aviso do recall.

A propósito, você sabia da novidade que pode ajudar a tornar o comunicado do recall mais rápido através do contato do Denatran com as marcas de veículos?

Segundo informou o G1, o Departamento Nacional de Trânsito decidiu permitir que montadoras tenham acesso ao nome e endereço de donos de veículos chamados para recall.

Mas o que isso significa na prática?

Que o acesso ao nome dos proprietários de carros será facilitado, ou seja, será mais fácil para as marcas entrar em contato e informar sobre a necessidade do recall.

Até então, as marcas alegavam que só podiam entrar em contato com quem efetuou a compra na concessionária.

Se o carro fosse vendido a um terceiro, não seria possível o contato em razão da falta de dados sobre o novo proprietário.

Várias marcas, como a Honda, Nissan e Toyota, já afirmaram que irão pegar os dados com o Denatran.

Ou seja, mantenha seu endereço atualizado.

Isso é útil tanto para receber comunicados de recalls quanto para receber notificações de infrações e poder recorrer a tempo.

  1. Quais sites podem ser acessados para descobrir se o carro já foi chamado para o recall?
recall sites acessados
Várias montadoras oferecem o serviço de recall online

A dica é buscar o site da montadora do seu veículo.

Muitas delas possuem uma área específica no site destinada ao recall.

Por exemplo, através do número de chassi, a Chevrolet oferece neste link a possibilidade de verificar se algum recall já foi realizado ou se é necessário realizá-lo.

Você também pode consultar o site do Denatran.

Não esqueça: o consumidor deve atender ao recall como uma forma de garantir a própria segurança e a proteção da sua família.

  1. Você sabe quando começou a prática do recall?

A história do recall remete à década de 60. Sim, faz tempo.

Foi nos Estados Unidos que o advogado americano Ralph Nader descobriu defeitos de fabricação no seu carro e fez uma denúncia às autoridades.

E quais foram a consequências para as montadoras com a instituição do recall?

A partir daí, algumas decisões na justiça americana resultaram em condenações milionárias às montadoras, que foram acusadas de vender carros mesmo sabendo que os veículos tinham defeito.

Ou seja, desde então, é muito mais barato para elas fazer um reparo de graça de um possível defeito do que discordarem dele na justiça.

8. O que fazer se a oficina especializada demorar para substituir as peças com defeito do veículo?

recall demora troca peca
A recomendação é buscar o Procon em caso de problemas com a montadora

Imagine que você levou seu carro para fazer o recall e foi informado que a peça que precisa substituir está em falta.

Isso não é correto.

E também é extremamente perigoso, porque pode ocorrer um acidente que poderia ter sido evitado com o recall.

Nós já abordamos esse problema aqui no blog neste artigo.

A sugestão é que procure o Procon, pois é seu direito enquanto consumidor ser prontamente atendimento pelo recall.

Você não pode acabar prejudicado por um erro que foi cometido pela fábrica.

É dever dela reparar o defeito e com a máxima urgência, já que seu veículo está circulando de forma não totalmente segura.

Em caso de desrespeito ao consumidor, procure seus direitos.

Afinal, não estamos falando somente de peças de um carro.

Estamos falando da segurança de sua família.

 

Os Maiores Recalls do Brasil

recall maiores brasil
Confira os maiores recalls do país

Ao longo dos anos, nosso país já registrou recalls verdadeiramente enormes.

Em maio de 2013, por exemplo, a Toyota anunciou o recall de 1,4 milhão de carros por causa de falhas no sistema de airbag e no limpador do para-brisa.

Em resposta a uma reportagem do site da Revista Exame, a montadora esclareceu a função do chip que teve que ser substituído.

Segundo a marca, o disparo do airbag pode deixar de funcionar se houver interferência elétrica de outras partes do veículo.

Como consequência, isso poderia acionar a bolsa inflável “inadvertidamente”.

Diante do problema, a Toyota teve que instalar um filtro de sinal elétrico no módulo de controle do airbag – um reparo que atingiu toda essa quantidade de veículos.

O site G1 também fez uma lista com os dez maiores recalls de veículos já realizados no país.

Juntos, eles somam quase 5 milhões de carros que tiveram que ser reparados por questões relacionadas à segurança do motorista e passageiros.

Vamos ver alguns exemplos?

Chevrolet Corsa e Tigra

Um total de 1.062.737 unidades do Chevrolet Corsa e Tigra, produzidos no Brasil entre 1994 e 1999, possuíam um defeito no cinto de segurança.

Fox, CrossFox e SpaceFox

Um defeito nos modelos Volkswagen Fox, CrossFox e SpaceFox produzidos entre 2004 e 2009, atingiu 511.116 carros.

O problema era o seguinte: ao rebater o banco traseiro, era acionada uma mola que puxa a argola, havendo risco de decepar o dedo.

E, de fato, isso aconteceu.

Segundo a reportagem, ao menos oito pessoas tiveram parte dos dedos cortados e 14 ficaram feridas.

Honda Fit, Civic e CR-V

Em 314.945 unidades do Honda Fit, Civic e CR-V produzidos no Brasil entre 2004 e 2008, a falha atingiu o airbag, mais especificamente uma peça de metal chamada insuflador ou deflagrador.

Foi identificado risco de ela trincar como ação do tempo ou em razão da umidade.

Se isso ocorrer, ao acionar o airbag, havia o risco de lançamento de estilhaços de metal contra os ocupantes do veículo.

Honda Fit, City, Civic e CR-V

Já o defeito que atingiu 423.217 unidades dos modelos Honda Fit, City, Civic e CR-V, produzidos entre 2011 e 2015, alterava a indicação correta do nível de combustível.

Em resumo, ele podia enganar o motorista, levando-a crer que tinha mais combustível no tanque do que o painel mostrava.

Outra consequência possível seria o desligamento do motor em movimento devido à pane seca, o que elevaria a chance de colisões.

Mas o que é a pane seca?

Ela acontece quando o motorista está trafegando com o veículo e o combustível acaba. É passível até mesmo de multa de trânsito.

Observação: se você possui um dos carros citados e não realizou o recall há quase 20 anos, ainda é possível fazer isso.

No próximo tópico, abordaremos os maiores recalls no mundo.

 

Recalls no Mundo

recall takata
A empresa Takata carrega com seu nome o maior caso de recall do planeta

Inicialmente, veremos os maiores recalls do mundo sem incluir a Takata.

Depois, abordaremos em detalhes a Takata e você entenderá por que ela precisa de comentários à parte.

O site da Revista Exame trouxe uma reportagem na qual apresenta um levantamento dos grandes recalls pelo mundo, realizado pela consultoria norte americana 24/7 Wall St.

Veja só os principais:

  • Em 1981, a Ford fez o recall de 21 milhões de modelos das marcas Mercury e Lincoln porque havia problemas na engrenagem de transmissão automática.

  • Em 1996, a Ford fez o recall de 7,9 milhões dos modelos Thunderbird e picapes por causa de problemas na ignição.

  • Entre os anos de 1999 e 2006, a Ford novamente fez o recall de 15 milhões de picapes e SUVS porque havia problemas no controle da velocidade.

Perceba que a Ford ficou nos primeiros três lugares na lista de maiores recalls da história (até o momento).

  • Já a General Motors chamou o recall para 5,8 milhões dos modelos Buick, Regals e Malibu em 1981. O problema envolvia um parafuso da suspensão traseira.

  • Completam a lista a Toyota (5,7 milhões), Ford (4,1 milhões), General Motors (3,7 milhões), Honda (3,7 milhões), Volkswagens (3,7 milhões).

Trataremos agora do caso da Takata.

Esse é considerado o maior caso de recall da história.

Um equipamento veicular que também pode causar sérios acidentes em caso de defeito é o airbag.

Muitas pessoas já morreram por causa do defeito do airbag, logo uma tecnologia que foi projetada para dar mais segurança aos ocupantes do carro.

A fabricante de airbags Takata foi multada em cerca de US$ 1 bilhão por ter produzido airbags que causaram 16 mortes.

Mais de dez vítimas moravam nos Estados Unidos.

Desde 2008, foram mais de 100 milhões de recalls realizados em todo o mundo.

No Brasil, o chamado envolveu 2 milhões de carros com o equipamento defeituoso, incluindo veículos de montadoras como Toyota, Honda, Volkswagen e BMW.

Veja neste link alguns modelos de carro com airbags da Takata que foram chamados para o recall no Brasil.

Outro dado preocupante: investigações apontam para o fato de que a Takata tinha consciência que o defeito no airbag poderia causar sérios acidentes.

Uma consequência foi o pedido de falência da empresa, que ocorreu em junho de 2017.

Mas só depois de seu equipamento dar origem a muitas histórias tristes.

Um caso famoso é o de Hai Ming Xu, que ocorreu em setembro de 2013, nos Estados Unidos.

Devido à explosão do airbag e os estilhaços gerados por ele, a polícia avaliou inicialmente que Xu tivesse levado um tiro no rosto.

Dá para ter ideia de como o seu rosto acabou ficando machucado no episódio.

Outro caso marcante foi o de Kylan Rae Langlinais. O recall do seu carro, um Honda Accord 2005, foi iniciado dois dias depois do acidente.

Neste caso, infelizmente, o aviso para realizar o recall chegou tarde demais.

No entanto, reafirmamos a importância de checar se o seu modelo de veículo não foi convocado para um recall.

Pode ser uma atitude decisiva para salvar sua vida.

 

Conclusão

recall de veículos no mundo
O serviço de recall de veículos é um favor à segurança da sua família!

Como vimos, o recall se refere a uma substituição ou reparo de um item do veículo que, por defeito de fabricação, pode causar danos ao dono do carro ou a terceiros.

Também vimos que esse tipo de procedimento não ocorre somente no Brasil, mas em todo o mundo.

Agora, você sabe o que fazer caso o seu modelo de veículo for chamado para um recall.

E não dá para ignorar esse aviso de risco.

Se o conserto não for realizado, toda vez que sair dirigindo, você estará colocando a sua vida em risco e também a vida daqueles que o acompanham no carro.

Em outras palavras, o recall é um assunto muito sério.

E como você não gasta nada para responder ao chamado, por que ignorá-lo, não é mesmo?

Se ficou com alguma dúvida ou queira deixar a sua opinião sobre o assunto, registre um comentário abaixo.

E caso precise da orientação da equipe do Doutor Multas, não deixe de entrar em contato.

Fazer o recall e conscientizar as pessoas sobre a sua importância ajuda a salvar vidas.

Foi multado? Não fique sem dirigir! Descubra agora como não perder a CNH: Clique aqui para ter uma CONSULTA GRATUITA com o Doutor Multas.