Você Faz a Troca de Marcha da Forma Certa? Descubra Agora

Última atualização em

troca de marcha motor ignicao

Você já pensou que talvez não faça a troca de marcha da forma correta?

Entre os mais experientes, há quem acredite que consiga “ouvir” o motor para acertar no tempo de marcha.

Mas isso ao elevar a velocidade. E como reduzir a marcha do carro na hora certa?

Agora, a questão já se torna um pouco mais complicada, não é mesmo?

A verdade é que muitos motoristas procuram saber qual a melhor rotação do motor para economizar combustível.

Eles acreditam que passar a marcha no tempo certo, seguindo a rotação ideal para mudança de marcha, pode ser eficaz para reduzir o consumo.

Mas não é apenas sobre a velocidade certa para cada marcha que vou falar neste artigo.

O assunto hoje também é o câmbio para troca de marcha.

Vou esclarecer as principais dúvidas que condutores de carros e motos têm sobre o assunto.

O momento perfeito de passar a marcha será abordado no texto, mas também vou falar sobre o funcionamento do câmbio automático.

Afinal, o que acontece quando o câmbio automático não engata marcha?

E no câmbio manual, quais são os erros e acertos do motorista quando está trocando marcha?

Não sabe como trocar a marcha da moto? Falarei sobre isso também.

Por isso, se você quiser tirar suas dúvidas sobre a troca de marcha, não deixe de ler este artigo até o final.

Boa leitura!

Quando a Troca de Marcha Deve Ser Feita

troca de marcha quando deve ser feita
Você talvez esteja em busca de uma resposta pronta

Se todos os carros e motos trocassem de marcha a cada 30 km/hora, por exemplo, a tarefa do condutor estaria facilitada.

Ele pegaria o volante de qualquer veículo e já saberia o que fazer para a troca de marcha.

No entanto, isso muda conforme o modelo do automóvel ou da motocicleta.

Acontece que não é possível existir uma regra universal para a troca de marcha, pois os veículos apresentam câmbios diferentes.

Por exemplo, alguns têm quatro marchas, enquanto outros apresentam até seis.

Para quem está tirando a primeira habilitação, a troca de marcha é um assunto que gera preocupações.

O medo de errar ao passar a marcha costuma ser grande.

Conforme o tempo passa, o motorista já não precisa mais olhar para o câmbio para saber em qual marcha está.

Só esse fato já representa uma pequena conquista, não é mesmo?

Mas saiba que até quem é experiente por vezes “erra” a marcha. Então, fique tranquilo.

Voltando à questão central deste tópico, para descobrir quando fazer a troca de marcha, uma boa estratégia é observar o conta-giros.

É bastante provável que seu carro tenha esse instrumento no painel, mesmo que o modelo seja básico.

Você pode observar que, em geral, ele vai do 1 ao 8, ou próximo disso.

Ao multiplicar por 1.000, você tem o número de giros do motor por minuto. Quanto mais alto o número, mais ele se aproxima da cor vermelha.

Nesse caso, muita atenção: o vermelho é inimigo do seu carro.

Giros muito altos são inadequados para o motor. Isso acontece quando se tenta “esticar” a marcha.

Pode ser útil em situações específicas, como ao reduzir marcha para realizar uma ultrapassagem.

Já no dia a dia, se você andar muito tempo em primeira marcha e alongar a arrancada, por exemplo, esse giro alto é prejudicial.

Talvez não gere problemas imediatos, mas tenha a certeza de que a vida útil do motor, da caixa de câmbio e da embreagem será reduzida de forma significativa se você dirigir assim.

Então, ao observar o conta-giros, você vai perceber que, em velocidades adequadas à marcha, ele se posiciona por volta de 2.000 giros. Por volta de 3.000 giros costuma ser um bom momento para a troca.

Conforme se aproxima de 4.000 giros, já representa esticar demais a marcha.

Mas vale lembrar que isso muda de veículo para veículo e tem a ver, inclusive, com a potência do seu motor.

E a troca de marcha com o ouvido, como se faz? Falarei sobre isso a seguir.

Audição ajuda na troca de marcha

Caso o seu veículo não tenha conta-giros, preste atenção em algumas dicas para você aprender a “ouvir” o motor.

O segredo está em ouvir como o motor se comporta conforme acelera.

Com o carro parado e sem marcha engatada (ou seja, no neutro), você pode pisar levemente no acelerador para identificar o seu barulho característico.

O som deve ser muito próximo do que você vai ouvir se esticar demais a marcha, ou engatar uma marcha abaixo daquela que deveria estar sendo usada no momento.

O ronco do motor será muito mais alto do que deveria. Mas fique atento à situação oposta.

Ou seja, quando o motor fica falhando, com um som parecido com o de latas batendo e alguma trepidação no volante, é sinal de que você está em uma marcha acima da que deveria.

Mas por que isso?

Cada marcha é feita para desempenhar uma força específica.

Por exemplo, a primeira, como é feita para a arrancada, precisa de muito mais força, logo, ela funciona em uma velocidade menor.

Assim, se você tentar usá-la em uma velocidade maior, irá causar problemas para o seu carro.

O mesmo vale para a quinta marcha. Ela é feita para alta velocidade e, se você a engatar a 30km/h, seu carro vai ficar falhando.

Então, pode ser que você esteja se perguntando qual a velocidade ideal para cada marcha.

Para descobrir, leia a próxima seção deste artigo.

 

Velocidade Ideal Para Cada Marcha

troca de marcha velocidade certa
É possível estimar uma velocidade certa para o marcha ser trocada

Você viu no tópico anterior que o conta-giros é um ótimo instrumento para guiar a troca de marcha.

Mas tem como usar essa dica com o velocímetro?

Infelizmente, não. E a explicação é simples.

Um carro 1.0 vai exigir a troca de marcha em velocidades abaixo do que acontece em um carro de motor 1.8, por exemplo.

Na prática, o seu conta-giros vai chegar antes aos 3.000 giros.

Mas é possível seguir uma média, se você quiser se guiar pela velocidade certa para cada marcha.

Para tanto, acho útil comentar as dicas do especialista em sistema de transmissão, Ricardo Lopes da Fonseca, conforme esta reportagem do site G1.

Segundo o especialista, estas são as velocidades para a troca de marcha dentro da cidade:

  • 2ª marcha: ao atingir 20 km/h;
  • 3ª marcha: entre 30 e 35 km/h;
  • 4ª marcha: entre 45 e 50 km/h; e
  • 5ª marcha: em 60 km/h.

Lembrando que essa é uma estimativa e que o objetivo é que a troca de marcha não prejudique o desempenho do motor e favoreça o menor consumo de combustível.

Na estrada, os valores mudam. Veja, a seguir, o que o especialista sugere se você for dirigir em estrada cujo limite de velocidade for de 120 km/h:

  • acelerar em 3ª marcha até atingir 60 km/h;
  • usar a 4ª marcha até os 90 km/h; e
  • mudar para a 5ª marcha até os 120 km/h.

Agora, você sabe o momento mais adequado para trocar a marcha quando estiver dirigindo.

E para fazer a troca de marcha na moto, o que é necessário saber?

Explicarei a seguir.

Como Passar a Marcha na Moto

troca de marcha como passar na moto
O funcionamento das marchas na moto é diferente do carro

A troca de marcha na moto tem suas características específicas.

Primeiramente, considero importante comentar quais são as partes indispensáveis para trocar a marcha em uma moto com transmissão manual.

  • Acelerador, que fica na manopla da mão direita.
  • Câmbio, que fica junto à manopla da mão esquerda e lembra o freio.
  • Seletor de marchas, que é uma barra que fica em frente ao pé esquerdo.

Mas, então, como passar a marcha na moto? É importante que você aprenda a “ouvir” o motor, assim como sugerido com o carro.

O som dela quando pede a troca de marcha é ainda mais estridente que o do automóvel.

Da mesma forma, os solavancos quando ela está acima da marcha ideal também são maiores.

Ou seja, é ainda mais fácil de perceber quando é preciso trocar a marcha na moto.

A dica é treinar bem a audição, pois com o tempo será algo natural para você.

Veja, a seguir, como fazer a troca em sua motocicleta.

Como fazer a troca de marcha na moto

A partir de agora, vou explicar como trocar a marcha na moto.

Fique atento aos passos a seguir, e verá que não terá erro!

  1. Primeiro, você precisa apertar a alavanca de embreagem, como faria com o pedal de embreagem do carro;
  2. Quando fizer isso, baixe o acelerador, para a moto não ficar acelerando enquanto você faz a troca;
  3. Pise no seletor de marcha para fazer a redução ou empurre-o para cima para aumentar;
  4. Solte a embreagem devagar;
  5. Depois, gire o acelerador para aumentar o giro.

É importante que você faça tudo em uma velocidade constante. Evite soltar a embreagem toda de uma vez ou acelerar com tudo.

Normalmente, a primeira marcha da moto fica para baixo, enquanto as outras marchas ficam para cima no seletor.

O ponto morto costuma ficar entre a primeira e a segunda marcha. Lembre-se de que a moto precisa estar em ponto morto para que você possa ligá-la.

Viu como é simples?

Agora que você já sabe como trocar a marcha em carros e motos, é interessante saber como fazer isso em outros veículos.

Você dirige ônibus ou caminhões? Se sua resposta for positiva, então a próxima seção deste artigo é ideal para você!

Troca de Marchas em Outros Veículos

troca de marcha outros veiculos
Se você não tem um carro ou uma moto, e quer saber como fazer a troca de marcha, temos uma dica para você

Assim como os automóveis têm câmbios diferentes, não é admirável que veículos de outros tipos também apresentem suas especificidades no que se refere à troca de marcha.

Em veículos mais pesados, o som do motor quando acusa a necessidade de marcha não é igual ao realizado pelo automóvel ou pela moto.

Na caixa dos veículos pesados, existe uma alavanca no próprio câmbio. Para baixo, a marcha é reduzida; para cima, você tem a marcha simples.

É aconselhável sempre engatar a marcha reduzida primeiro. Funciona como em um carro, pois você vai precisar pisar na embreagem para fazer a marcha.

Hoje em dia, os caminhões possuem um sistema inteligente, que só engata a marcha reduzida quando você pisa na embreagem.

No painel do veículo, é possível observar uma luz, que indicará se a marcha reduzida está ou não engatada.

Já o câmbio dos ônibus é muito semelhante ao do carro.

Você só terá que aprender a ouvir o motor. Assim como o caminhão, que é mais pesado, o ônibus também irá pedir marchas em momentos diferentes.

Você já deve ter notado que, para fazer a troca de marcha corretamente, é necessário prestar muita atenção.

Mas saiba que esses cuidados são importantes para além disso, pois podem ajudá-lo a perceber problemas com o câmbio do seu veículo.

Para saber quais problemas o câmbio pode apresentar, leia a seção a seguir.

 

Problemas Que o Câmbio Pode Apresentar

troca de marcha problemas cambio
Saiba quais os principais problemas envolvendo o câmbio e como preveni-los

A partir de agora, você vai conhecer alguns problemas que o câmbio do seu veículo pode apresentar.

Alguns deles estão diretamente relacionados à troca de marcha. Por isso, fique atento à lista a seguir.

  1. Cheiro de queimado

O primeiro problema é um cheiro de queimado, principalmente em marchas lentas. Isso pode significar alguns problemas. Entre eles, superaquecimento do câmbio.

O baixo nível de óleo também pode ser uma causa. Se você sentir esse cheiro, leve seu veículo a um mecânico especializado.

  1. Marchas que não encaixam

O segundo problema é a falha no encaixe das marchas.

Normalmente, isso ocorre por falta de óleo. Contudo, essa falha pode ser por outros problemas. Por isso, leve a um especialista.

  1. Ruídos estranhos

Se ruídos estranhos são percebidos mesmo em ponto morto, fique atento.

Normalmente, isso é gerado por falha mecânica ou óleo com baixa viscosidade. Mais uma vez, leve ao seu mecânico.

  1. Marcha que desencaixa sozinha

Se a marcha desencaixa sozinha, isso pode significar um desgaste nas engrenagens do câmbio ou até mesmo problema na embreagem.

  1. Patinagem

Se isso ocorrer, leve seu veículo para revisão. Talvez seja necessário trocar a embreagem.

  1. Vazamento de óleo

Um problema simples de resolver, mas que causa muita dor de cabeça.

  1. Trancos ao fazer a troca de marcha

Normalmente, um mecânico resolve isso rapidamente. Então, não perca tempo.

Uma forma de evitar problemas é levar o veículo ao mecânico regularmente, para fazer revisões.

Sobre isso, falarei melhor no próximo tópico.

Lembre-se de fazer as revisões periódicas

De quanto em quanto tempo você deve levar seu veículo para a manutenção preventiva?

Para saber a resposta, basta consultar o manual do proprietário.

Via de regra, isso deve ser feito a cada meio ano, ou a cada dez mil quilômetros percorridos; o que chegar primeiro.

Além dos problemas relatados, há outros aos quais você precisa ficar atento se possui um automóvel com câmbio automatizado.

Nele, a manutenção mais recorrente é a troca de embreagem. Outro problema comum afeta o “robô” que troca as marchas.

Por isso, a cada 70 ou 80 mil quilômetros rodados, é importante fazer uma verificação.

Lembrando que câmbios automatizados possuem embreagem, tendo todo o sistema idêntico ao de um câmbio manual, com a exceção de que é um robô que faz a troca de marchas.

No câmbio automático, o sistema muda. As trocas de marchas são mediadas por conversores de torque.

Além disso, existem engrenagens planetárias que são combinadas por meio de dispositivos hidráulicos.

Problemas nesse tipo de câmbio são mais raros. Entretanto, quando ocorrem, os reparos costumam ser bem mais caros.

E falando em câmbio automático, ele engata marcha? Leia o próximo tópico e descubra!

 

 

Câmbio Automático Não Engata Marcha

troca de marcha cambio automactico nao engata
Você conhece o funcionamento do câmbio automático?

Conforme comentei anteriormente, o câmbio automático possui um conversor de torque.

Diferentemente do câmbio automatizado, no qual um “robô” faz a troca das marchas, no automático, não há esse encaixe.

Por isso, nesse tipo de câmbio, você não vai sentir a troca da marcha.

Mas por que não engata marcha no automático? A explicação é bem simples.

Sabe aquele conjunto de engrenagens planetárias das quais falei?

Nele, existem três componentes principais, que são as engrenagens planetárias propriamente ditas, uma engrenagem coroa e a engrenagem solar.

Todas as engrenagens planetárias giram ao redor da engrenagem solar. De fato, lembram planetas girando ao redor do sol.

Então, nesse sistema, o conversor de torque vai identificando a rotação e a velocidade.

É com base nessa informação que ele modifica o movimento dessas engrenagens.

Isso altera o desempenho do veículo e muda a marcha, obviamente, sem precisar engatá-la.

Ou seja, é um sistema mais suave, apesar de mais complexo.

Antes de finalizar este artigo, ainda falta saber qual a melhor rotação do motor para economizar combustível.

Por isso, não deixe de ler a próxima seção.

Qual a Melhor Rotação do Motor para Economizar Combustível

troca de marcha qual a melhor rotacao economizar
A rotação do motor tem ligação direta com a troca de marchas

Em época de crise, uma das principais perguntas da maioria dos brasileiros é: como economizar combustível?

Será que a troca de marcha pode ajudar nesse sentido?

Em matéria publicada no  , o professor técnico em automobilística do Senai, Melsi Maran, afirma que cada motor possui uma faixa ideal de força, de modo a buscar o melhor desempenho e maior economia.

O que falei anteriormente sobre os dois a três mil giros para a troca de marcha continua valendo neste caso.

Essa é uma rotação que aumenta a durabilidade do motor, do câmbio e da embreagem, além de economizar combustível.

Para economizar ainda mais combustível, evite aceleradas bruscas e dirija de forma que a rotação não fique muito alta, aproximando-se dos seis mil giros, por exemplo.

Outro aspecto importante diz respeito aos carros com injeção eletrônica.

Eles não poupam combustível quando você anda em ponto morto, sem marcha engatada. Pelo contrário, eles gastam mais.

O sistema de injeção eletrônica é “inteligente” e libera combustível de acordo com a necessidade.

No entanto, quando o carro está em ponto morto, essa leitura não é feita e ele acaba mandando combustível mesmo em situações em que não necessitaria.

Por isso, não ande na “banguela”.

Além de não ser nada efetivo quanto ao consumo de combustível, aumenta o risco para você e sua família, pois o carro terá menos estabilidade e não contará com freio motor.

E tem mais: diminui a vida útil dos freios, que irão esquentar demais. Ou seja, essa prática não vale mesmo a pena.

 

Conclusão

troca de marcha forma certa
Aproveite as dicas e previna-se de problemas futuros!

Neste artigo, você ficou sabendo tudo sobre a forma correta de fazer a troca de marcha.

Espero ter ajudado a tirar dúvidas que você tinha a respeito do assunto.

Não se esqueça de sempre prestar atenção aos sons emitidos pelo seu veículo, pois essa é uma boa estratégia para saber o momento certo para trocar a marcha.

Resumindo, é muito importante que você conheça seu veículo, para entender os sinais que ele enviará a você.

Se você é motociclista, não deixe de seguir o passo a passo que trouxe neste artigo para fazer a troca de marcha de maneira certa.

Além disso, considere a sugestão de fazer revisões no veículo periodicamente, a fim de evitar os problemas mencionados.

Você entendeu por que o câmbio automático não engata marcha? Deixe seu comentário se ficou com dúvidas.

Por fim, siga as dicas que eu trouxe no final do artigo. Assim, você economizará combustível, evitando gastos desnecessários.

Se este artigo lhe foi útil, compartilhe-o com seus amigos, e mostre a eles como fazer corretamente a troca de marcha.

Referência:

  1. https://autopapo.com.br/noticia/cambio-automatico-uso-manutencao-funcionamento/
  2. https://www.noticiasautomotivas.com.br/o-que-e-conta-giros-como-utilizar-como-funciona/
  3. https://www.carrodegaragem.com/como-passar-marcha-carro-moto-tempo-certo/
  4. http://g1.globo.com/Noticias/Carros/0,,MUL764121-9658,00-VEJA+COMO+TROCAR+A+MARCHA+DO+CARRO+NA+HORA+CERTA.html
  5. http://blog.carcheck.com.br/carcheck/ponto-morto-tire-aqui-suas-duvidas-2
  6. https://autopapo.com.br/noticia/calendario-de-manutencao-preventiva-de-carros/
Foi multado? Não fique sem dirigir! Descubra agora como não perder a CNH: Clique aqui para ter uma CONSULTA GRATUITA com o Doutor Multas.