É Possível Ganhar Dinheiro Com Aplicativos de Entrega de Moto?

O que você sabe sobre aplicativos de entrega de moto? Já utilizou esse serviço? Melhor ainda: já pensou em trabalhar neste ramo?

Conforme pesquisa realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), reportada pelo GP1, mais da metade dos consumidores brasileiros com acesso à internet (59%) já utilizou algum app para fazer compras (seja de comida ou de outros objetos).

A pesquisa apontou, ainda, que 27% dos entrevistados faz isso todos os dias. Essas informações mostram que as entregas de moto são bastante utilizadas e que este ramo tende a seguir crescendo.

Isso porque, além da garantia de que sempre haverá consumidores dos mais diversos produtos (principalmente de alimentos), as pessoas priorizam, cada vez mais, a comodidade em suas vidas – e nada mais cômodo do que comprar por um app, não é mesmo?

Portanto, elaborei este artigo pensando em reunir o maior número de informações possível sobre aplicativos de entrega de moto.

Aqui, você verá não somente quais são os melhores apps e como eles funcionam, mas também terá um panorama do que é necessário para trabalhar neste ramo (pré-requisitos, cadastro etc.).

Então, siga comigo, que farei o possível para tirar todas as suas dúvidas e curiosidades sobre o assunto.

 

O Que São Aplicativos de Entrega de Moto?

Veja alguns dos aplicativos de entrega de moto mais utilizados

Muitas atividades do dia a dia, atualmente, podem ser realizadas por meio de aplicativos de entrega.

A praticidade que esse mecanismo oferece é um dos principais motivos pelos quais o número de usuários cresce cada vez mais.

Afinal, quem nunca recebeu algo em sua casa entregue por um motociclista/motoboy?

A diferença é que esse serviço também se modernizou.

Durante muito tempo, era necessário que o entregador fosse contratado por alguma empresa específica para poder realizar o trabalho, ou seja, deveria haver um vínculo entre empregador e empregado.

Outra forma de contrato de entregadores era (e ainda pode ser) por meio de empresas que terceirizam funcionários que prestam esse serviço.

Nesse caso, torna-se necessário estabelecer um contrato, assim como estar ciente da cobrança de taxas mensais de manutenção e até mesmo períodos de fidelização.

Mas, como mencionei anteriormente, esse ramo de trabalho tornou-se mais moderno, a fim de atender as demandas do cotidiano dinâmico da sociedade atual.

Hoje, é possível encontrar esse serviço com apenas alguns cliques.

São os aplicativos de entrega que promovem mais acessibilidade, tanto para quem quer utilizar o serviço quanto para quem opta por trabalhar com ele.

Um dos pontos positivos dessa tecnologia é que ela é capaz de aumentar o número de demandas, o que, consequentemente, tende a gerar mais receita – para o gerenciador do aplicativo e para o profissional que trabalha por meio dele.

Além disso, o funcionamento dos apps é bastante simples (semelhante ao da 99, por exemplo), o que o torna acessível a todo tipo de público.

Na próxima seção, apresentarei uma lista com os cinco aplicativos de entrega de moto mais utilizados, explicando suas vantagens e funcionamento.

 

Rappi

O Rappi é um dos apps de entrega mais completos disponíveis no mercado. Isso porque tudo pode ser entregue por meio dele.

A plataforma disponibiliza desde cardápios de restaurantes, itens de supermercado e lojas, até a opção “qualquer coisa”.

Nessa categoria, definitivamente, qualquer coisa pode ser entregue no local desejado, desde que possa ser carregado em uma motocicleta.

Imagine a situação de chegar ao trabalho e lembrar que esqueceu um pertence importante em casa.

Com o Rappi, isso deixa de ser um problema, porque ele pode levar o que for até você.

Em todas as categorias – Restaurantes, Lojas, Qualquer Coisa, Cash e Entregas –, o pagamento pode ser realizado via cartão de crédito, PayPal (serviço de pagamento online) ou em dinheiro.

Para tornar-se um entregador do Rappi, basta realizar o cadastro pelo site oficial da empresa.

O app está disponível para as maiores cidades brasileiras, como São Paulo, Florianópolis e Rio de Janeiro, nas versões para Android e iOS.

É importante mencionar que cada entrega realizada garante o valor mínimo de R$ 6,90 para distâncias de até 3 km.

 

Loggi

Também disponível em versões para Android e iOS, o Loggi é um aplicativo de entrega de moto em que o usuário pode solicitar, ao entregador, o envio de algum documento ou objeto.

Ele está disponível nas seguintes cidades:

  • São Paulo
  • Rio de Janeiro
  • Belo Horizonte
  • Curitiba
  • Porto Alegre
  • Recife
  • Campinas
  • Salvador
  • Brasília
  • Santos
  • São José dos Campos
  • Manaus

O preço pago por corrida varia conforme a distância, e o pagamento pode ser feito por cartão de crédito cadastrado na plataforma.

 

Rapiddo

O Rapiddo é um aplicativo de entrega pioneiro no segmento “SuperAPP” – que reúne diversas funcionalidades em um só lugar.

Com pouco mais de dois anos no mercado, já são mais de dois milhões de usuários.

O principal objetivo da plataforma é atrelar duas importantes economias: de tempo e de dinheiro, oferecendo um serviço rápido e barato.

Por se tratar de um SuperAPP, os usuários ainda contam com o bônus de economizar espaço na memória do celular, uma vez que um único cadastro é realizado.

Ficou curioso para saber o que o aplicativo oferece, não é mesmo?

O Rapiddo conta com serviço de “Almoço no trabalho”, em que seu pedido pode ser entregue todos os dias na hora marcada. Porém, essa opção fica restrita às principais regiões de São Paulo.

Além disso, se seu desejo for transportar passageiros, o app conta com uma parceria com a 99.

E os benefícios não param por aí.

Caso necessite de recarga de celular, o Rapiddo também pode realizar o pagamento para as principais operadoras do Brasil.

 

Click Entregas

O Click Entregas é um aplicativo que oferece vastas opções ao cliente.

Para você ter uma ideia, as entregas podem ser realizadas em diversas modalidades: a pé, de bicicleta, de carro, moto, van ou caminhão baú.

Além disso, o aplicativo é internacional, presente em 10 países, além do Brasil: Rússia, Índia, México, Coreia do Sul, Indonésia, Turquia, Malásia, Vietnã, Filipinas e Tailândia.

Utilizando o Click Entregas, o cliente sabe, de antemão, quanto irá pagar pela corrida e o tempo estimado de chegada.

Em relação ao pagamento, ele pode ser efetuado em dinheiro, diretamente ao entregador, ou via boleto (com faturamento no dia 10 de cada mês).

Outra vantagem do app é que o usuário pode realizar a simulação de preços e agendar as entregas futuras por meio do site da empresa.

Mas o seu grande diferencial é em relação à segurança da entrega da mercadoria.

Uma vez confirmado o pedido, um SMS é enviado ao cliente com o número do celular do entregador para que eles possam estabelecer contato, caso haja algum problema ou alteração no meio do caminho.

Bacana, não é mesmo? E já são mais 10.000 entregadores cadastrados no app!

 

VaiMoto

Para finalizar os aplicativos selecionados até aqui, vale a pena citar a funcionalidade do VaiMoto, outro app de entrega bastante útil disponível no mercado.

Seu funcionamento é simples: você precisa preencher o endereço do pedido para que, a partir daí, o app calcule qual o entregador mais próximo do local de retirada.

Definidos o profissional, o valor e a distância percorrida, você pode acompanhar a trajetória do motoboy pela tela no seu celular, em um mapa que mostra todo o percurso em tempo real.

O app é simples, prático e muito procurado pelos usuários desse tipo de serviço. Vale a pena conferir!

Como você pôde ver, são diversas opções disponíveis em diferentes cidades. Mas você sabe o que é necessário para trabalhar com esses aplicativos?

Esse é o assunto da próxima seção. Siga a leitura e veja os requisitos!

 

O Que é Necessário Para Trabalhar Com Aplicativos de Entrega de Moto?

Fique atento à legislação para trabalhar dentro da legalidade

Todo o trabalho que é realizado no setor de entregas de moto (motoboy, moto-frete, entregador, delivery etc.) é regulamentado pela Lei nº 12.009/2009.

Os requisitos para tornar-se um trabalhador na área são:

– ter 21 anos completos;

– ter carteira de habilitação para moto (categoria A) há, pelo menos, dois anos;

– ter sido aprovado em curso especializado (como estipulam os regulamentos do CONTRAN – Conselho Nacional de Trânsito);

– vestir colete de segurança com dispositivos retrorefletivos (conforme termos do CONTRAN).

Esses são os pré-requisitos para o exercício da atividade de motoboy.

Além deles, também há estipulações específicas para o veículo utilizado para o transporte de pequenas cargas, ou seja, a moto.

Elas estão dispostas no art. 139-A do CTB (Código de Trânsito Brasileiro).

Veja o que ele menciona:

“Art. 139-A.  As motocicletas e motonetas destinadas ao transporte remunerado de mercadorias – moto-frete – somente poderão circular nas vias com autorização emitida pelo órgão ou entidade executivo de trânsito dos Estados e do Distrito Federal, exigindo-se, para tanto:

I – registro como veículo da categoria de aluguel;

II – instalação de protetor de motor mata-cachorro, fixado no chassi do veículo, destinado a proteger o motor e a perna do condutor em caso de tombamento, nos termos de regulamentação do Conselho Nacional de Trânsito – Contran;

III – instalação de aparador de linha antena corta-pipas, nos termos de regulamentação do Contran;

IV – inspeção semestral para verificação dos equipamentos obrigatórios e de segurança.”

 

Vale ressaltar que é proibido o transporte de produtos inflamáveis e/ou tóxicos e de combustíveis.

Outro ponto que precisa ser abordado quanto aos documentos e exigências para esse tipo de trabalho é a importância de adicionar, à CNH, a observação de que o motorista exerce atividade remunerada (EAR).

Todo trabalho pelo qual é recebida uma recompensa monetária é considerado uma atividade remunerada.

Portanto, os condutores de motos que ganham dinheiro com entregas precisam estar atentos ao disposto no art. 147 do CTB, mais especificamente ao parágrafo 5º, que versa o seguinte:

“Art. 147. (…)

5oO condutor que exerce atividade remunerada ao veículo terá essa informação incluída na sua Carteira Nacional de Habilitação, conforme especificações do Conselho Nacional de Trânsito – Contran.”

Nesse caso, o CTB permite que qualquer motorista habilitado inclua essa observação em seu documento de habilitação, desde que siga as instruções do CONTRAN.

Para obter essa informação, é preciso que o condutor a solicite junto ao DETRAN (Departamento Estadual de Trânsito) do seu estado.

A importância do EAR é que, por meio dele, o DETRAN pode manter certo controle sobre seus usuários, uma vez que esses condutores precisam realizar avaliações psicológicas e toxicológicas com mais frequência que os demais.

Se você precisa incluir o EAR na sua CNH, basta adiantar a renovação da sua habilitação.

A solicitação pode ser feita na internet, pelo site do departamento de trânsito.

Posterior a isso, será preciso levar a documentação necessária ao local onde serão feitos o exame médico – de aptidão física e mental – e a avaliação psicológica, conforme estipula a Resolução nº 168/2004 do CONTRAN.

Para finalizar, fique atento à importância de se manter regularizado quanto ao registro de atividade remunerada.

Isso porque o CTB estipula, em seu art. 241, que deixar de atualizar o cadastro do veículo ou de habilitação do condutor é uma infração leve, cuja penalidade resulta em multa no valor de R$ 88,38 e 3 pontos na carteira.

Com sua CNH em dia, é o momento de se cadastrar nos aplicativos para começar a fazer as entregas.

Na seção a seguir, você verá como esses cadastros funcionam.

 

Como Funciona o Cadastro dos Profissionais nos Aplicativos?

O cadastro para profissionais costuma ser simples e rápido

A forma de adesão profissional às plataformas que oferecem serviço de entrega costuma ser a mesma.

Porém, para que não haja dúvidas, é interessante que você pesquise sobre o app de sua preferência para saber exatamente como funciona o processo.

De maneira geral, então, o primeiro passo é fazer login. Aqui, são adicionadas informações pessoais do profissional, assim como alguns documentos que precisam ser registrados.

Uma vez cadastrado, o login passa a ser feito automaticamente.

A próxima etapa é a solicitação. Tão logo você efetuar a solicitação, o sistema emitirá informações que precisam ser aceitas – caso esteja de acordo, é claro.

Por fim, é chegado o momento da execução. Após seguir as informações recebidas, você precisará finalizar a solicitação enviada pelo aplicativo.

Feito isso, já é possível começar a trabalhar!

Sempre que o motoboy estiver online na plataforma, ele poderá receber solicitações de corrida.

Quanto ao pagamento, ele irá variar conforme o app: alguns o realizam automaticamente; outros têm um modelo de pagamento mensal.

Já o valor das corridas é dividido entre elementos fixos e variáveis: preço mínimo, preço por km e preço por minuto.

O preço mínimo, como o nome sugere, faz referência ao valor mínimo a ser cobrado considerando certa distância de atuação.

Nesse caso, o valor não será menor que o mínimo estipulado, independentemente da extensão percorrida entre o local de origem e o de entrega.

Por outro lado, o preço por km irá depender da distância percorrida pelo motociclista, do ponto de origem ao de destino.

Nesse caso, quanto mais andar, mais cara será a corrida.

Já o preço por minuto é uma das formas de pagamento menos utilizadas pelas plataformas.

Ele é baseado no tempo de execução do serviço.

Assim, em grandes centros urbanos, em que o trânsito costuma ser um empecilho para esse tipo de trabalho, quanto mais paradas a corrida exigir, maior será o preço final.

Essas três formas de pagamento citadas auxiliam as plataformas de aplicativos de entrega a oferecer a composição final do preço de forma automática.

Isso torna o trabalho mais seguro – sem surpresas nas cobranças – tanto para o profissional quanto para o solicitante.

Até aqui, eu apresentei para você as opções de trabalho de entrega via aplicativos.

Trata-se de uma forma possível de ganhar um dinheiro extra com a moto, não é mesmo?

Mas as opções para esse feito não se limitam somente aos aplicativos.

Existem outras maneiras que também podem ser bem rentáveis para o motociclista.

Quer saber quais são? Siga a leitura que eu lhe explico no próximo tópico.

 

Outras Formas de Ganhar Dinheiro Com a Moto

Com criatividade e ousadia, você pode ganhar dinheiro de diversas formas utilizando sua moto

Muitos motociclistas estão optando pela utilização dos aplicativos de entrega como forma de garantir uma renda extra no final do mês – ou, até mesmo, como um emprego fixo.

No entanto, a possibilidade de ganhar dinheiro com a moto não se restringe apenas aos apps.

Aliás, eu já escrevi um texto para o site que aborda justamente essa questão, caso você tenha interesse em saber mais sobre o assunto.

Resumidamente, além dos aplicativos de entrega, o motociclista tem a possibilidade de:

– tornar-se um mototaxista;

– alugar a própria moto;

– entregar mercadorias por conta própria;

– criar estabelecimentos móveis para vender comida ou outro tipo de mercadoria.

Viu como existem possibilidades bem interessantes para colocar a sua moto para trabalhar?

A depender da sua disposição e criatividade, esse campo ainda pode ser mais diversificado.

Realize pesquisas no mercado e descubra qual área pode ser mais rentável e que, ao mesmo tempo, melhor contemple suas possibilidades.

Começar uma mudança de vida só depende de você!

 

Conclusão

Antes de qualquer coisa, lembre-se sempre: seja um motorista consciente.

Com o artigo que você acabou de ler, procurei abordar tudo o que há de mais relevante sobre o tema de aplicativos de entrega de moto.

Você pôde ver o que são esses apps e como eles funcionam.

Para isso, citei 5 dos mais lembrados pelos usuários e motociclistas (Rappi, Loggi, Rapiddo, EasyDeliver, MoblyBoy).

Além disso, adentrando o campo mais técnico, expliquei como funciona a forma de adesão a essas plataformas, bem como as exigências e a documentação necessária para fazer parte desse ramo.

Por fim, você viu outras formas de ganhar dinheiro com a moto, que não por meio de aplicativos.

É importante lembrar que, como em qualquer trabalho, existem prós e contras para quem deseja investir em apps de entrega.

Contar com a possibilidade de definir o próprio horário de trabalho e as regiões de atuação (inclusive na própria cidade) é um dos pontos fortes do ramo.

A moto é o veículo que apresenta maior periculosidade no trânsito, portanto, é importante utilização de elementos de segurança obrigatórios por lei.

Seja um motorista consciente, cuidadoso e obediente à legislação de trânsito, para que o trabalho seja realizado da forma mais segura possível.

Caso tenha restado alguma dúvida sobre o assunto, deixe um comentário abaixo. Faço questão de respondê-lo.