Moto de Leilão: Como Funciona e Quando Vale a Pena

moto de leilao como funciona quando vale pena

Comprar uma moto de leilão pode ser um bom negócio – ou não.

E é justamente essa dúvida que afasta muitas pessoas da modalidade.

Se você é daqueles que não sabe se moto de leilão vale a pena, vai gostar desse artigo.

Vamos explicar como funciona o leilão de motos e apresentar dicas para você identificar oportunidades nas quais realmente é válido investir seu dinheiro.

Você vai descobrir detalhes sobre o leilão de motos online ou presencial, conferir os passos para comprar e para regularizar seu veículo após a aquisição.

Afinal, moto de leilão pode rodar?

Ou será que existe algum tipo de restrição?

Também falaremos em preços, já que você, com certeza, está em busca de motos de leilão baratas.

Foi multado? Baixe Grátis o PDF Exclusivo de Como Recorrer sua Multa de Trânsito!

Quando pensamos na palavra leilão, logo associamos com a compra de produtos mais baratos e com ótimo custo-benefício.

A partir de agora, você vai ver que é possível comprar uma moto de leilão, mas que é preciso tomar alguns cuidados para não ter problemas futuros.

Se você quer ter uma nova moto e economizar dinheiro, fique atento para saber reconhecer uma boa oportunidade.

Boa leitura!

 

Afinal, Moto de Leilão Vale a Pena?

moto de leilao vale a pena
É fundamental avaliar bem a situação antes de fazer qualquer compra

Comprar uma motocicleta usada, por si só, já exige atenção redobrada.

Aliás, esse cuidado extra se aplica na compra de qualquer veículo que já rodou antes.

É preciso estar de olho nas condições gerais, na quilometragem e na procedência, entre outros aspectos importantes.

Quando o assunto é moto de leilão, esse nível de atenção exigida fica ainda maior.

Afinal, como você vai ver ao longo de todo o artigo, há garantias ao comprador, mas ele pouco fica sabendo sobre o veículo antes de arrematá-lo, como se fala nessa modalidade.

Significa que é um mau negócio? Uma cilada?

Não se apresse no diagnóstico, pois moto de leilão pode valer a pena, sim.

Se você ainda não conhece esse mercado, deve estar se perguntando se realmente é interessante comprar um bem em um leilão.

A resposta não é tão simples.

Mas, de forma resumida, podemos dizer que vale a pena comprar uma moto de leilão, desde que você avalie com cuidado o bem que gostaria de adquirir.

Também é preciso analisar quem está leiloando a moto e a sua reputação.

Às vezes, você não consegue encontrar uma boa oportunidade logo no primeiro leilão.

O segredo de uma boa compra é sempre a cautela.

Uma boa dose de paciência, sem agir por impulso, aproximam você de um negócio mais certeiro.

Inclusive, além de se informar bastante sobre o processo em questão e ler seu edital, pode ser interessante ir aos primeiros leilões apenas como visitante.

É uma forma de se habituar a um mundo até então desconhecido.

Nessas ocasiões, é natural que não consigamos diferenciar com exatidão o que é mesmo uma boa oportunidade de uma armadilha.

Mas quem vai com muita sede ao pote e deixa o comportamento racional em casa costuma estar mais próximo do arrependimento.

Apesar desses veículos possuírem um bom desconto, você deve também levar em consideração o quanto vai gastar para deixar uma moto de leilão em bom estado.

Afinal, poucas são as modalidades de leilão nas quais você pode observar o veículo antes do arremate, em especial com o nível de atenção que isso exigiria.

Um leilão não é como uma revenda ou concessionária, na qual você entra, escolhe o modelo e testa.

Até mesmo a compra de uma moto usada diretamente do vendedor se mostra mais segura nesse sentido.

Mas como falamos antes, não significa que seja má ideia comprar moto de leilão.

Pode ser a ocasião perfeita para realizar seu sonho, seja para ter um modelo superior ou a primeira motocicleta.

Recorra sua multa de trânsito

Baixe o PDF grátis

Lucrando com sua moto de leilão

Se você souber fazer um ótimo negócio em leilões, ainda pode conseguir lucrar com isso.

Caso compre uma moto bem conservada e com valor abaixo de mercado, você pode revendê-la e ganhar um dinheiro extra.

Muita gente segue por esse caminho.

Uma boa maneira de conseguir isso é comprando a moto de leilão de uma financeira.

A maioria desses veículos são de pessoas que não pagaram o financiamento e, então, o banco apreendeu para colocar em leilão e quitar o débito.

Não são produto de apreensão por multas, roubo ou qualquer outro tipo de sinistro.

Nesses casos, a procedência costuma ser melhor.

Você não faz uma compra no escuro.

Simplificando bastante o que falamos até agora, você pode conseguir economizar dinheiro comprando uma moto em leilão, desde que avalie a sua procedência e o seu estado atual.

No próximo tópico, vamos explicar o que a lei fala sobre a compra e venda de moto de leilão.

 

Como Funciona a Moto de Leilão

moto de leilao como funciona
A compra de uma moto de leilão certamente não é igual a uma compra convencional

Um leilão de motos nada mais é do que a venda pública desse tipo de veículo que está sob a guarda das autoridades.

Em um evento desses, é provável que você encontre uma moto que pode ter sida apreendida em uma blitz ou ainda um veículo cujo comprador não conseguiu pagar o seu financiamento.

Quando uma moto é apreendida em uma fiscalização por agentes de trânsito, ela vai para o pátio do Detran (Departamento Estadual de Trânsito).

Depois disso, o proprietário tem até cinco dias para regularizar as pendências que geraram a remoção e também realizar o pagamento das taxas, que aumentam a cada dia.

Nessa conta, tem as despesas com o guincho e as diárias do depósito, além da multa que originou a apreensão em si.

Muitos donos acabam desistindo de retirar a moto do pátio, pois o valor devido nessas ocasiões chega a ser maior do que o do próprio veículo.

Você pagaria R$ 10 mil em multas e taxas para retirar do depósito um veículo que vale R$ 9 mil?

Difícil, não é mesmo?

É por isso que aquilo que se mostra problema para alguns vira oportunidade para outros.

A moto fica no pátio do Detran por no máximo 90 dias.

Depois disso, ela é colocada em leilão.

Já no caso de moto de leilão por razões financeiras, o modo de operação depende de cada instituição.

Há bancos que são mais ou menos flexíveis com seus clientes.

A apreensão do bem nesses casos costuma ser uma medida extrema, mas acontece muito mais do que você pode imaginar.

A principal diferença entre as duas modalidades é que, no caso da dívida do banco, o seu objetivo é garantir o ressarcimento do valor que a instituição emprestou para a aquisição do bem.

O novo dono não tem qualquer compromisso com a negociação anterior.

Já no caso de motos apreendidas pelo Detran, o comprador assume o compromisso de quitar todas as pendências com o órgão.

É por isso que, nessas situações, o valor da moto de leilão precisa estar bem em conta e é apenas um dos aspectos a avaliar.

O que diz a lei

O leilão de motos apreendidas funciona de acordo com o artigo 328 do CTB (Código de Trânsito Brasileiro).

Veja só o que ele diz:

“Art. 328. O veículo apreendido ou removido a qualquer título e não reclamado por seu proprietário dentro do prazo de sessenta dias, contado da data de recolhimento, será avaliado e levado a leilão, a ser realizado preferencialmente por meio eletrônico.

§ 1o Publicado o edital do leilão, a preparação poderá ser iniciada após trinta dias, contados da data de recolhimento do veículo, o qual será classificado em duas categorias:

I – conservado, quando apresenta condições de segurança para trafegar; e

II – sucata, quando não está apto a trafegar.

§ 2o Se não houver oferta igual ou superior ao valor da avaliação, o lote será incluído no leilão seguinte, quando será arrematado pelo maior lance, desde que por valor não inferior a cinquenta por cento do avaliado.

§ 3o Mesmo classificado como conservado, o veículo que for levado a leilão por duas vezes e não for arrematado será leiloado como sucata.

§ 4o É vedado o retorno do veículo leiloado como sucata à circulação.

§ 5o A cobrança das despesas com estada no depósito será limitada ao prazo de seis meses.

§ 6o Os valores arrecadados em leilão deverão ser utilizados para custeio da realização do leilão, dividindo-se os custos entre os veículos arrematados, proporcionalmente ao valor da arrematação, e destinando-se os valores remanescentes, na seguinte ordem, para:

I – as despesas com remoção e estada;

II – os tributos vinculados ao veículo, na forma do § 10;

III – os credores trabalhistas, tributários e titulares de crédito com garantia real, segundo a ordem de preferência estabelecida no art. 186 da Lei no 5.172, de 25 de outubro de 1966 (Código Tributário Nacional);

IV – as multas devidas ao órgão ou à entidade responsável pelo leilão;

V – as demais multas devidas aos órgãos integrantes do Sistema Nacional de Trânsito, segundo a ordem cronológica; e

VI – os demais créditos, segundo a ordem de preferência legal.”

Por serem regulamentados, os leilões são considerados uma venda transparente, com várias garantias para o comprador não ter medo de ser passado para trás.

Não é garantia de um bom negócio, mas está muito longe de ser uma cilada.

Recorra sua multa de trânsito

Baixe o PDF grátis

Moto de Leilão Pode Rodar Normalmente?

moto de leilao pode rodar normalmente
É muito importante que a moto esteja nomeada como “conservada”

Quando uma moto vai a leilão, ela pode ser classificada de duas maneiras: conservada ou sucata.

A moto comprada em um leilão poderá trafegar normalmente desde que esta esteja classificada na categoria de conservada.

Dependendo da origem do veículo, é preciso realizar a rematrícula do veículo no Detran e pagar o IPVA do ano, o Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores.

Vem daí a importância de saber qual a situação da moto antes de arrematá-la.

Já as motos leiloadas como sucata, sem direito à documentação, não podem trafegar pelas ruas.

Elas são vendidas exclusivamente para desmanche.

Por isso, são destinadas a empresas que trabalham nesse setor.

Todas essas informações também constam no artigo 328 do CTB, citado acima.

 

Como Comprar

moto de leilao como comprar
Então, interessado em comprar uma moto de leilão?

Como se trata de um leilão, a pessoa que oferecer o maior lance é quem vai ficar com o bem.

Como são considerados como venda pública, os leilões são conduzidos por leiloeiros oficiais, que não são os donos da moto, ou seja, não são os proprietários dos veículos que realizam a venda.

Também é proibido que os leiloeiros vendam o veículo fora de um leilão.

Ou seja, se alguém vier com uma proposta dessas, saiba que é golpe.

As motos de leilão são selecionadas e, então, numeradas.

Assim, passam a ser chamadas de lotes, que são leiloados sequencialmente.

Quem desejar comprar uma moto deve dar o seu lance (quantia que está disposto a pagar pelo bem).

A partir daí, é básico: aquele que oferecer a melhor quantia, ganha.

Vamos falar um pouco mais sobre a particularidade de dois tipos de leilões de motos.

Fique ligado!

Leilão judicial de motos apreendidas

Eles são realizados durante todo o ano, e você consegue ver os lotes disponíveis pela internet.

Também é possível participar presencialmente desse tipo de leilão, com o aceno de mão para o leiloeiro.

Vale ficar ligado no site do Detran no seu estado e nos editais publicados periodicamente em jornais de grande circulação.

Eles trazem datas e condições para participação.

Leilão de motos apreendidas pela Receita Federal

No próprio site da Receita Federal, é possível saber quando serão os leilões, que acontecem de forma presencial ou online.

Quem desejar participar de um leilão da Receita pela internet deve se cadastrar e ter um certificado digital.

Esse é uma espécie de arquivo eletrônico usado para validar e garantir a autenticidade da operação.

O que acontece depois que a moto é arrematada?

Agora, você deve estar querendo saber o que fazer depois de comprar o bem que tanto queria, não é mesmo?

Logo após o arremate, o comprador precisa assinar o boleto que comprova a compra, bem como dar um cheque nominal ao leiloeiro.

É possível usar cheque de terceiros para um leilão de motos, porém é preciso levar uma declaração com firma reconhecida pelo dono do cheque.

Caso você deseje comprar outros bens, é só entregar o cheque em branco, que deverá ser preenchido ao final do leilão, com o preço das motos adquiridas, mais o valor da taxa administrativa.

Vale ressaltar que, em hipótese alguma, uma venda feita em um leilão pode ser desfeita.

Daí a importância de o comprador saber bem o que está fazendo.

Só dê o seu lance se realmente estiver disposto a comprar a moto em questão e pelo valor referido.

Esse é um processo sem volta, em todas as circunstâncias.

 

Regularização da Moto de Leilão

moto de leilao regularizacao
A primeira coisa a se fazer é comparecer ao Detran da sua região

De modo geral, a regularização de uma moto comprada em leilão exige a mesma documentação de um veículo adquirido de outro dono.

Isso serve tanto para os leilões online como para os presenciais.

O primeiro passo é se dirigir até o Detran de sua cidade com os documentos pessoais e os fornecidos pelo leiloeiro.

A partir daí, você dará a entrada na regularização de sua moto.

Todo o processo pode demorar até 90 dias.

Lembre que você tem até 30 dias (após comprar a moto) para entregar a nota de arrematação ao órgão.

Recorra sua multa de trânsito

Baixe o PDF grátis
Caso não cumpra, deverá pagar uma multa em dinheiro e também receberá três pontos na carteira de motorista.

Você deve saber que, caso a moto tenha alguma dívida anterior, é de responsabilidade do antigo dono arcar com essas despesas.

Então, você só precisa conferir se elas foram realmente quitadas antes de arrematá-la.

Um pagamento que fica a cargo do comprador é o IPVA do ano em que o veículo foi adquirido.

Uma informação que você precisa compreender é que uma moto leiloada como sucata já tem a baixa do Detran e não pode ser mais recuperada e nem trafegar pelas ruas.

Sendo assim, essa também não poderá ser regularizada.

 

Dicas

moto de leilao dicas
Se você está interessado em comprar uma moto de leilão, seja para uso próprio ou até mesmo para desmanche, deve estar atento a alguns pontos importantes

É preciso entender bem como esse tipo de evento funciona, saber quem pode e como participar, qual tipo de veículo comprar, entre outros.

Abaixo, listamos dicas para os interessados realizarem um bom negócio sem desperdiçar dinheiro e sofrer com problemas mais adiante.

Antes de arrematar uma moto de leilão:

1. Conheça a moto previamente

Se você não sabe, é possível visitar os lotes antes de dar o lance.

Isso geralmente acontece no dia anterior ao leilão.

Se conseguir, leve um mecânico de confiança para fazer a avaliação detalhada do veículo de seu interesse.

2. Saiba tudo sobre o veículo antes

Verifique alguns itens essenciais, como pendências, dívidas, multas e, principalmente, a procedência da moto.

3. Atente ao ano de fabricação

Prefira as motos mais novas, com menos de seis anos de uso.

O risco de problemas é menor.

4. Não compre uma moto que precise de muitos reparos

Em alguns casos, o veículo não fica 100% e você ainda acaba gastando mais do que o esperado.

A menos que consiga pagar um preço bem abaixo do mercado pela moto, é claro.

5. Dê atenção especial ao edital

Fique por dentro das regras do leilão, leia o edital e se informe de tudo.

Lembre que, além do valor da moto, que deve ser pago à vista, o comprador também precisa quitar a taxa de transferência para o nome do novo proprietário.

6. Conheça os tipos de lance

Saiba o tipo e em qual momento dar um lance.

Existem quatro tipos de lance:

  • Mínimo: o menor valor oferecido por um lote e, quando não alcançado, um comitê decide se aceita ou não a oferta;

  • Máximo: o maior valor oferecido por um lote;

  • Automático: nem o leiloeiro sabe o valor do lance que é registrado no momento do cadastro;

  • Bônus: em caso de empate do lance automático, é o lance bônus, também previamente cadastrado que decidirá o vencedor.

7. Seja racional e equilibrado

Diferencie um negócio que vale a pena de um outro que não.

O importante é comprar uma moto em boas condições e com preço abaixo do seu valor de mercado.

Não decida nada por ansiedade!

8. Esteja consciente das suas possibilidades

Veja se você pode mesmo participar de um leilão.

Não é preciso realizar nenhum pagamento para entrar em um evento desse, que vale tanto para pessoa física quanto para pessoa jurídica.

Porém, se você for menor de idade ou tiver o nome sujo, não poderá participar de um leilão.

Recorra sua multa de trânsito

Baixe o PDF grátis
 

9. Verifique a confiabilidade das motos

Apesar de operarem conforme a lei e serem regularizadas, ainda existem fraudes em leilões de veículos.

Infelizmente, há quem adultere laudos de motos sucatas colocadas em leilão como se fossem recuperáveis.

10. Inicie pela internet

Participe do leilão de motos online, uma vez que eles são totalmente legais.

Só fique atento para a qualidade da conexão à internet.

Caso não esteja em bom funcionamento, pode atrapalhar na hora de dar o seu lance.

 

Carro de Leilão é Uma Boa Ideia?

moto de leilao carro boa ideia
Entenda vantagens e desvantagens da compra de carros de leilão

Agora que já falamos tudo sobre a moto de leilão, vamos comentar um pouco sobre como funciona o leilão de carros.

Nesse momento em que o país se encontra, em meio a uma crise financeira, o leilão de veículos pode ser uma opção para quem quer comprar um carro, mas não pode gastar muito.

Como a maioria dos automóveis que vão para leilão se dá pela falta de pagamento, é possível encontrar um automóvel seminovo e com valor bem abaixo do mercado.

Muitas pessoas ainda participam de leilões para comprar veículos em boas condições e depois revendê-los.

Se você também pensa nessa possibilidade, confira as dicas que separamos:

  • Leia com atenção o edital do leilão antes de participar de um evento do tipo;

  • Leve o carro para um mecânico de confiança fazer a vistoria completa

  • Veja se o carro precisa de reparos e procure saber o valor para a regularização da documentação – só assim você saberá se o valor de compra compensa

  • Não compre por impulso

  • De preferência para carros mais novos

  • Pesquise o valor do veículo (com o ano e modelo) que deseja comprar para saber dar seu lance

Para participar de um leilão de carro presencial, basta comparecer ao local com um documento pessoal e comprovante de residência.

Qualquer pessoa pode participar de um leilão, desde que não seja menor de idade e nem tenha o nome sujo no SPC (Serviço de Proteção ao Crédito) ou Serasa.

Hoje em dia, as pessoas têm preferido participar de leilões online.

Além da comodidade, o custo para a realização é bem menor do que o presencial.

 

Conclusão

moto de leilao conclusao
Certifique-se da procedência e documentação do veículo antes da compra!

Depois de tudo o que falamos, você ainda tem dúvida se vale a pena comprar uma moto de leilão?

O que nós podemos concluir é que pode, sim, ser uma boa oportunidade, uma vez que é possível arrematar o veículo com valor bem abaixo do de mercado (cerca de 30% a menos).

O que faz as pessoas comprarem motos em leilões é que acaba sendo uma maneira segura e mais barata de adquirir o bem.

Porém, apesar da facilidade e do bom preço, é preciso estar atento para as condições da moto e também saber para qual finalidade será usada.

Antes de bater o martelo, você deve conhecer a moto, verificar a qualidade de suas peças e saber se o veículo necessitará de reparos.

E lembre ainda que os leilões só permitem a compra do bem à vista e que não é possível desfazer o negócio uma vez que ele seja fechado.

Seguindo as nossas recomendações, dificilmente você não fará um bom negócio.

Caso tenha restado alguma dúvida, entre em contato ou deixe seu comentário abaixo.

Será um prazer atendê-lo.

Recorra sua multa de trânsito

Baixe o PDF grátis
 

Moto de Leilão: Como Funciona e Quando Vale a Pena
5 (100%) 1 vote