Perdi o prazo para recorrer na esfera administrativa, o que posso fazer?

Antes de explicar o que você pode fazer caso perca o prazo para recorrer, eu vou explicar de maneira breve quais  são os prazos que devem ser respeitados na esfera administrativa.

Leia mais

Embora, na esfera administrativa, o condutor tenha 3 chances para recorrer e cancelar as penalidades oriundas da multa, ele tem um prazo para isso.

Leia mais

Para apresentar a defesa prévia, o condutor terá um prazo de pelo menos 30 dias.

Leia mais

Esse prazo de 30 dias será contado a partir da data de expedição da notificação – ou seja, da data em que o órgão de trânsito enviou o documento.

Leia mais

Se a autoridade de trânsito julgar consistentes os argumentos para a defesa prévia, a notificação de autuação deverá ser arquivada.

Leia mais

Porém, caso a defesa prévia seja indeferida ou não seja apresentada no prazo estabelecido, aí sim, será aplicada a penalidade.

Leia mais

Ou seja: é nessa etapa que a “notificação de autuação vira multa”.

Leia mais

A partir daí, será expedida a notificação de penalidade.

Leia mais

Com a notificação de penalidade, o condutor poderá interpor recurso em primeira instância, também conhecido como recurso à JARI.

Leia mais

Na notificação, constará o prazo para o infrator enviar o recurso, que não será inferior a 30 dias.

Leia mais

Perdendo esse prazo, a multa será confirmada.

Leia mais

Isso quer dizer que o motorista não exerceu o seu direito à defesa e sofrerá as penalidades estabelecidas no CTB, referentes à infração que cometeu.

Leia mais

Entretanto, não é apenas o condutor que precisa respeitar os prazos legais.

Leia mais

Assim como o órgão autuador tem até 30 dias para emitir a Notificação de Autuação após registrar a infração, a JARI tem um prazo para julgar o recurso.

Leia mais

Esse prazo, conforme o que diz o artigo 285 do CTB, também deve ser de 30 dias.

Leia mais

Porém, supondo que o condutor recorreu à JARI, mas teve a defesa negada, ele ainda terá outra chance: recorrendo em segunda instância.

Leia mais

Aqui, o condutor também terá 30 dias para interpor recurso – contado da publicação ou da notificação da decisão.

Leia mais

Essas são todas três as chances que o motorista tem para recorrer da sua multa em esfera administrativa.

Leia mais

Aqui, não é necessário o auxilio de advogados, por exemplo, pois o caso não envolve o meio jurídico.

Leia mais

E se a multa estiver vencida, ainda posso recorrer?

Quanto às multas vencidas, é preciso ficar atento a um detalhe importante: perder o prazo da defesa prévia não interfere em seu processo.

Leia mais

Você apenas estará deixando passar uma das suas chances de se defender. Ainda assim, isso não terá impacto nas próximas fases.

Leia mais

Por outro lado, cumprir os prazos para o envio dos recursos em 1ª e 2ª instância é essencial.

Leia mais

Perder o prazo de envio do recurso à 1ª instância, ou não o apresentar, significa perder a oportunidade de recorrer em 2ª instância – e, para recorrer nesta fase, é obrigatório já ter recorrido à JARI (1ª instância).

Leia mais

Por isso, se o seu recurso não for enviado dentro do prazo estipulado e expresso na notificação, muito provavelmente será considerado inconsistente pelo órgão de trânsito.

Leia mais

Mas é importante ressaltar que, quando a instância administrativa se encerra, ainda será possível recorrer na esfera judicial.

Leia mais

O Doutor também multas ajuda o condutor na esfera judicial

Leia mais

Há mais de 10 anos o Doutor Multa ajuda os condutores a resolverem os seus problemas com multas e outras pendencias com a CNH na esfera administrativa.

Leia mais

Ou seja, elaborando recursos para defesa prévia, primeira e segunda instância.

Leia mais

Mas não é só isso.

Leia mais

O Doutor Multas também auxilia o condutor na esfera judicial.

Leia mais

Para que você tenha uma ideia, o recurso poderá partir para a esfera judicial nos seguintes casos:

Leia mais
  • se o motorista não concordar com a última decisão do seu recurso e quiser mais chances para se defender;
  • se o motorista perder os prazos necessário para recorrer na esfera administrativa;
  • se o motorista se envolver em algum crime de trânsito (acidentes de trânsito que resultem em lesão ou morte, embriaguez ao volante, lesão corporal culposa na direção, fuga do local do acidente, prática de rachas etc.).
  • se o motorista tiver a CNH cassada e quiser solicitar uma liminar para continuar dirigindo até o julgamento do mérito.
Leia mais

Diante desses casos (em que não é possível recorrer administrativamente) o Doutor Multas disponibiliza o serviço de advogados especializados no assunto.

Leia mais

Acontece que, para recorrer judicialmente, você precisará de um advogado para ter um representante legal diante do caso.

Leia mais

O advogado prepara uma petição inicial detalhando os argumentos contra a multa de trânsito. Aqui, são apresentados todos os fatos e fundamentos jurídicos que sustentam a contestação.

Leia mais

Após a petição inicial ser protocolada o juiz responsável analisará o caso.

Leia mais

Ele também poderá solicitar informações ao órgão de trânsito sobre a infração e a multa aplicada.

Leia mais

Após análise dos argumentos apresentados pelo infrator e pelo órgão de trânsito, o juiz emitirá uma sentença.

Leia mais

Esta pode confirmar a multa, anulá-la completamente ou determinar uma nova decisão administrativa.

Leia mais

Ainda, caso alguma das partes não concorde com a sentença judicial, é possível interpor recursos (apelar) para instâncias superiores, como o Tribunal de Justiça.

Leia mais

Perceba que, dessa forma, o condutor não tem somente as três chances de defesa na esfera administrativa, mas também mais possibilidade de reverter seu caso no campo judicial.

Leia mais

Para isso, conte com a experiência do Doutor Multas e da sua equipe formada por advogados especialistas no assunto.

Leia mais

Gostou deste story?

Aproveite para compartilhar clicando no botão acima!

Esta página foi gerada pelo plugin

Visite nosso site e veja todos os outros artigos disponíveis!

Doutor Multas