Como Funciona o Bafômetro? Descubra Tudo Agora

Foi multado? Descubra gratuitamente quais são as suas reais chances de recorrer e cancelar a sua multa da Lei Seca: Clique Aqui e Descubra Agora GRATUITAMENTE!

como funciona o bafometro descubra
Como Funciona o Bafômetro? Descubra Tudo Agora

Até mesmo motoristas que nunca foram parados em uma blitz da lei seca têm curiosidade para saber como funciona o bafômetro.

Junto com o radar de velocidade, o bafômetro é um dos aparelhos mais polêmicos da fiscalização de trânsito brasileira.

Todo mundo sabe que ele serve para identificar se determinada pessoa está ou não está dirigindo sob a influência de álcool.

Mas como ele faz isso? O que o seu resultado significa na prática? Quanto é preciso beber para que o resultado dê positivo? É melhor soprar ou não soprar o bafômetro?

Se você está aqui, é porque tem alguma dessas dúvidas, não? Então está no lugar certo.

Não fique sem dirigir! Baixe Grátis os 3 Passos de como Recorrer e Cancelar a sua Multa da Lei Seca. Clique AQUI!

A lei seca foi criada para coibir a combinação destrutiva entre álcool e direção. Afinal, é comprovado que as bebidas alcoólicas causam sintomas como a sonolência e diminuição dos reflexos, que aumentam os riscos de acidentes.

Mas, se você está bebendo agora, não quer dizer que não poderá dirigir nunca mais. Então qual é o limite? Como saber quando termina a influência do álcool e é permitido conduzir o veículo novamente?

Infelizmente, não basta apenas aguardar os sintomas passarem. O enquadramento na infração acontece quando o bafômetro acusar que há vestígios de álcool no organismo.

Por isso é importante que todos os condutores saibam como funciona o bafômetro. Siga a leitura que você irá descobrir.

O Que é o Bafômetro?

como funciona o bafometro o que e
O aparelho serve para medir a quantidade de álcool no organismo

Bafômetro é o nome popular do etilômetro. Basicamente, é um aparelho que serve para medir a quantidade de álcool no organismo de uma pessoa.

A explicação mais precisa encontramos no anexo I do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), onde há um glossário com conceitos e definições:

“ETILÔMETRO – aparelho destinado à medição do teor alcoólico no ar alveolar.”

Ou seja, na realidade o bafômetro mede a quantidade de álcool presente especificamente na amostra de ar alveolar do motorista. E o que é isso? O CTB também traz essa definição:

“AR ALVEOLAR – ar expirado pela boca de um indivíduo, originário dos alvéolos pulmonares.”

Para a medição, portanto, o motorista dá uma “baforada”. Isso explica o motivo de o nome popular do aparelho ser bafômetro.

Mas veja bem: não quer dizer que o modo como funciona o bafômetro é a partir do “bafo”, do hálito, ou de vestígios de álcool que permanecem na boca do condutor.

Se assim fosse, bastaria escovar os dentes, fazer bom bochecho, tomar água, comer alguma coisa ou tática parecida.

Nada disso é capaz de alterar o resultado do aparelho, porque ele vai avaliar o ar que é expelido dos pulmões.

Agora você pode perguntar por que há álcool nos pulmões, se a bebida alcoólica ingerida é direcionada ao estômago.

O que acontece é que o álcool presente nessas bebidas é absorvido pelo sangue. E, ao respirar, ocorre nos alvéolos pulmonares um processo chamado de hematose, em que é realizada uma troca gasosa nos capilares sanguíneos.

Por conta disso, o ar expirado dos pulmões está sempre em equilíbrio com o sangue. Ou seja, se há concentração de álcool no sangue, há também no ar dos pulmões – em quantidade menor, mas há.

Essas informações podem parecer chatas, mas são importantes para que você entenda realmente como funciona o bafômetro.

 

Teste do Bafômetro e Lei Seca

como funciona o bafometro teste lei seca
Os artigos 165 e 276 falam sobre álcool e direção; confira

No Brasil, chama-se de lei seca a punição ao motorista que é flagrado dirigindo sob a influência de álcool. Essa é uma infração descrita no artigo 165 do CTB. Veja o que ele diz:

“Art. 165. Dirigir sob a influência de álcool ou de qualquer outra substância psicoativa que determine dependência:

Infração – gravíssima;

Penalidade – multa (dez vezes) e suspensão do direito de dirigir por 12 (doze) meses.

Medida administrativa – recolhimento do documento de habilitação e retenção do veículo, observado o disposto no § 4o do art. 270 da Lei no 9.503, de 23 de setembro de 1997 – do Código de Trânsito Brasileiro.

Parágrafo único. Aplica-se em dobro a multa prevista no caput em caso de reincidência no período de até 12 (doze) meses.”

Já o artigo 276 estabelece que qualquer quantidade de álcool encontrada no organismo resulta nas penalidades acima:

“Art. 276. Qualquer concentração de álcool por litro de sangue ou por litro de ar alveolar sujeita o condutor às penalidades previstas no art. 165.”

Notou que não há menção ao bafômetro? É na Resolução Nº 432/2013 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), que dispõe sobre os procedimentos adotados na fiscalização da lei seca, que encontramos a determinação para usá-lo preferencialmente:

“Art. 3º A confirmação da alteração da capacidade psicomotora em razão da influência de álcool ou de outra substância psicoativa que determine dependência dar-se-á por meio de, pelo menos, um dos seguintes procedimentos a serem realizados no condutor de veículo automotor:

I – exame de sangue;

II – exames realizados por laboratórios especializados, indicados pelo órgão ou entidade de trânsito competente ou pela Polícia Judiciária, em caso de consumo de outras substâncias psicoativas que determinem dependência;

III – teste em aparelho destinado à medição do teor alcoólico no ar alveolar (etilômetro);

IV – verificação dos sinais que indiquem a alteração da capacidade psicomotora do condutor.

§1º Além do disposto nos incisos deste artigo, também poderão ser utilizados prova testemunhal, imagem, vídeo ou qualquer outro meio de prova em direito admitido.

§2º Nos procedimentos de fiscalização deve-se priorizar a utilização do teste com etilômetro.

Como os governos estaduais organizam operações especiais da lei seca, já equipam os agentes de fiscalização com os aparelhos. Portanto, eles sabem muito bem como funciona o bafômetro.

Como os procedimentos do trabalho dos agentes já estão bem definidos dessa maneira, multas por embriaguez ao volante constatadas por outros meios são raras.

Lei Seca no Brasil – Dados

Os órgãos que monitoram e reúnem os dados da lei seca no Brasil são os Departamentos Estaduais de Trânsito, os Detrans.

Segundo o Detran de São Paulo, desde a criação do Programa Direção Segura – que faz o planejamento e execução das operações de fiscalização da lei seca no estado – até o final de 2016, 114 mil testes do bafômetro foram realizados e 11 mil motoristas multados por embriaguez ao volante.

No Rio Grande do Sul, o número da Operação Balada Segura indicam que em 2012 foram 33.610 veículos abordados e em 2016 foram 96.675, um aumento de 187,6%. Desse total, 8,4% dos motoristas abordados foram multados pela lei seca.

No Rio de Janeiro, segundo informações da Operação Lei Seca RJ, desde que o programa começou, em 2009, o número de motoristas flagrados dirigindo alcoolizados caiu 43%, o que indica que a conscientização deu resultado.

 

Como Funciona o Bafômetro

como funciona o bafometro
Entenda como o bafômetro consegue identificar a quantidade de álcool no organismo

 Você já sabe o que o etilômetro mede, qual o processo biológico que acontece nos alvéolos pulmonares e o que diz a lei sobre dirigir sob a influência de álcool.

Mas, afinal de contas, como funciona o bafômetro? Qual é o mecanismo que permite ao aparelho saber qual a concentração de álcool presente em uma baforada?

Caso você não saiba, o aparelho não indica apenas se há ou não álcool no ar dos pulmões, mas sim qual a quantidade de miligramas de álcool por litro de ar alveolar.

Como a nossa área é o direito, e não a ciência, buscamos o auxílio de quem entende do assunto.

Nessa matéria de 2016, a revista Mundo Estranho, conhecida por desvendar interessantes curiosidades científicas e culturais, explicou como funciona o bafômetro. Veja:

“1. A detecção do nível de álcool começa quando um sujeito manguaçado dá uma baforada dentro do bafômetro. O ar cheio de partículas de álcool entra no aparelho por meio de um tubo, viajando até um componente chamado célula de combustível

2. A célula de combustível é revestida com eletrodos de platina. Em contato com a platina, o álcool sofre uma reação química de oxidação, formando prótons (partículas positivas) e elétrons (partículas negativas) de uma substância chamada ácido acético

3. As células de combustível são recheadas com ácido eletrolítico. Os elétrons, que formam a corrente elétrica, passam direto pelo ácido eletrolítico. Essa passagem de elétrons é registrada por um medidor de corrente elétrica ligado à célula de combustível

4. A medida da corrente elétrica (a contagem de quantos elétrons passaram pela célula) indica o nível alcoólico do manguaceiro. Quanto maior a corrente, mais bêbado o motorista está

5. Por fim, um microprocessador “traduz” o valor de concentração alcoólica que equivale à corrente medida. Depois, o resultado aparece num visor. Se o nível alcoólico for maior do que 0,6 grama por litro de sangue, o bêbado paga multa e fica impedido de dirigir.”

 

Tipos de Bafômetro

como funciona o bafometro tipos
O aparelho deve respeitar as exigências dos órgãos fiscalizadores

Nós explicamos como funciona o bafômetro usado pelos agentes das operações de fiscalização da lei seca.

Mas existem vários tipos de bafômetro. Existe, por exemplo, o descartável, que se trata de um balão com uma substância que reage ao álcool, indicando se o motorista bebeu ou não.

Se você procurar na internet, encontrará até mesmo modelos que são semelhantes a chaveiros.

Também é possível encontrar modelos mais sofisticados, mas se você está pensando em adquirir um, precisa saber que saber que sua confiabilidade é limitada.

Segundo o Contran, o etilômetro usado nas blitze de fiscalização precisa ter o modelo aprovado pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro). Afinal, ele deve atender às exigências da legislação metrológica. Isso significa que há requisitos de qualidade e precisão de medição a cumprir.

Então, se você comprar um bafômetro que não tem o selo do Inmetro, sua medição poderá ser diferente do aparelho usado pela autoridade de trânsito.

Além disso, o etilômetro particular não é garantia para se safar da multa. Não adianta você alegar que não está dirigindo sob a influência de álcool porque fez o teste e ele não acusou nada.

Tenha em mente que eles pouco tem a ver com os modelos usados por autoridades de trânsito, que possuem o selo do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro). Afinal, o bafômetro particular não segue a mesma quantidade de requisitos técnicos dos oficiais.

Dada essa questão, se você acabar com a CNH suspensa após ser flagrado dirigindo sob efeito de álcool, não será possível usar o resultado que você mesmo apurou como argumento da sua defesa.

Mas talvez ter um bafômetro particular poderia dar ao condutor alguma certeza sobre quando poderia dirigir de novo após beber.

Se você acredita nisso, é importante saber que o mercado disponibiliza diferentes modelos, entre descartáveis e mais sofisticados, até mesmo alguns que parecem chaveirinhos.

No entanto, a eficácia não é total. Alguns deles já passaram por testes e apresentaram bons resultados, mas isso não significa que dá para confiar nos aparelhos de olhos fechados.

 

Quanto Tempo o Álcool Fica no Sangue

Essa é uma pergunta muito difícil de ser respondida, sobre um assunto muito importante de ser entendido.

Você já entendeu como funciona o bafômetro e que o importante para considerar no enquadramento de um motorista é o resultado do aparelho, não como ele está se sentindo quanto aos efeitos da bebida.

Esse resultado será positivo enquanto ainda houver vestígios de álcool no organismo do condutor submetido ao teste. A questão é: esses vestígios permanecem até quando?

O médico Ronaldo Laranjeira, PhD em Dependência Química, explicou, em entrevista ao site UOL, que o organismo se livra do equivalente a uma dose de álcool (que pode ser uma taça de vinho, um chope ou uma dose de destilado, por exemplo) por hora.

O problema é que essa é uma estimativa pouco precisa, pois a velocidade com que uma dose de álcool é eliminada depende do gênero da pessoa, de seu peso e seu metabolismo, entre outros fatores.

Exemplos

A doutora em Bioquímica Viviane Linck ensina, no blog Tem Ciência no Teu Chá, um cálculo que permite estimar o tempo que o álcool permanece em nosso organismo com mais exatidão:

Segundo ela, o corpo humano se livra, a cada hora, de 0,1 g de álcool por quilo da pessoa.

Veja um exemplo exposto por ela no blog:

“Uma pessoa de 90Kg metaboliza 9g de álcool/hora. Uma lata de cerveja (330ml) fornece 16g de álcool, logo uma pessoa de 90Kg demora 1,6 hora para eliminar todo o álcool de uma latinha.”

Para calcular quanto demora para eliminar o álcool de outras bebidas, você precisa levar em conta, além da quantidade em miligramas, a graduação alcoólica dessa bebida.

Mas lembre-se que o resultado seguirá sendo estimado, portanto recomendamos trabalhar com uma margem de segurança, esperando um tempo extra para pegar no volante.

 

O Que Pode Ser Acusado no Bafômetro

como funciona o bafometro bebidas
Descubra o que pode aumentar o nível de álcool no sangue

Por óbvio, o grande objetivo da fiscalização da lei seca é identificar os condutores que ingeriram bebidas alcoólicas e pouco tempo depois saíram conduzindo seu veículo.

A grande polêmica da lei está no fato de qualquer quantidade de álcool apontada no bafômetro leva o motorista a ser multado.

Sabemos que com pouca concentração da substância em nosso sangue sangue já é possível sentir alguns efeitos, mas será que não é um exagero?

Afinal, as bebidas não são os únicos produtos que ingerimos que possui álcool. Isso gera muitas dúvidas quanto aos perigos de ser multado mesmo sem ter bebido.

consulta gratuita saiba suas chances de sucesso

Bombom de Licor

Uma das dúvidas mais comuns é quanto ao bombom de licor. Trata-se de um chocolate cujo recheio realmente possui álcool. Mas será que o bafômetro identifica isso?

Novamente recorremos à incessante curiosidade da revista Mundo Estranho. Nessa matéria, a publicação conclui que apenas um bombom de licor não seria o suficiente para que o teste dê positivo.

Para uma mulher com 50 kg, seriam necessários 3,5 bombons. Para um homem de 70 kg, seis bombons.

De qualquer forma, como estamos falando de uma quantidade pequena de álcool, ele seria metabolizado em pouco tempo.

Outra possibilidade é que fiquem vestígios do produto na boca da pessoa. Nesse caso, basta fazer um bochecho com água para eliminá-los e não correr o risco de ser multado.

Enxaguante Bucal

Você sabia que os enxaguantes bucais também possuem álcool? Mas o perigo de ser acusado de dirigir sob a influência de álcool após usá-los é ainda menor.

A eliminação do álcool após o uso desse tipo de produto é muito rápida, então é improvável que dê tempo de um agente lhe parar poucos minutos depois de ter enxaguado a boca.

Se isso acontecer, basta explicar a situação e pedir mais 10 minutos para realizar o teste e ele deverá dar negativo.

 

Curiosidades Sobre o Bafômetro

A primeira curiosidade sobre como funciona o bafômetro é que o aparelho não necessariamente medirá a quantidade exata de álcool na baforada do condutor.

O que acontece é que a legislação metrológica admite a possibilidade da medição estar errada. Trata-se do chamado “erro máximo admissível”.

Esse erro está previsto na Resolução Nº 432/2013 do Contran. Segundo a tabela do anexo I, só são considerados resultados iguais ou superiores a 0,05 miligramas de álcool por litro de ar alveolar.

Ou seja, tecnicamente não é realmente qualquer quantidade registrada no aparelho que sujeita o motorista às penalidades da lei.

Na prática, porém, dá quase no mesmo, porque estamos falando de uma quantidade muito pequena, difícil de ser registrada.

Você já deve ter ouvido falar que se o bafômetro acusar determinada quantidade, o motorista é preso por crime de trânsito, não é mesmo?

Pois a margem de erro incide sobre essa quantidade também, que está descrita no artigo 306 do CTB.

Em vez de 0,3 mg/L, como consta na lei, o aparelho deve registrar 0,34 mg/L para que o crime seja caracterizado, segundo a tabela da resolução do Contran.

Multa da Lei Seca

Agora que você já sabe como funciona o bafômetro em todos os detalhes, que tal saber um pouco mais sobre a multa que pode receber o motorista flagrado dirigindo sob a influência de álcool?

Como você já viu, trata-se de uma infração de natureza gravíssima sujeita a multa de dez vezes, de acordo com o artigo 165.

Isso significa que o custo para quem comete essa infração é de R$ 2.934,70.

É claro que ninguém considera esse valor baixo. Mas, para muitos, bem pior que essa multa é a penalidade de suspensão do direito de dirigir por 12 meses.

 

Posso Recorrer?

como funciona o bafometro recorrer multa lei seca
Recorrer de uma multa é sempre um direito de todo condutor

 Entendido como funciona o bafômetro e qual o valor da multa, é fundamental saber, agora, que recorrer é uma possibilidade e, ao contrário do que muitos pensam, não é impossível reverter a penalidade.

Em boa parte dos casos, o recurso contesta as autuações pelo artigo 165-A, que pune o motorista que se recusa a soprar o bafômetro.

A recusa é um direito constitucional (de não produzir provas contra si mesmo), e a conduta condenável é dirigir sob o efeito de álcool, não negar a submissão ao teste.

Esse efeito do álcool deve ser comprovado de alguma maneira. Se não com o bafômetro, com a observação de sinais de alteração na capacidade psicomotora, na forma regulamentada pelo CONTRAN.

Não fique sem dirigir! Baixe Grátis os 3 Passos de como Recorrer e Cancelar a sua Multa da Lei Seca. Clique AQUI!

O que acontece é que muitas autuações não citam nenhum desses sinais, e mesmo assim o motorista é autuado.

Se isso aconteceu com você, não perca tempo e apresente recurso.

Seu caso foi diferente? Mesmo assim é possível recorrer. Quer saber como? faça uma consulta gratuita do seu caso com a nossa equipe e fale mais sobre a sua situação. Responderemos com uma análise gratuita.

 

Conclusão

como funciona o bafometro limite
Saber mais sobre a Lei Seca ajuda a evitar multas e penalidades

 Entender como funciona o bafômetro é uma boa maneira de você conhecer seus direitos e deveres e se prevenir quanto à fiscalização da lei seca.

Assim, você evita ser multado por dirigir sob a influência de álcool, o que resultaria em multa de quase R$ 3 mil e suspensão da habilitação por 12 meses.

Evita também uma consequência ainda pior, que é a prisão por crime de trânsito caso extrapole 0,34 mg/L no resultado do teste.

Muito melhor do que saber como funciona o bafômetro, porém, é ter bom senso e evitar a combinação entre álcool e direção.

Lembre-se que o álcool nos dá uma falsa sensação de confiança e, por isso, tendemos a pensar que estamos mais sóbrios do que de a realidade.

Então, se você for para uma balada, happy hour, churrasco ou qualquer outra situação em que beberá, planeje uma volta de táxi, Uber, ônibus ou de carona com um motorista que não bebe.

Foi multado?  Baixe Grátis o PDF com os 3 Passos para Recorrer de Multa da Lei Seca e não tenha a CNH Suspensa por 12 meses. [Clique AQUI]

Assim, você nem precisará saber como funciona o bafômetro, pois não será necessário soprá-lo. E, além de não ser multado, você estará prezando pela sua segurança.

Ainda tem dúvidas sobre como funciona o bafômetro ou sobre outro detalhe da lei seca? Faça uma consulta gratuita do seu caso.

Gostou do artigo? Deixe um comentário abaixo.

consulta gratuita do seu caso com o Doutor Multas
Consulta Gratuita
Como Funciona o Bafômetro? Descubra Tudo Agora
5 (100%) 11 votes