Junta Homocinética: Conheça a Função da Peça e Cuidados Para a Sua Conservação

Foi multado? Não fique sem dirigir! Descubra agora como não perder a CNH e economizar:  Clique AQUI para receber uma consulta gratuita do seu caso com o Doutor Multas.

Esse nome pode lhe soar bastante incomum, mas a importância da junta homocinética para o bom desempenho do seu veículo é maior do que você imagina.

A junta homocinética está presente em todos os veículos de tração dianteira, ou seja, a maioria dos carros populares, e garante que essa tração possa ser transmitida às rodas do carro.

Em carros 4×4, a junta compõe tanto o eixo traseiro quanto o dianteiro do veículo.

A junta homocinética é uma peça simples, constituída por rolamentos que propiciam o equilíbrio de ângulo entre o semi-eixo e as rodas.

A peça, contudo, é pouco conhecida pelos motoristas, que só ouvem falar dela quando o carro é diagnosticado, na oficina, com o problema de desgaste de junta.

Por isso, neste artigo, gostaria de lhe apresentar um pouco mais sobre essa peça tão importante para que o veículo possa se locomover.

Mostrarei a você, primeiramente, algumas das características da peça e como elas atuam para o seu funcionamento.

Apresentarei, também, o modo como a junta homocinética funciona, transmitindo às rodas a tração determinada pelo câmbio.

Como toda peça de um veículo, a junta apresentará problemas com o decorrer do tempo. Por isso, listarei para você alguns dos sinais de que a peça precisa ser substituída.

Esses sinais de problemas são facilmente detectáveis e, como você verá, eles podem estar até em um barulho que o veículo faz ao andar.

A junta homocinética é uma peça de longa durabilidade, mas, se alguns cuidados não forem tomados pelo condutor, ela pode acabar apresentando um desgaste precoce.

Por isso, indicarei, também, o que pode gerar a deterioração da junta, para que você saiba como conservar por mais tempo essa peça essencial do seu veículo.

 

O Que É Junta Homocinética?

A junta homocinética é uma das peças essenciais para o funcionamento de um carro.

 

A junta homocinética, tratada apenas como junta, ou junta CV, pela maioria das pessoas que trabalha com ou conhece peças de veículos, tem uma atuação muito importante para o funcionamento do veículo.

A função da junta homocinética é transmitir para as rodas a tração do veículo, determinada pelas marchas, para que o carro tenha maior ou menor força ao se locomover.

Em resumo, é a junta que permite que as rodas girem e, recebendo força, façam o veículo andar.

Sem as juntas homocinéticas, não seria possível transmitir a tração às rodas do veículo quando elas estão esterçadas ou quando recebem impacto de irregularidades da pista.

A junta fica localizada entre a transmissão e os eixos de transmissão, os quais são ligados às rodas pelas juntas externas.

Elas estão presentes nas duas extremidades dos eixos e tem a função de conferir estabilidade ao veículo, transferindo a tração para as rodas de forma constante.

Não haveria, sem a atuação da junta, transferência de tração quando o eixo de transmissão assume um ângulo diferente do ângulo das rodas.

Ela é quem recebe a força e a converte às rodas, independente de como elas estejam se movimentando. Isto é, independente de para que lado e direção se colocam enquanto o veículo se movimenta.

Por esses motivos, a junta homocinética é considerada uma peça tão importante em um carro. No entanto, ao pensar em manutenção do veículo, a maioria dos condutores acaba não se lembrando de verificar seu estado de conservação.

Mesmo que sua vida útil seja longa, sempre que possível, ao realizar a manutenção de seu automóvel, verifique se a junta está em bom funcionamento.

Se você costuma investir na personalização do seu carro, também é importante, na hora de realizar as modificações, estar atento para que uma alteração na suspensão não prejudique o funcionamento da peça.

 

Como funciona a junta homocinética?

A junta homocinética possui uma forma afunilada e, dentro dela, podem ser observadas cavidades ou “caminhos” nos quais algumas esferas trabalham.

Dentro da junta, existe a gaiola, local em que as esferas estão encaixadas lado a lado para trabalharem nas cavidades e permitirem que a junta atribua estabilidade ao veículo.

Clique AQUI e baixe grátis o PDF de como recorrer de multas de trânsito em 2020

As esferas atuam continuamente para que, em pistas irregulares, o veículo não perca o desempenho pelo desalinhamento das rodas com o eixo.

Cada junta conta com seis esferas, que variam de tamanho de acordo com o modelo da peça. Ao girarem, as esferas equilibram o ângulo do cubo da roda em relação ao semi-eixo.

Se houvesse uma ligação entre essas duas partes do veículo sem um mecanismo de ajuste de ângulo, certamente a força não seria transferida de uma para a outra com a mesma eficácia.

Dentro da junta, há, ainda, o núcleo. Ele também é marcado com caminhos em sua superfície externa, nos quais as esferas deslizam.

O núcleo é uma peça pequena e circular, com um orifício central estriado em que o semi-eixo se encaixa. O núcleo se movimenta dentro da junta para conferir a força necessária à roda.

A junta homocinética conta também com a coifa, que se encaixa na parte externa da peça em direção ao semi-eixo. Ela protege os componentes de sujeira e de produtos que possam prejudicar a lubrificação das peças e impedir o funcionamento correto da junta.

Abaixo, de acordo com o que nos mostra o Tuning Parts, você verá como acontece o funcionamento da junta homocinética, garantindo que o veículo tenha tração e estabilidade para se deslocar.

Como identificar problemas na junta homocinética?

Ao apresentar problemas, a junta emitirá ruídos e sinais no veículo que podem ser facilmente identificados.

 

A durabilidade da junta homocinética costuma ser longa, sendo necessária uma revisão entre 5 mil e 10 mil quilômetros rodados.

Quando desenvolve algum problema decorrente de desgaste por uso, a junta gera barulhos quando o carro está em movimento ou quando as rodas são esterçadas, como em curvas mais fechadas ou ao manobrar o carro.

Alguns sinais de que a junta apresenta problemas também podem ser visualizados e não apenas ouvidos. A peça pode apresentar problemas quando forem detectados pingos de graxa em seu interior.

Os pingos de graxa são indicativo de que a coifa pode estar danificada, permitindo que a lubrificação da junta escape e sujeira e abrasivos entrem em contato com os rolamentos da junta.

Os sinais que indicam problemas na junta são bastante simples de serem identificados, e resolvê-los também não exige que o carro fique muito tempo na oficina.

Em geral, quando a junta apresenta sinais de que algo não vai bem, é o momento de realizar a sua substituição, pois, a maioria dos problemas apresentados pelas juntas é decorrente do tempo de uso.

Clique AQUI e baixe grátis o PDF de como recorrer de multas de trânsito em 2020

O desgaste da peça fará com que as esferas fiquem danificadas e já não mais se desloquem livremente pelos espaços em que devem rodar. O dano nas esferas é originado, principalmente, pela entrada de sujeira, resultante de fendas na coifa protetora.

Por isso, em uma peça desgastada, é inevitável que se tenha uma deterioração interna. Ainda que o desgaste gere problemas apenas na coifa, é ela que protege a junta contra a ação de fatores externos.

Se a peça apresentar algum rasgo, certamente a parte interna da junta será danificada por terra ou outros produtos que podem se tornar abrasivos.

 

Evitando Problemas na Junta Homocinética

Cuidados com modificações na suspensão e com a forma de trocar as marchas, por exemplo, podem aumentar a durabilidade da junta.

Já lhe disse anteriormente que a junta homocinética é uma peça de bastante durabilidade no veículo.

Contudo, para que ela tenha a durabilidade esperada, é preciso tomar alguns cuidados com o veículo.

O primeiro deles é manter a geometria do veículo conforme a configurada originalmente. Se a geometria for modificada e não estiver mais de acordo com a configuração de fábrica, pode haver um desgaste precoce da peça.

Outro cuidado que afeta diretamente o funcionamento da junta homocinética do seu veículo está relacionado à cambagem do automóvel.

A cambagem é o alinhamento do ângulo das rodas em posição vertical. Se elas estiverem posicionadas muito para dentro ou para fora em relação à linha reta que segue o veículo, pode haver alteração no ângulo adequado para o funcionamento das juntas, gerando defeitos com poucos quilômetros rodados.

Um terceiro cuidado que se deve ter para a boa conservação da junta homocinética é com a coifa que protege a lubrificação do veículo e com a graxa de lubrificação.

Quando você julgar necessária a troca da junta do seu veículo, mesmo que a coifa não apresente defeitos visíveis, é importante que seja feita a sua substituição. Uma coifa que apresente rasgos pode fazer com que detritos entrem na junta e a danifiquem.

Da mesma forma, a graxa aplicada na junta é componente importante para seu funcionamento. Quando for feita a troca da peça, a graxa deve ser reaplicada, mesmo que pareça ser um serviço desnecessário.

Só uma junta bem engraxada permitirá que as esferas girem de forma a manter a estabilidade do veículo.

Em resumo, no ato de troca da peça, todos os itens que a acompanham devem ser substituídos, para que não haja risco de problemas maiores causados por reparos mal feitos.

Para que a junta homocinética apresente maior durabilidade, o peso que o veículo carrega também é fator determinante. Cargas em excesso podem diminuir bastante a sua vida útil.

Por fim, a forma de conduzir também pode danificar a junta. As arrancadas bruscas são grandes inimigas da junta homocinética, pois causam seu desgaste precoce.

Outro hábito que pode aumentar o desgaste da junta é o alongamento das marchas, praticado por alguns motoristas, principalmente, em estradas.

Alongar as marchas pode ser possível para o veículo pensando na potência do motor. Contudo, para a junta homocinética, isso pode ser um problema, pois também traz, como consequência, arrancadas bruscas.

Todos os cuidados com a peça são, de fato, bastante necessários, dada a importância da junta para a boa locomoção do veículo.

 

Conclusão

Ao realizar a revisão do veículo, é essencial verificar as condições de funcionamento da junta.

A junta homocinética, como você viu, apesar do nome pouco conhecido, é uma peça que todos os veículos possuem, os de tração dianteira, apenas em 2 rodas e os 4×4, nas quatro rodas.

De acordo com o que lhe apresentei, você pôde ver que a durabilidade da junta pode ser bem longa, desde que sejam tomados alguns cuidados específicos.

Os cuidados para a conservação da junta são responsabilidade de quem dirige o veículo. Fora isso, os problemas na junta homocinética surgirão, certamente, pelo tempo de uso da peça.

Além disso, você também viu a composição da peça e conheceu o seu modo de funcionamento, que permite a transmissão da tração às rodas.

O trabalho conjunto de todos os componentes da junta é o que propicia que a força ditada pelo câmbio chegue às rodas para que o veículo ande.

A funcionalidade da junta, de acordo com o que lhe mostrei, é bastante simples, assim como a identificação dos problemas que ela pode apresentar.

Dessa forma, espero que você tenha aprendido um pouco mais sobre essa peça tão importante do seu carro e fique mais atento a possíveis problemas.

Caso você ainda tenha dúvidas sobre o que é a junta homocinética e como se dá o seu funcionamento, deixe seu comentário.

Se este artigo lhe ajudou a conhecer uma das peças essenciais do seu carro, compartilhe-o com seus amigos para que eles também saibam o que é uma junta homocinética e as funções que essa peça desempenha para o bom funcionamento de seu veículo.

Referências:

  1. https://blog.nakata.com.br/junta-homocinetica-entenda-tudo-sobre-a-peca/
Foi multado? Não fique sem dirigir! Descubra agora como não perder a CNH e economizar:  Clique AQUI para receber uma consulta gratuita do seu caso com o Doutor Multas.