Caminhões com Dívidas Atrasadas: Compra, Financiamento e Muito Mais

Caminhões são veículos cujo valor não costuma ser baixo. Pelo contrário, o preço de um caminhão costuma ser um tanto quanto pesado.

Por essa razão, nem toda pessoa que planeja comprar um veículo desse tipo consegue comprar um caminhão zero quilômetro na hora de dar o pontapé inicial.

Como ocorre com outros veículos, existe a possibilidade de comprar um caminhão usado, diretamente com o proprietário.

No entanto, é extremamente importante tomar cuidado na hora de fazer qualquer negociação, pois o que é para ser a realização de um sonho pode se tornar um verdadeiro pesadelo.

Por isso, vou falar sobre caminhões com dívidas atrasadas neste artigo.

Fique atento aos assuntos abordados neste texto, pois quero ajudá-lo a evitar complicações na hora de adquirir um caminhão.

Vou falar para você sobre o financiamento de caminhões e sobre os cuidados a serem tomados para não cair em ciladas.

Para saber mais sobre essas e outras questões, leia este artigo até o final.

 

Financiar Caminhões: Veja as Possibilidades

Você sabe como funciona o financiamento de caminhões?

Não é de causar estranheza que nem todo mundo consegue comprar um caminhão à vista, seja ele zero quilômetro, seminovo ou usado.

Afinal, caminhões são veículos cujo valor é alto, tornando mais difícil ter o montante necessário para que a aquisição seja feita sem parcelamento.

Por essa razão, o financiamento costuma ser a opção mais adequada para quem deseja adquirir um caminhão, mas precisa dividir o valor em um determinado número de prestações.

Para financiar um caminhão, existem algumas possibilidades, as quais você vai conhecer a partir de agora.

Uma delas é o Crédito Direto ao Consumidor (CDC). Essa modalidade de financiamento atende pessoas físicas e jurídicas e tem sido escolhida por apresentar menos burocracia na negociação.

Nessa modalidade, é preciso pagar um valor de entrada para, então, dividir o restante em até 60 mensalidades.

Outra opção para quem quer comprar um caminhão é o Leasing Operacional. Essa forma de financiamento pode ser considerada uma espécie de aluguel.

Isso porque a aquisição do caminhão se dá por meio de contrato com data de vencimento. O tempo de duração pode variar de acordo com a instituição financeira e com o caminhão negociado, podendo chegar a até 60 meses.

No leasing, as parcelas são fixas e incluem despesas com emplacamento, IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores), rastreamento, telemetria e controle de frota.

Quando o período de vigência do contrato chega ao fim, o cliente tem a opção de negociar outro caminhão zero quilômetro ou, inclusive, comprar o veículo negociado pelo preço de mercado.

Agora, um tipo de financiamento muito conhecido entre os interessados pela compra de caminhões é o Finame do BNDES. Sobre ele, falo a seguir.

 

BNDES Finame

O BNDES é o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social. Por meio dele, o Governo Federal disponibiliza apoio a micro, pequenas, médias e grandes empresas, inclusive a empreendedores pessoas físicas.

Um de seus programas de financiamento é o BNDES Finame, que é o Financiamento de Máquinas e Equipamentos.

O empréstimo se dá pelo intermédio de instituições financeiras credenciadas e é disponibilizado a pessoas que precisam de máquinas ou equipamentos para dar andamento ao desenvolvimento de sua empresa.

Existem linhas de financiamento que dividem o Finame, e uma delas é a BK Aquisição e Comercialização. É nessa linha em que a compra de caminhões está incluída.

Para solicitar, existem algumas exigências a serem atendidas. Uma delas é a necessidade de que a empresa esteja sediada no Brasil.

Empresários individuais, administração pública, produtores rurais e microempreendedores também podem solicitar financiamento pelo Finame.

Além deles, transportadores de carga que trabalhem de forma autônoma, bem como pessoas físicas associadas a empresas de transporte de cargas também podem recorrer ao financiamento do BNDES.

Para concluir a lista de quem pode solicitar o financiamento, cabe mencionar cooperativas, fundações e associações também sediadas no país.

A partir do ano de 2018, ocorreram algumas modificações no que diz respeito à concessão do empréstimo para micro, pequenas e médias e empresas.

A partir de então, o Banco passou a financiar até 100% do valor dos caminhões para donos de empresas que se enquadrem em um desses grupos e, ainda, aumentou o prazo para até 10 anos.

 

Refinanciamento de Caminhões com Dívidas Atrasadas

Nesta seção, quero comentar com você uma possibilidade de conseguir crédito, utilizando seu caminhão, mas que pode ser inviável caso seu veículo esteja com dívidas atrasadas.

Você já ouviu falar em refinanciamento de caminhões? Essa é uma opção para quem precisa de um empréstimo financeiro, mas não pode ficar sem seu caminhão.

O refinanciamento é uma forma de empréstimo que se dá por meio da alienação do caminhão à instituição financeira com a qual for feita a negociação.

Muitos proprietários escolhem esse tipo de financiamento porque, normalmente, as taxas de juros costumam ser inferiores às que são cobradas em outras modalidades de empréstimo.

Dizer que o caminhão fica alienado à instituição financeira significa dizer que ele é dado como garantia de que as parcelas do refinanciamento serão pagas. Caso contrário, a instituição poderá ficar com o veículo para quitar a dívida e não ficar no prejuízo.

Para a concessão do empréstimo, as instituições realizam análise de crédito. Dessa forma, é preciso que o interessado atenda a alguns requisitos básicos. Um deles é a idade, pois é preciso ter mais de 21 anos.

O score é um dos principais pontos analisados. Assim, é importante estar com o nome limpo, não tendo restrições no CPF (Cadastro de Pessoas Físicas). A renda apresentada pelo cliente também conta na hora da decisão da instituição.

No entanto, não é somente o proprietário que precisa atender aos requisitos. O caminhão a ser alienado também precisa passar pela análise da financeira.

O ano do veículo influencia na decisão dos credores, ou seja, aqueles que irão liberar o empréstimo. Quanto mais novo o caminhão, maior a possibilidade de você conseguir o refinanciamento.

Além disso, veículos mais novos e em melhor estado de conservação podem garantir um maior valor de empréstimo, ajudando para que você consiga a quantia necessária.

Por outro lado, existem algumas situações que podem impedir que o refinanciamento seja aprovado, e uma delas é o acúmulo de dívidas do caminhão.

Por exemplo, se seu caminhão estiver com parcelas do financiamento em aberto ou possuir dívidas com o IPVA, é provável que a instituição não aprove sua solicitação.

É por isso que é tão importante ter cuidado para não acumular dívidas relacionadas ao seu caminhão. Afinal, pode ser que você precise dele para resolver questões importantes e não consiga utilizá-lo para esse fim.

 

Caminhão com busca e apreensão

Busca e apreensão é uma ação judicial

Você já sabe que é preciso pagar as parcelas do refinanciamento do caminhão para não correr o risco de perdê-lo.

Isso porque, se existe uma cláusula no contrato que determina a alienação fiduciária do seu bem em troca do empréstimo, a instituição financeira tem o direito de apreendê-lo caso seja necessário.

Em casos como esse, a instituição pode entrar com a ação de busca e apreensão. Essa é uma ação judicial que pode ser ingressada a partir do momento em que o cliente deixa de pagar as prestações do financiamento em dia.

É importante mencionar que o caminhão somente pode ser levado no momento em que o juiz libera a busca e apreensão.

Quando isso acontece, um oficial de justiça é enviado para apreender o veículo e, caso o proprietário demonstre resistência, pode ser utilizada força policial para que o veículo seja levado.

Se isso acontecer com você, será fornecido prazo de 5 dias para que pague a dívida e regularize a situação e, assim, recuperar seu caminhão.

Outra forma de tentar resolver o problema é recorrer com a ajuda de um advogado, contestando a apreensão do veículo. Para isso, costuma-se dar prazo de 15 dias.

Levando em consideração que é fundamental se organizar para não deixar nenhuma parcela do financiamento em aberto, cabe ressaltar a importância de analisar o contrato antes de fechar negócio com a instituição que concederá o empréstimo.

Isso porque grande parte das buscas e apreensões realizadas no Brasil é decorrente de juros abusivos cobrados nas parcelas.

Definitivamente, esse é um problema e tanto e pode ser causado caso você acumule dívidas atrasadas relacionadas ao caminhão.

Cuidados ao Comprar Caminhões com Dívidas Atrasadas

A hora de comprar um caminhão é delicada e exige cuidados

Conforme já sinalizei no início deste artigo, a compra de caminhões usados é uma alternativa para quem não pode comprar um veículo novo no momento.

Entretanto, é extremamente necessário analisar as opções encontradas no mercado, pois não é interessante fazer uma negociação que venha a render dores de cabeça no futuro.

Um dos problemas que podem causar estresse ao comprador é o acúmulo de dívidas atrasadas do caminhão. Imagine você se deparando com uma série de problemas decorrentes de dívidas feitas antes mesmo de você ser o dono do veículo.

Mas não podemos nos enganar achando que isso acontece sem que o comprador saiba. Por mais que uma análise mal feita possa reservar surpresas, muitas pessoas optam por comprar caminhões com dívidas atrasadas porque a oferta costuma ser tentadora.

Porém, já diz o ditado que o barato pode sair caro, e eu vou mostrar isso para você mais adiante, na continuação deste artigo.

Caso você esteja pensando em comprar um caminhão usado à vista ou pretenda assumir o financiamento de um veículo que esteja com as parcelas em aberto, preste muita atenção.

No primeiro caso, pense que você estará investindo uma boa quantia em dinheiro na negociação. Com isso, negocie com o vendedor e veja se não é possível conseguir um desconto.

No entanto, desconfie de propostas muito tentadoras. Muitas vezes, vendas muito facilitadas podem ser sinônimas de cilada, como, por exemplo, o atual proprietário querer se ver livre de um caminhão cheio de problemas.

Já na segunda situação, na qual você assume as parcelas do financiamento do caminhão, considere que você estará assumindo um compromisso financeiro que durará uma determinada quantidade de meses.

Dessa forma, é importante verificar se o caminhão não irá gerar ainda mais gastos com dívidas referentes à documentação, impostos, entre outros.

Por isso, é necessário solicitar a documentação do caminhão e verificar o histórico do veículo. Veja se ele não tem dívidas decorrentes de multas não pagas, licenciamento atrasado e impostos vencidos.

Se você é dono de uma empresa e pretende adquirir um caminhão usado para compor sua frota, verifique se ele pode atender às necessidades que você possui.

Esses veículos precisam de autorização para realizar o transporte de determinados tipos de carga e, caso você não se certifique de que o veículo comprado está com a permissão em dia, pode ser que você coloque na estrada um veículo irregular.

Essa situação, com certeza, traria problemas a serem resolvidos e, com isso, prejuízos para o seu negócio.

 

Dicas para comprar caminhões usados

No tópico anterior, falei sobre os cuidados a serem tomados se você for comprar um caminhão usado, no que se refere às dívidas do veículo.

Porém, acho importante destacar alguns outros cuidados na hora de negociar um caminhão usado, para evitar problemas.

A primeira dica é pesquisar. Não faça uma compra por impulso. Existem muitas opções no mercado de usados e, certamente, muitas delas são boas.

Por isso, comprar o primeiro caminhão que for encontrado não é uma ideia adequada. Quando você encontrar um veículo que agrade, tente negociar com o vendedor. Compare preços e procure chegar a um acordo que seja compensador.

Outra atitude importante é inspecionar o caminhão. Veja se está tudo certo com suas peças e lataria. Procure se certificar de que ele está funcionando normalmente. Para isso, é aconselhável ter um mecânico de confiança que possa verificá-lo.

É indispensável estar preparado para a compra. Planejamento é fundamental para que você não fique com a sensação de ter jogado dinheiro no lixo ao final da negociação.

Além disso, a transferência do veículo envolve o pagamento de taxas. Com isso, esteja preparado para pagar mais do que o valor cobrado pelo caminhão.

Se você se sentir mais seguro, procure por lojas especializadas em revenda de caminhões. Normalmente, as revendas são mais preparadas para o desenvolvimento das negociações, bem como para as transações mais burocráticas, como a transferência e o registro do veículo.

 

Caso Real

Chegou a hora de você ver o que pode acontecer na prática quando um caminhão com dívidas atrasadas é flagrado circulando pela via pública.

O caso que vou comentar com você agora aconteceu no início deste ano em São Paulo.

De acordo com o que foi noticiado pelo portal R7, um caminhão foi apreendido com quase 1 milhão e 800 mil reais em multas não pagas.

Em um primeiro momento, é inacreditável, mas é verdade. Para completar a situação, que já parecia embaraçosa o suficiente, o veículo acumulava 7 mil reais em IPVA atrasado.

Além disso, o caminhão estava com o licenciamento atrasado desde 2014.

O resultado de todo esse descuido com o caminhão foi uma autuação por circular com o veículo irregular, e também por outras questões, já que o condutor estava com o documento de habilitação vencido e, no momento em que foi flagrado pela autoridade, dirigia pelas marcas de canalização.

Para que você tenha ideia do valor que um condutor nessas condições pode ter de pagar caso seja flagrado nessa situação, vejamos o que o CTB (Código de Trânsito Brasileiro) prevê para as infrações cometidas pelo condutor do caso que estamos analisando.

Por transitar sobre as marcas de canalização, o condutor pode receber multa por infração gravíssima, com fator multiplicador de 3 vezes de acordo com o art. 193 do Código de Trânsito. Isso pode resultar em R$ 880,41.

Dirigir com a CNH vencida há mais de 30 dias é classificado como infração gravíssima pelo CTB, no inciso V do art. 162. A multa para esse caso custa R$ 293,47.

No que diz respeito à condução de veículo sem portar os documentos obrigatórios, o Código prevê, no art. 232, multa por infração leve, resultando em R$ 88,38.

Por fim, por conduzir veículo não licenciado, o art. 230 do Código prevê multa por infração gravíssima, cujo valor você já conhece, ou seja, R$ 293,47.

Com isso, vejamos quanto pode custar uma multa somando as 4 infrações em questão:

880,41 + 293,47 + 88,38 + 293,47 = R$ 1555,73

Acredito que ninguém deve querer pagar tudo isso em multa de trânsito. Por isso, acho tão importante reforçar a necessidade de prestar atenção à situação do veículo e às determinações das leis de trânsito.

E isso é indispensável tanto se você for pessoa física ou jurídica. Caso você seja responsável por uma frota de caminhões, é importante estar atento a tudo o que se refere aos seus veículos.

Por isso, não deixe de ler a próxima seção deste artigo, na qual falarei a respeito da gestão de multas para frotas.

 

Gestão de Multas para Frotas

Você administra uma frota de caminhões? Tome cuidado para não acumular dívidas nos veículos.

Quero destinar essa seção do artigo àqueles que utilizam caminhões e outros veículos a trabalho, pois vou falar rapidamente sobre multas aplicadas em veículos cujo dono é pessoa jurídica.

As multas de trânsito são destinadas ao proprietário e, quando se trata de pessoa jurídica, a responsabilidade pelo pagamento é da empresa.

Com isso, é indispensável administrar bem as multas aplicadas em veículos que compõem frotas. Isso porque o acúmulo de dívidas nesses veículos pode gerar ainda mais problemas para a empresa.

Uma solução seria utilizar algum software para a gestão de multas para frotas, os quais podem ser encontrados na internet.

Essa organização pode reduzir os prejuízos da empresa. Por exemplo, caso esteja previsto no contrato assinado com o colaborador, pode ser que o motorista que cometeu a infração assuma a responsabilidade pela multa.

Outro ponto importante sobre a identificação do condutor infrator diz respeito à necessidade de identificar quem cometeu a infração quando a autuação se dá sem abordagem.

Caso a multa seja enviada ao proprietário do caminhão, mas nenhum infrator seja identificado, o proprietário está sujeito ao recebimento de multa NIC, aplicada a empresas quando situações como essa acontecem.

Além disso, não se pode esquecer que caminhões com multas não pagas ficam impossibilitados de ter o licenciamento anual renovado, conforme determina o parágrafo 2º do art. 131 do CTB.

O porte do Certificado de Licenciamento é obrigatório. Sendo assim, a legislação de trânsito prevê penalidades a quem se recuse a apresentá-lo à autoridade em caso de fiscalizações.

Segundo o art. 238 do CTB, quem se recusar a entregar o documento para averiguação estará sujeito à multa gravíssima, no valor de R$ 293,47, e apreensão do veículo.

Esses são apenas alguns dos motivos para que a empresa disponha de um sistema de gestão de multas para frotas.

O mais importante é que você tenha conseguido perceber a importância desse gerenciamento, de modo a evitar o acúmulo de dívidas nos caminhões, para que não elas não se transformem em uma verdadeira bola de neve quase impossível de resolver.

 

Conclusão

Cuidado para não atrasar dívidas em seu caminhão e, assim, evite problemas

Neste artigo, você pôde ler sobre caminhões com dívidas atrasadas. Espero que tenha sido esclarecedor.

O acúmulo de dívidas em qualquer veículo pode causar uma série de problemas, como multas e recolhimento do seu caminhão.

Por isso, não deixe de seguir as recomendações que trouxe para a realização de compra de caminhões usados.

Veja se ele tem dívidas atrasadas e procure a melhor forma de regularizar a situação do veículo antes de fechar o negócio.

Além disso, utilize o exemplo do caso ocorrido em São Paulo e procure estar sempre com o caminhão em dia, para não sofrer as penalidades previstas pelo Código de Trânsito.

Se você é dono de uma empresa e possui uma frota de caminhões, cuide de cada um deles para não ter prejuízos.

Para isso, cabe salientar que existe a possibilidade de recorrer de multas de trânsito para que elas não sejam acumuladas no histórico do seu caminhão.

O processo administrativo conta com 3 etapas: Defesa Prévia, 1ª e 2ª instâncias.

A defesa prévia deve ser encaminhada ao órgão responsável pela autuação. Caso sua defesa seja recusada, você pode recorrer nas duas instâncias seguintes.

Na 1ª instância, é preciso enviar o recurso à JARI (Junta Administrativa de Recursos de Infração). Porém, se for preciso recorrer em 2ª instância, sua contestação deve ser encaminhada ao CETRAN (Conselho Estadual de Trânsito).

Conte com minha ajuda e de toda a equipe de profissionais que trabalha comigo. Aqui no Doutor Multas temos vasta experiência em Direito de Trânsito.

Se quiser que eu faça uma avaliação gratuita do seu caso, envie cópia do auto de infração ou da notificação de penalidade para [email protected].

Você pode, ainda, ligar para 0800 6021 543 e conversar com um de nossos atendentes.

O que você achou deste artigo? Compartilhe com seus amigos e deixe seu comentário.

Caminhões com Dívidas Atrasadas: Compra, Financiamento e Muito Mais
5 (100%) 1 vote