Sem Parar: É Vantajoso Adquirir um Dispositivo de Pagamento Automático?

Quem trabalha na estrada, inevitavelmente, tem de contornar obstáculos e enfrentar muitos desafios.

As pistas esburacadas, a falta de segurança e o preço do óleo diesel são apenas alguns dos problemas de quem trafega o ano inteiro pelas vias brasileiras.

Além disso, quem ganha a vida viajando não tem tempo a perder, pois a demora nas estradas significa, para muitos, um grande prejuízo.

Com a difusão das praças de pedágio, o tempo perdido é ainda maior, tendo em vista que, para atravessá-las, é preciso reduzir a velocidade de curso do veículo, o que gera um consecutivo aumento do consumo de combustível.

Para os usuários, o custo do pedágio, então, vai muito além da tarifa, que, diga-se de passagem, é bem alta.

Abastecer o veículo é mais uma situação que dificulta a vida nas estradas e, até mesmo, na cidade, devido ao tempo de espera das filas, que também afeta o bolso.

Por essas razões, cresce a busca pelos dispositivos de pagamento automático, como o Sem Parar.

Neste artigo, mostrarei a você as funcionalidades desse dispositivo e suas principais vantagens e desvantagens.

 

Sem Parar: Conheça o Sistema de Cobrança Automática

O Sem Parar funciona por meio de uma tecnologia de identificação por rádio frequência

Embora esteja há mais de 15 anos no mercado, o Sem Parar ainda é desconhecido por muitas pessoas.

O Sem Parar é um sistema de pagamento automático, que funciona por meio de uma tecnologia de identificação por rádio frequência (RFID).

A proposta da tecnologia é promover um deslocamento mais fluido, uma vez que os motoristas tendem a perder muito tempo efetuando pagamentos para transitar e estacionar o veículo.

Inicialmente, o serviço contemplava apenas o pagamento automático de pedágio. Hoje, o Sem Parar conta com 3 modalidades de serviço: pedágio, estacionamento e abastecimento.

Esse sistema foi desenvolvido em parceria com a Raízen, empresa de distribuição e comercialização de combustíveis e licenciada da marca Shell no Brasil.

Em 2016, porém, o serviço que pertencia aos acionistas da STP (Serviço e Tecnologia de Pagamento) foi vendido à DBTrans, que pertence ao grupo americano FleetCor. Ainda assim, a parceria com a Shell se mantém até hoje.

 

Sem Parar: Como Funciona

Os clientes Sem Parar adquirem uma etiqueta eletrônica de identificação – também conhecida como tag – que deve ser fixada no para-brisa do veículo. Essa etiqueta emite sinais, via rádio, que são captados por uma antena de busca de tags, que, por sua vez, desconta automaticamente o valor do serviço da conta cadastrada ou adiciona à fatura mensal do cliente.

No caso do pedágio, quando o pagamento é aprovado, a tag emite sinal para a abertura da cancela da praça.

Nos estacionamentos, presentes em shoppings, parques, centros comerciais, universidades etc., quando o Sem Parar é sinalizado, o serviço funciona por meio de um sistema digital que identifica a placa do veículo e lança a cobrança à fatura ou desconta da conta bancária.

Nos postos de combustível, o processo é praticamente o mesmo: a bomba de combustível identifica o pagamento, libera o abastecimento e o cliente só precisa informar ao frentista o combustível e o volume que ele deseja abastecer.

O serviço informa quando o processo foi efetivado com sucesso, por meio de um SMS com o comprovante de transação.

Na maioria das rodovias pedagiadas do Brasil, o Sem Parar está presente em mais de 600 estacionamentos espalhados pelo país e em 500 postos de combustível.

Toda transação costuma levar poucos segundos, embora possam ocorrer problemas na identificação da etiqueta.

O sistema registra todas as informações sobre a transação: data, horário, praça e valor do pedágio, locais e valores do estacionamento e do abastecimento.

Ao final, o cliente recebe um SMS com todos os dados referentes à transação.

Pode acontecer de o dispositivo não ser reconhecido. Nesse caso, é preciso que o pagamento seja efetuado em dinheiro para que o serviço de abastecimento, estacionamento ou pedágio seja liberado.

 

Sem Parar: Conheça os Planos Disponíveis

Você pode escolher o plano que mais se encaixa a sua necessidade

Ao todo, há 6 planos ofertados aos clientes.

O Sem Parar Automático cobre os carros de passeio e utilitários leves (com 2 eixos de rodagem simples), em todo o Brasil, por uma mensalidade de R$23,53 por cada veículo.

As opções de pagamento são duas: por meio do cartão de crédito ou por conta corrente.

Com a primeira opção, caso o motorista tenha mais de um veículo, o valor de recarga não é multiplicado pela quantidade de veículos. Ou seja, a recarga será efetuada para a utilização de todos os veículos cadastrados.

Com o pagamento por conta corrente, o valor da recarga é multiplicado pela quantidade de veículos. Ou seja, se você contratar um pacote de R$150,00 e utilizar 2 veículos, esse valor será multiplicado por 2. Portanto, o valor cobrado será R$300,00.

Isso significa que não é possível contratar valores de recarga diferentes para cada um dos veículos.

Esse plano cobre pedágios, estacionamentos e postos de combustível.

O plano Adesão Zero cobre, além dos carros de passeio e utilitários leves de pessoas físicas, também caminhões e ônibus de pessoas jurídicas.

A cobertura mensal, nesse caso, é R$30,21; e as formas de pagamento são as mesmas. No entanto, o pagamento por cartão de crédito é liberado apenas para pessoa física.

Com essa cobertura nacional, os clientes têm acesso à utilização em postos, pedágios e estacionamentos com o serviço valet.

Nas compras feitas pelo site, com essa cobertura, você recebe 3 meses de mensalidade gratuita.

O plano São Paulo Sem Parar 915 é específico para utilização do dispositivo, pelos carros de passeio e utilitários leves de pessoas físicas, nos pedágios das rodovias estaduais paulistas, por um custo de R$11,45 ao mês.

A contratação desse plano regional exige uma caução de R$40,00. Conforme consta no site, esse valor será devolvido quando o plano for cancelado, desde que o saldo do motorista não esteja negativo.

As formas de pagamento são por débito em conta corrente e cartão de crédito.

O plano Sem Parar Caminhoneiro 915 também é específico para caminhões e cobre apenas os pedágios por R$11,45.

Além disso, a forma de pagamento desse plano regional se restringe ao débito em conta corrente, e também é necessária a caução de R$40,00.

O plano Estacionamento 915, como o nome indica, cobre a utilização de estacionamentos nacionais para os carros de passeio e utilitários leves por R$9,53 por mês.

Nesse caso, há duas formas de pagamento: débito em conta corrente e cartão de crédito para pessoa física.

O plano cobre, ainda, alguns estacionamentos concentrados em rodovias, por um custo adicional de R$17,17 por mês.

Por fim, o plano Pré-Pago Paulista 915 também pode ser contratado por aqueles que trafegam com frequência pelas rodovias estaduais paulistas.

O plano atende aos motoristas com carros de passeio e utilitários leves que desejem o serviço de pedágio.

Nessa modalidade, existem 5 valores de recarga: R$25,00; R$50,00; R$75,00; R$100,00 e R$150,00. Por cada uma delas, porém, é cobrada uma taxa de serviço equivalente ao valor da recarga.

Caso você deseje contratar esse plano regional, também será necessário pagar a caução.

A única forma de pagamento é por débito em conta corrente.

É válido ressaltar que a contratação dos dois primeiros planos está sempre sujeita à análise de crédito, ou seja, a empresa verificará a possibilidade de você pagar mensalmente pelo serviço e, para isso, é possível que você precise disponibilizar algumas informações e apresentar alguns documentos.

É importante mencionar que o Sem Parar não cobra por fidelidade. Sendo assim, você pode cancelar o serviço a qualquer momento e sem pagar nada por isso.

O Sem Parar pode ser adquirido em um de seus pontos de venda, distribuídos por vários locais do país (shoppings, lojas de conveniência, supermercados, pedágios), ou pela internet.

No site da empresa, você pode consultar os pontos de venda mais próximos a você, informando o seu endereço.

 

Pagamento em Drive-thru com o Sem Parar

Clientes do fast food também poderão utilizar o sistema de cobrança automática

Há poucos dias, o Sem Parar firmou parceria com o McDonald’s para que os clientes do fast food possam pagar os alimentos, comprados pelo Drive-thru, com o sistema de pagamento automático.

O sistema deverá ser implantado em todas as lojas da rede de fast food até novembro do ano que vem (2019), mas até fim de janeiro do próximo ano, cerca de 100 lojas deverão estar equipadas com a novidade.

A utilização do Sem Parar deverá ser semelhante à forma como ocorre nos pedágios e estacionamentos. A diferença, nesse caso, é que o pagamento deverá ser efetuado por voz. Portanto, o cliente deverá dizer em voz alta “vou pagar com o Sem Parar” para que o sinal seja captado pelo sistema.

 

Como Instalar a Etiqueta Sem Parar

Nos veículos de passeio e utilitários, a etiqueta eletrônica deve ser colada no para-brisa do veículo, próximo ao retrovisor, em posição horizontal, a uma distância de aproximadamente 15 cm do teto.

Alguns veículos de passeio têm, no para-brisa, uma área específica para a colocação da etiqueta eletrônica. Nesse caso, é recomendado que este espaço seja utilizado para a instalação, ainda que a distância do teto seja menor ou maior do que 15 cm.

É importante que você não utilize nenhum objeto para fixar a etiqueta, pois isso pode danificá-la.

Além disso, depois de fixá-la, só a retire caso deseje cancelar o serviço.

A instalação em caminhões é bem simples. Basta fixar a etiqueta no vidro do veículo, centralizada e 15 cm acima da base inferior do vidro.

Para fixá-la nos ônibus é preciso mais cuidado, pois a instalação dependerá do modelo do limpador de para-brisa do veículo.

Caso o veículo tenha o componente de cima para baixo ou de dentro para fora, a etiqueta deve ser fixada a uma distância entre 1,40m a 1,90m, contada a partir do asfalto.

Com o limpador de para-brisa de baixo para cima, instale a etiqueta a uma distância de 1,20m do asfalto.

Caso haja uma barra metálica dividindo o vidro do veículo, além de fixá-la à distância recomendada, é preciso que ela fique 10 cm distante da barra.

Independentemente do modelo de qualquer um dos tipos de veículos, o limpador do para-brisa não pode entrar em contato com a etiqueta para não danificá-la.

Outro fator que pode prejudicar o funcionamento da etiqueta é instalá-la em vidros com película, independentemente do tipo de material e do percentual de obscuridade.

 

Sem Parar: Vale a Pena Adquirir?

Em termos de avaliação, o serviço prestado pelo Sem Parar parece ser bem conceituado no mercado.

De acordo com a revista Exame e a Valor Econômico, a Sem Parar está na lista das melhores e maiores empresas no Brasil.

A revista Consumidor Moderno avaliou a prestação de serviços da empresa, classificando-a como excelente.

O pedágio eletrônico Sem Parar foi eleito o melhor no segmento por 24% dos paulistanos, no ano de 2015, em uma entrevista realizada pelo Datafolha.

Essa mesma pesquisa revelou, ainda, que 58% do total de pessoas entrevistadas não soube mencionar um serviço de pedágio eletrônico por desconhecimento.

Ainda assim, é considerável o número de pessoas que utiliza o Sem Parar.

Parte delas afirma nunca ter tido qualquer tipo de problema com o sistema. Porém, há muitas pessoas que não o recomendam.

As principais reclamações são sobre os problemas de identificação do dispositivo. Acontece de a cancela não abrir para a passagem do veículo, quando o sistema não consegue identificar a etiqueta para descontar o pagamento.

Como a proposta é não precisar parar no pedágio, quando essa situação ocorre, o motorista não tem vantagem alguma, pois, ou precisará esperar até que o sistema identifique ou precisará pagar o pedágio normalmente.

Houve casos, inclusive, em que o bloqueio da cancela resultou em acidentes nas praças de pedágio, uma vez que os motoristas não param o veículo.

Além disso, mesmo quando a cancela abre, nem sempre o sistema registra o pagamento. Então, o veículo é autuado por passar sem pagar, ou seja, por evadir o pedágio (art.209, CTB), cujas consequências são a multa de R$195,23 (infração grave) e 5 pontos atribuídos à Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

Algo com o que você pode ter problemas, também, é por cobrança indevida do valor do pedágio. A indicação é para que o veículo fique a uma distância de 30m do veículo da frente, para não acontecer de o sistema identificar o veículo errado.

No entanto, algumas pessoas relataram terem sido descontadas, mesmo respeitando a distância.

Outra coisa que já aconteceu é o sistema taxar o carro com o valor cobrado para um caminhão, por conta de falha no registro do veículo.

Em vista disso, o motorista do carro é cobrado pela passagem de um caminhão, cuja tarifa é mais alta.

Para quem possui mais de um veículo, parece que o Sem Parar também se mostra pouco vantajoso, pois não há a possibilidade de usar a mesma etiqueta para cada um dos veículos, sendo necessário adquirir mais de uma.

Com isso, o motorista acaba gastando mais para comprá-las e ainda tem de quitar mais de uma mensalidade.

Por outro lado, quem viaja com frequência diz que o Sem Parar proporciona muito mais praticidade e economia no tempo de viagem. Sem falar na possibilidade de pagar todos os custos do pedágio dias depois.

Além disso, o Sem Parar levou o prêmio Consumidor Moderno de Excelência em Serviços ao Cliente em 2013 e em 2015, o que nos leva a acreditar que, ao menos, o tratamento prestado ao cliente é satisfatório.

E não são poucos. A empresa tem por volta de 5,5 milhões de clientes.

Uma coisa é fato: qualquer empresa tem problemas relativos ao serviço prestado, por mais cuidados que sejam tomados.

O que diferencia uma boa empresa de uma não tão boa assim é a preocupação em identificar o(s) problema(s) do cliente, a fim de resolvê-lo(s).

Nesse sentido, ainda que os serviços ofertados sejam passíveis de falha, o que prevalece é a qualidade da relação empresa-cliente.

Ao que tudo indica, a tendência é que esse sistema de cobrança automática ganhe cada vez mais espaço no mercado e expanda seus serviços.

 

Conclusão

O Sem Parar pode tornar o trânsito mais fluido

Neste artigo, apresentei a você o funcionamento do sistema de cobrança de pedágio que promete facilitar a vida dos motoristas, principalmente a dos estradeiros.

Desde que foi criado, o Sem Parar vem conquistando muitos brasileiros pela forma simplificada com que opera.

Mostrei a você como a etiqueta deve ser instalada ao veículo e quais planos de serviço são oferecidos pela empresa.

Além disso, destaquei os pontos negativos e positivos de utilizar um dispositivo de pagamento automático.

Falei também sobre a reputação da empresa em relação ao mercado e sobre as principais reclamações referentes a esse serviço.

Para finalizar, lembre-se de que você pode recorrer de uma multa de trânsito e de que estou à disposição para ajudá-lo nessa tarefa.

Caso você tenha sido autuado por evasão de pedágio, como vimos que é possível acontecer utilizando o Sem Parar, entre em contato comigo para que eu possa analisar o seu caso gratuitamente.

Você pode enviar um e-mail para [email protected] ou ligar para o número 0800 6021 543.

Será um prazer ajudá-lo!

Estou à disposição, também, para o esclarecimento de dúvidas. Deixe seu comentário!

Sem Parar: É Vantajoso Adquirir um Dispositivo de Pagamento Automático?
5 (100%) 3 votes