Você sabe o nome das peças do carro?

 

É praticamente consensual entre a população que os carros facilitam o nosso dia a dia.

O surgimento do veículo a motor modificou a vida de muitas pessoas ao redor do mundo. E, para algumas delas, os automóveis são muito mais do que meios de transporte.

Os apaixonados por carros, certamente, sabem mais a respeito de automóveis do que o necessário.

Porém, mesmo para quem não tem tanta afinidade com o tema, é importante conhecer as peças do carro e seu funcionamento.

Você sabia que a estrutura de um carro é composta por milhares de peças?

É claro que você não precisa conhecer todas elas, mas em uma situação imprevista, ter uma noção mínima pode ser muito útil.

Se você faz parte do grupo de pessoas que não é muito ligado em peças automotivas, que tal conferir o quiz que preparei para você testar seus conhecimentos?

De quebra, você ainda aprende como cada peça do carro trabalha para o funcionamento do seu automóvel.

E é claro que, se tratando de mecânica automotiva, não posso deixar de mencionar a manutenção veicular.

Boa sorte!

Explicarei sobre como cada uma delas funciona no automóvel, e falarei sobre alguns cuidados importantes a serem tomados.

Acompanhe!

Vela de Ignição

Essa peça é fundamental para o funcionamento do motor do seu carro, pois ela é responsável por conduzir a corrente elétrica gerada no transformador até a câmara de combustão.

A combustão ocorre quando há mistura de ar com o combustível. Essa mistura é queimada pela produção de centelha, mais conhecida como faísca elétrica, que, por sua vez, faz com que o pistão seja empurrado para baixo e o motor do carro seja acionado.

Logo, as condições dessa peça influenciam diretamente no desempenho do motor do veículo, bem como no consumo de combustível.

Embora o funcionamento seja o mesmo, existem alguns tipos diferentes dessa peça no mercado.

Digo isso porque essa é uma peça do carro que precisa ser trocada periodicamente.

Para saber qual o momento certo de trocar, o ideal é levar o veículo para uma revisão. Assim, o mecânico poderá avaliar o estado de conservação da peça para averiguar a necessidade de trocá-la.

Normalmente, após 10 mil quilômetros, mais ou menos, o item presente nos carros produzidos nacionalmente pode apresentar problemas e ocasionar a perda de potência do veículo.

Junta do Cabeçote

Assim como a peça anterior, essa também pode ser encontrada em diferentes tipos, mas o funcionamento é o mesmo em todos os casos.

Nem preciso dizer que esse item também tem uma função importantíssima para o desempenho adequado do veículo, não é mesmo?

Essa peça é responsável por selar e manter alguns componentes – líquido de arrefecimento e óleo, por exemplo – bem separados durante a combustão no motor, de modo que seu funcionamento não seja prejudicado por algum vazamento.

Esse item pode queimar se estiver em más condições. Isso fará com que um dos componentes entre em contato com outro e cause um colapso no motor do veículo.

Mais uma vez, a perda de potência ou o superaquecimento do motor são fortes indícios de problemas com essa peça.

Outros problemas que podem indicar o mau desempenho da peça são: a diminuição repentina do líquido de arrefecimento e a produção de fumaça escura no motor.

No segundo caso, é provável que algum líquido esteja vazando dentro da câmara de combustão.

Amortecedor dianteiro

Você já parou para pensar como a estabilidade de um carro é crucial para a sua utilização, principalmente em velocidade mais alta?

Dificilmente pensamos sobre essas questões, mas a instabilidade de um veículo é facilmente perceptível.

Além disso, engana-se aquele que pensa que o conforto do veículo é relacionado apenas aos seus assentos.

Na verdade, essa questão diz respeito ao sistema de suspensão do automóvel, o qual é composto por diversos itens.

Essa peça atua como item de segurança, uma vez que sua função principal é controlar a movimentação das molas da suspensão, de modo a manter as rodas do automóvel alinhadas e suavizar o impacto causado pelo contato dos pneus com o solo.

Um defeito nesse item pode prejudicar o funcionamento total da suspensão, ou seja, afetar a dirigibilidade do veículo, causando desgastes e/ou deformações nos pneus e, inclusive, a perda de controle da direção, pois isso compromete o atrito do automóvel com o chão.

É grande o risco de o veículo derrapar ou aquaplanar, caso essa peça esteja desgastada.

Por isso, ressalto a importância de o automóvel ser submetido à revisão periódica. Ainda mais porque o desgaste dessa peça depende do histórico de locais por onde o veículo costuma circular.

Em geral, o desgaste é mais frequente nos automóveis que enfrentam vias muito esburacadas ou com asfalto irregular, ou suportam cargas excessivas.

De qualquer modo, você mesmo pode ficar atento às irregularidades que se manifestam quando o sistema de suspensão não vai bem.

Normalmente, os problemas nesse sentido são perceptíveis ao condutor, já que a direção exige mais força para ser manuseada, devido à instabilidade do automóvel.

 

Disco de freio

Trata-se do principal componente do sistema de frenagem do automóvel.

Esse item acompanha o movimento da roda e entra em ação quando é preciso reduzir a velocidade do carro.

Porém, os veículos populares e nacionais costumam ser fabricados com essa peça, apenas nas rodas dianteiras, devido ao seu custo elevado.

Principalmente, nos modelos de carros esportivos, esse item confere mais suavidade no manuseio dos pedais e mais aderência do pneu com o asfalto.

E ele não trabalha sozinho. Seu funcionamento depende, também, das pinças e das pastilhas.

Ficou mais fácil agora?

É o atrito entre as pastilhas e essa peça que promove a frenagem simultânea, progressiva e controlada das rodas.

Em relação à periodicidade, vale lembrar que o funcionamento adequado desse sistema é relacionado a sua segurança ao trafegar.

Isso significa que, os problemas com essa peça, ou com qualquer outra pertencente ao sistema de frenagem do automóvel, merecem atenção especial.

É imprescindível, no momento da troca, avaliar com cautela as opções disponíveis no mercado, para evitar adquirir peças do carro com baixa eficiência.

Na dúvida, siga as orientações de um mecânico de sua confiança.

Lembre-se de estar sempre alerta durante a condução do automóvel, pois, principalmente nesses momentos é que se desvelam os problemas relacionados a esse item de segurança.

E se você não pretende trocá-los com tanta frequência, uma dica: evite as freadas bruscas e repentinas, pois isso gera muito calor, o que acaba contribuindo para o desgaste das peças.

 

Radiador do motor

Esse dispositivo tem a função de evitar o superaquecimento que ocorre no motor, devido à combustão, dissipando o calor gerado.

Ele faz parte do sistema de arrefecimento, que, em conjunto com outros componentes, atua no controle e na regulação da temperatura do carro, para que ela esteja sempre ideal para o seu funcionamento.

Com a queima da mistura ar/combustível, a temperatura do motor sobe excessivamente, o que poderia causar o derretimento das suas peças, caso não houvesse um sistema impedindo que isso aconteça.

Por meio dessa peça ocorre a troca de calor entre o ar e as substâncias envolvidas nesse processo.

Desse modo, o equipamento deve estar sempre limpo. Caso contrário, o ar não circula livremente pelos circuitos, o que acaba impedindo a troca de calor.

Outro problema que pode ocorrer é a quebra da peça. Nesse caso, é preciso trocá-la.

Porém, uma boa revisão no veículo pode detectar impedimentos na peça, antes que seu funcionamento seja totalmente comprometido.

Esteja atento ao superaquecimento do motor, pois esse pode ser um sinal de falta de água ou falta de aditivo no dispositivo.

Esse detalhe pode afetar o sistema de arrefecimento e, por consequência, o funcionamento do carro.

 

Válvula termostática

Essa é mais uma das peças do carro que compõe o sistema de arrefecimento do automóvel.

Sua função é, basicamente, fazer com que o motor funcione, conforme a necessidade.

Fica localizada, na maioria dos carros, no pé da bomba d’água, controlando a passagem do líquido de arrefecimento entre o motor e o radiador.

Quando o motor está frio, essa peça trabalha bloqueando a função do radiador, para que o motor não esfrie ainda mais.

Já quando está quente, ocorre o oposto.

A peça se expande gradativamente para liberar a passagem do líquido de arrefecimento para o motor, o que faz com que ele volte à temperatura ideal de funcionamento.

A partir disso, podemos concluir que essa peça é indispensável para o funcionamento adequado dos automóveis.

Entretanto, há quem defenda o contrário, alegando que ela aquece demais o motor.

As discussões nesse sentido envolvem a retirada ou não da peça, pois muitos mecânicos sugerem que o carro trabalha melhor sem ela.

Quem diz o contrário, alerta para o fato de que a peça só causará prejuízo se for incompatível com o veículo, ou caso esteja com algum defeito.

Vale a pena pensar bem sobre essa questão, pois a falta da válvula implica na oscilação de temperatura do motor, o que também não é positivo.

Nos motores fabricados recentemente, como os equipados com injeção direta, o reflexo da ausência da peça pode ser observado pelo consumo de combustível e emissão de poluentes, acima do normal.

 

Filtro de ar do motor

Mais um componente do motor responsável pela combustão, energia que faz com que o automóvel se movimente.

Com isso, fica evidente que essa é mais uma peça importantíssima.

Sem ela, o desempenho do motor é afetado pelas impurezas do ar, no momento em que o oxigênio entra em contato com o combustível.

Acontece de essa peça, por conta de sujeira acumulada, obstruir a passagem do ar para o motor, fazendo com que haja aumento no consumo do combustível para a produção de energia necessária para a movimentação do automóvel.

E esse problema gera outro. A falta de proporção adequada de ar para combustível não permite a queima correta da mistura, que se torna ainda mais poluente.

Vale lembrar que a emissão de gases poluentes prejudica a camada de ozônio e atinge diretamente a população pelo ar carregado de substâncias nocivas a nossa saúde.

Dá para perceber o quanto é importante submeter o veículo à revisão periódica?

Uma simples avaliação feita pelo mecânico é capaz de identificar pequenos problemas, antes que seus efeitos se tornem mais significativos.

Fique atento à perda de potência do motor durante a aceleração. Esse é um indicativo de que a peça pode estar poluída.

Por ser descartável, essa é uma peça facilmente substituível. Portanto, não deixe de trocá-la quando necessário.

 

Cebolão do radiador

Na verdade, esse é o termo pelo qual é conhecido, popularmente, o interruptor térmico do ventilador, localizado no radiador.

Assim como a válvula termostática, essa peça também atua na manutenção da temperatura adequada do líquido de arrefecimento utilizado no radiador.

Como o nome sugere, a função desse dispositivo é abrir e fechar os circuitos elétricos ligados ao radiador do motor.

Quando o líquido de arrefecimento atinge a temperatura máxima, o interruptor aciona o ventilador para proteger o motor do superaquecimento. Ao atingir a temperatura mínima, a peça aciona o desligamento do ventilador.

Com o tempo, essa peça pode apresentar perda de eficácia, por conta do desgaste natural provocado pelo uso.

Problemas com a válvula termostática também podem afetar o funcionamento dessa peça.

 

Bronzina de mancal

Revestida pelo bronze (de onde se origina sua denominação), essa peça fica localizada no interior do motor do automóvel, evitando o atrito entre as outras peças do conjunto mecânico, enquanto elas se movimentam. É responsável, também, por garantir que nenhum componente interno do motor saia de sua posição original.

Como existem peças desse tipo de tamanhos e modelos diferentes, é importante que haja cuidado ao substituí-la, para não acabar colocando uma peça incompatível com o automóvel.

A incompatibilidade pode resultar na vibração e no aumento da temperatura do motor e, até mesmo, no entupimento dos dutos de lubrificação.

Caso essa peça apresente problemas, saiba que o único meio de resolver essa questão é trocando-a por outra nova.

Isso porque somente repará-la não é suficiente para garantir sua capacidade de suportar a pressão exercida pelo motor.

 

Sensor lambda

Esse componente tem a função de medir a quantidade de oxigênio emitido pelos gases do escapamento.

A resposta é repassada aos sensores da injeção eletrônica, que indicam se a queima de combustível está ocorrendo de forma inadequada, conforme a quantidade de mistura ar/combustível apropriada.

Sempre que houver um problema com a mistura da combustão, essa peça será a responsável por acionar o módulo que, por sua vez, indicará que algo está errado, acendendo a luz da injeção no painel de instrumentos de controle do automóvel.

Esse é mais um forte motivo para você nunca ignorar as luzes do painel.

Se não fossem importantes, esses indicativos não estariam dispostos no campo de visão direta do motorista.

Apesar disso, é bem comum que o painel seja ignorado.

Inclusive, nele, há um termômetro que indica a temperatura do motor durante a movimentação do automóvel.

Em qualquer situação, se a luz da injeção eletrônica acender, é recomendável levar o carro para uma inspeção mecânica.

 

Conclusão

Como você se saiu no teste?

 

E aí, deu para entender melhor o funcionamento das peças do carro separadas para o quiz?

Como eu disse, existem muitas. Por isso, selecionei apenas algumas delas, de modo que fosse possível descrever cada uma.

Com isso, aproveitei para complementar o tema, apresentando os problemas que podem ocorrer quando essas peças deixam a desejar no seu funcionamento.

Espero que a leitura deste artigo desperte, em você, o interesse pela busca de informações sobre peças do carro, bem como sobre o automóvel, de modo geral.

Saiba que todo o conhecimento, por mínimo que seja, é válido para quem dirige, frequentemente ou não.

Em todo caso, não deixo de salientar que a manutenção preventiva deve constar na lista de obrigações.

As peças do carro não são intermináveis.

Portanto, de vez em quando, pode ser necessário trocá-las ou consertá-las.

Sem dúvida, tendo essa preocupação, o risco de você ter problemas, não só com as peças do carro, mas com a própria ação de dirigir, será muito menor.

Caso você tenha alguma dúvida a respeito de um dos itens deste artigo, deixe seu comentário.

E não se esqueça de que estou à disposição para ajudá-lo a recorrer de qualquer multa de trânsito.

Se precisar de auxílio, envie um e-mail para [email protected] ou ligue para o número 0800 6021 543.

Você sabe o nome das peças do carro?
4.6 (91.14%) 806 votes