Pesquisa Aponta Atitudes de Motoristas Brasileiros em Rodovia

Leia mais

Se você está acostumado a dirigir em autopistas, já deve ter percebido que cada região, por conta da geografia apresentada, oferece, aos motoristas, diferentes tipos de condições de tráfego.

Leia mais

Apesar disso, as atitudes dos motoristas brasileiros não diferem muito de um estado para outro.

Leia mais

Essa afirmação foi confirmada por meio do estudo realizado pela Arteris, uma das maiores companhias do setor de concessões de rodovias do Brasil em quilômetros administrados, com mais de 3.200 km em operação.

Leia mais

A companhia, que administra rodovias localizadas nos Estados de São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Santa Catarina e Paraná, trechos economicamente importantes para o país, realizou uma importante pesquisa.

Leia mais

Buscando verificar o comportamento dos motoristas, a Arteris lançou um estudo inédito para apurar as atitudes mais recorrentes dos brasileiros em rodovias.

Leia mais

O método utilizado para obter as informações, segundo a Arteris, foi igualmente proposto em países como a França, Espanha, Argentina, Chile e Porto Rico.

Leia mais

A pesquisa, apresentada em setembro de 2017, teve como objetivo conhecer os principais hábitos dos motoristas brasileiros para que fossem identificadas alternativas para conter os riscos de acidentes.

Leia mais

“Conhecer a fundo o costume dos usuários tem se revelado cada vez mais importante para desenhar e executar ações mais estratégicas para sensibilizar e provocar mudanças de comportamento no trânsito, reduzindo assim fatalidades”, afirmou o coordenador da pesquisa e também gerente da Arteris, Elvis Granzotti.

Leia mais

Neste artigo apresentarei, para você, os resultados da pesquisa e as condições gerais das rodovias conforme estudo realizado pela Confederação Nacional de Trânsito (CNT).

Leia mais

Conheça as Atitudes Apontadas e suas Penalidades

Leia mais

A pesquisa foi realizada pela Arteris na Rodovia Régis Bittencourt, que possui 401,6 quilômetros de extensão e liga duas das principais capitais do país: Curitiba e São Paulo.

Leia mais

A rodovia foi observada durante 7 dias, quando 82 mil veículos circularam pela autopista.

Leia mais

Os comportamentos dos condutores foram registrados por sensores fixados em pontos estratégicos da Régis Bittencourt e pelos pesquisadores que acompanharam, em tempo real, os motoristas.

Leia mais

Com a pesquisa, a Arteris pôde comprovar que as infrações cometidas por uma parcela dos motoristas contribuem para o aumento de situações de risco e podem estar gerando impactos nos índices de acidentes e mortes no trânsito.

Leia mais

As infrações cometidas se assemelham bastante às mais cometidas no último feriado de Ano Novo, conforme informações da Polícia Rodoviária Federal (PRF).

Leia mais

Abaixo, segue a lista das atitudes identificadas pela pesquisa.

Leia mais

Uso do celular ao volante

Estar atento ao trânsito é princípio básico para todo motorista. Entretanto, nem todos parecem perceber o tamanho dessa responsabilidade.

Leia mais

Conforme a pesquisa, 1,19% dos motoristas foram flagrados com o aparelho em mãos ao trafegar pela Régis Bittencourt no período observado.

Leia mais

Apesar das pesquisas de conscientização e dos aparelhos de fiscalizações utilizados para coibir essa atitude, parece que ainda há motoristas que não se sentem intimidados quanto ao uso dos celulares.

Leia mais

Ao ser realizado na França, o estudo flagrou 4,1% dos usuários manuseando o celular e, na Espanha, país meridional europeu, foram contabilizados 4,6%.

Leia mais

É possível perceber que, no Brasil, ao menos nesse trecho, os motoristas estão mais conscientes em relação ao uso, não é verdade?

Leia mais

Entretanto, ainda não há muitos motivos para comemorar.

Leia mais

Recente pesquisa apresentada no Estadão Jornal Digital aponta que metade dos brasileiros, mais precisamente 51,9%, ao ser questionada, confirmou o uso do aparelho enquanto dirige pelas vias do país.

Leia mais

Entre as principais desculpas apresentadas, está o uso de aplicativos (37,7%) e também a realização de chamadas importantes ou urgentes (36,1%).

Leia mais

Conforme o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), no Art. 252, dirigir o veículo com apenas uma das mãos, exceto quando deseja fazer sinais regulamentares de braço, é proibido.

Leia mais

E, se o motivo for o uso do celular, fica mais complicado ainda, pois o código estabelece essa atitude como infração gravíssima, cuja multa é R$ 293,47 e soma de 7 pontos no documento de habilitação.

Leia mais

Falta do uso das setas de sinalização

Leia mais

Se você está acostumado a conduzir em rodovias, talvez não fique surpreso com este dado da pesquisa: 57,7% dos condutores observados foram flagrados mudando de faixa sem utilizar as setas de sinalização.

Leia mais

Aliás, nesse dado fomos os “campeões”, pois na França foram 26% dos condutores analisados cometendo esse tipo de atitude. Na Espanha, 39% dos motoristas deixaram de se comunicar com os outros condutores ao não utilizarem as sinalizações.

Leia mais

Esse comportamento deve ser evitado, pois, além de aumentar as chances de acidentes, é previsto como infração, conforme o Art. 196 do CTB.

Leia mais

"Art. 196. Deixar de indicar com antecedência, mediante gesto regulamentar de braço ou luz indicadora de direção do veículo, o início da marcha, a realização da manobra de parar o veículo, a mudança de direção ou de faixa de circulação:

Leia mais

Infração - grave;

Leia mais

Penalidade - multa"

Leia mais

Por ser de natureza grave, a multa a ser paga é R$ 195,23, somando 5 pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH) do condutor.

Leia mais

Não usar o cinto de segurança

Este dado deixou até mesmo Granzotti, gerente da Arteris, surpreso.

Leia mais

Segundo o especialista, foi possível perceber que o uso do cinto de segurança está mais ligado ao medo de ser flagrado pela fiscalização do que por conta da segurança que ele fornece.

Leia mais

Um fato curioso é que apenas 1% dos condutores ignora o equipamento de segurança. Entretanto, 48% dos passageiros no banco traseiro não utilizaram o cinto no período observado.

Leia mais

Esse erro é grave, pois, em caso de acidente, os passageiros do banco traseiro serão impulsionados para frente, podendo ser projetados para fora do veículo.

Leia mais

Conforme informações apuradas pelo Portal R7, no Brasil, cerca de 140 pessoas perdem, por hora, a vida em acidentes de trânsito.

Leia mais

Ainda de acordo com o portal, o uso do cinto de segurança no banco dianteiro reduz 50% dos ferimentos fatais e 75% dos ferimentos graves no banco traseiro.

Leia mais

Na Espanha, conforme a Arteris, o uso do cinto de segurança é praticamente universal no banco da frente, mas 21,3% dos passageiros no banco de trás também deixaram de se proteger com o equipamento.

Leia mais

Você deve sempre lembrar que o motorista é responsável pela conduta dos passageiros e deve, portanto, alertar quanto ao uso do equipamento de segurança.

Leia mais

Condutor ou passageiro, ao não utilizar o cinto de segurança, conforme previsto no CTB, estará cometendo infração de natureza grave, recebendo como penalidade multa e uma medida administrativa, que prevê a retenção do veículo até que todos estejam utilizando o cinto.

Leia mais

Ultrapassar a velocidade permitida no local

Essa infração foi a mais cometida em todo o ano de 2017, inclusive nos feriados, e não poderia deixar aparecer nessa pesquisa.

Leia mais

Conforme a Arteris, 29,6% dos motoristas, ignorando o CTB e os órgãos de trânsito, circularam durante o período observado acima da velocidade.

Leia mais

Esse registro foi alto nos 3 países, pois na Espanha foram 38,3% dos condutores flagrados em alta velocidade e, na França, 41%.

Leia mais

No Brasil, a legislação aponta diferentes tipos de infrações, dependendo da velocidade apontada pelo agente de trânsito ou aparelho de fiscalização.

Leia mais

A natureza desse tipo de infração poderá ser média, se a velocidade tiver sido 20% superior à máxima permitida no local, ou grave, se o motorista trafegar com velocidade superior à máxima entre 20% e 50%.

Leia mais

Caso o motorista trafegue em velocidade superior à máxima em 50%, além da multa, que por ser infração gravíssima é no valor de R$ 880,41, o condutor tem o documento de habilitação apreendido e seu direito de dirigir suspenso.

Leia mais

Deixar de manter a distância mínima de segurança

O CTB estabelece, como medida de segurança, que os motoristas devam manter uma distância mínima entre o seu veículo e outro para que acidentes sejam evitados.

Leia mais

Entretanto, no período observado, na Rodovia Régis Bittencourt, 15,9% dos motoristas ignoraram a regra.

Leia mais

A Espanha registrou dado semelhante ao Brasil, já que 16,5% dos espanhóis não respeitaram a distância mínima. Na França, o dado foi ainda maior, já que 25% dos condutores não mantiveram a distância necessária.

Leia mais

Se você comete esse erro às vezes, saiba que a medida é para a sua segurança também, pois caso o carro à sua frente freie o veículo bruscamente, as chances de você ser envolvido em um acidente são grandes.

Leia mais

Além disso, não manter a distância é infração, pois o CTB estabelece a seguinte medida:

Leia mais

"Art. 192. Deixar de guardar distância de segurança lateral e frontal entre o seu veículo e os demais, bem como em relação ao bordo da pista, considerando-se, no momento, a velocidade, as condições climáticas do local da circulação e do veículo:

Leia mais

Infração - grave;

Leia mais

Penalidade - multa"

Leia mais

Quais as Condições Estruturais das Rodovias Brasileiras?

Leia mais

O transporte rodoviário no Brasil é a principal alternativa para a movimentação de cargas e pessoas, contribuindo de forma significativa para o desenvolvimento socioeconômico do país.

Leia mais

Conforme a Confederação Nacional do Transporte (CNT), que no ano de 2017 avaliou 105.814 km de rodovias, houve uma queda na qualidade do estado geral das rodovias brasileiras.

Leia mais

A CNT classificou como regular, ruim ou péssima 61,8% das rodovias. No ano de 2016, esse índice foi de 58,2%.

Leia mais

A pesquisa realizada pela confederação destacou, ainda, que, em 2017, 38,2% das rodovias foram consideradas em bom ou ótimo estado, enquanto que, em 2016, foram classificadas em boas condições 41,8% das rodovias.

Leia mais

Entre os aspectos apontados como ruins, a sinalização das rodovias foi o que mais apresentou deterioração.

Leia mais

Apenas 40,8% das autopistas pesquisadas apresentaram condições consideradas ótimas ou boas, mostrando a queda nas condições das rodovias, já que a pesquisa da CNT em 2016 considerou que 48,3% estavam em bom estado.

Leia mais

Quanto à sinalização, 59,2% das rodovias observadas pela CNT foram consideradas regulares, ruins ou péssimas.

Leia mais

Conforme o presidente da CNT, Clésio Andrade, essa queda na qualidade das rodovias brasileiras tem relação direta com um histórico de baixos investimentos em infraestrutura rodoviária e, também, com a crise dos últimos anos.

Leia mais

Em relação à qualidade do pavimento, a pesquisa indicou que 50,0%, ou seja, a metade, apresenta qualidade regular, ruim ou péssima. Em 2016, este percentual era de 48,3%.

Leia mais

Essa pesquisa, que pode ser conferida no site da CNT, foi realizada em 30 dias, por 24 equipes de pesquisadores, com 5 equipes de checagem.

Leia mais

Além da avaliação do estado geral do pavimento e da sinalização, a pesquisa apresenta informações sobre a geometria das vias, infraestrutura de apoio, como postos policiais, postos de abastecimentos, borracharias, concessionárias e oficinas de caminhões ou ônibus, restaurante e lanchonetes.

Leia mais

Conclusão

Leia mais

Como você pode perceber, as infrações cometidas diariamente nas rodovias não se diferenciam muito daquelas cometidas nos trajetos que circulamos em nosso cotidiano.

Leia mais

O uso do celular ao volante, o tráfego acima da velocidade permitida e a falta do uso do cinto de segurança são comuns até mesmo em rodovias, onde o trânsito pode ser mais intenso.

Leia mais

Apresentei também os dados apurados pela pesquisa da CNT que, ao avaliar as condições das rodovias brasileiras, constatou um triste fato: houve uma piora na qualidade.

Leia mais

E essas más condições podem levar qualquer motorista a cometer algum tipo de infração, pois uma rodovia má sinalizada poderá fazer com que ocorra uma colisão frontal ao não estar sinalizada uma curva perigosa, por exemplo.

Leia mais

Foi multado ao trafegar em uma rodovia  ou levou uma multa da ANTT e deseja recorrer? Entre em contato!

Leia mais

Fazemos uma análise prévia de seu caso gratuitamente.

Leia mais

Você costuma trafegar pelas rodovias do Brasil? Concorda com as informações das pesquisas?

Leia mais

Deixe aqui o seu comentário!

Leia mais

Referências:

Leia mais
  1. https://brasil.estadao.com.br/noticias/geral,metade-dos-brasileiros-admite-uso-do-celular-ao-volante-diz-pesquisa,70002015486
  2. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9503.htm
  3. https://noticias.r7.com/rio-de-janeiro/balanco-geral-rj/videos/uso-do-cinto-de-seguranca-reduz-ate-75-das-mortes-em-acidentes-de-transito-06022018
  4. https://www.cnt.org.br/
Leia mais

Gostou deste story?

Aproveite para compartilhar clicando no botão acima!

Esta página foi gerada pelo plugin

Visite nosso site e veja todos os outros artigos disponíveis!

Doutor Multas