Veja As Novas Regras Para Blindagem de Carros e 15 Cuidados Que Você Deve Ter

Foi multado? Não fique sem dirigir! Descubra agora como não perder a CNH: Clique aqui para ter uma CONSULTA GRATUITA com o Doutor Multas.
blindagem de carros tudo sobre
Você conhece as novas regras para blindagem de carros?

blindagem de carros no Brasil mudou.

E se você pensa em ter um veículo com esse tipo de proteção, vale a pena conhecer as novas regras. Elas foram divulgadas pelo Exército Brasileiro em junho de 2017.

Lembrando que compete ao órgão disciplinar a blindagem de veículos no país.

Após um período de conhecimento sobre as mudanças, elas começaram a valer oficialmente no início de agosto do mesmo ano.

Neste artigo, irei explicar o que há de novo para blindar carro no Brasil e tirar as suas principais dúvidas sobre o assunto.

Se você deseja saber quais são os melhores carros para blindar, se a blindagem de carros tem validade e quanto custa para blindar um veículo, a dica é que seguir a leitura.

Este é um guia completo, que vai explicar todos os detalhes do processo e esclarecer como blindar um carro de maneira rápida e prática.

Você também saberá, ao longo do texto, o que a legislação prevê sobre a blindagem de carros e os principais cuidados que você deve ter com seu veículo blindado antes, durante e após o procedimento.

Afinal, não basta se preocupar com preço para blindar veículo; é preciso tomar cuidados específicos após a realização do procedimento.

Se você se interessa sobre este assunto, siga a leitura e comece entendendo como funciona o processo de blindagem de carros.

 

Como Funciona a Blindagem de Carros

blindagem de carros como funciona
Entenda como é feita a blindagem dos carros hoje em dia

Quando as pessoas, de modo geral, leem sobre blindagem de carros, uma ideia comum é a de que, nesses modelos, a lataria dá lugar a um material mais resistente.

Seria algo como carros de ferro, ou próximo disso.

Mas não é exatamente assim que funciona.

A blindagem de carros é, na verdade, uma operação de reforço da segurança do veículo a partir de uma proteção interna com efeitos externos.

Internamente, são desmontadas áreas como forração, vidros e bancos para que painéis balísticos sejam acoplados junto à lataria.

Assim, caso o carro seja alvo de tiros, eles irão perfurar a lataria, mas devem parar em tais painéis, garantindo a integridade dos ocupantes.

Além dos painéis que ficam nas portas, no teto e em outras partes do carro, há a colocação de aço inox nas colunas, no encosto dos bancos, nos retrovisores e fechaduras.

Outros pontos de possível vulnerabilidade também são preenchidos com o material, como é o caso das bordas de vidros e portas.

Falando em vidros, eles são parte importante do processo de blindagem de carros.

Nesse caso, a solução se dá através da sua substituição. O novo material é composto por camadas de lâminas de vidro e polímeros.

Se tiver curiosidade para ver como a blindagem é realizada, a sugestão é que assista a este vídeo do portal G1 depois de ler o artigo, que mostra com detalhes as etapas do processo.

Todas as modificações são feitas dentro e um período de aproximadamente 30 dias, prazo que inclui a vistoria obrigatória antes de ser dado início ao processo.

Durante esse período, o proprietário do veículo a ser blindado pode e deve acompanhar as diferentes etapas.

Para isso, o indicado é realizar visitas eventuais à empresa responsável pelas adequações.

Vale lembrar ainda que a blindagem de carros varia também conforme o nível de proteção, que é basicamente o que diferencia um tipo do outro, como abordarei no próximo tópico.

 

Tipos de Blindagem de Carros

blindagem de carros tipos
Quando se fala em tipos de blindagem de carros, a referência é sobre a proteção que ela oferece

Se você quer proteger seu carro contra tiros de fuzis, o nível de proteção escolhido será diferente daquele que protege contra disparos de revólver.

Para que você possa entender melhor, confira quais são os níveis de blindagem existentes. Repare que nem todos são permitidos.

Nível I

Oferece resistência a armas de menor calibre, como os revólveres 22 e 38. É uma escolha mais barata, mas de proteção limitada. Seu uso é permitido no Brasil.

Nível II e Nível II-A

É um nível de proteção um pouco mais elevado, oferecendo resistência a projéteis de pistolas 9 milímetros e Magnum 357. Seu uso é liberado no Brasil.

Nível III-A

É o tipo de blindagem de carros preferido no país, pois resiste a todos os calibres de armas de mão, além de submetralhadoras 9mm e a disparos de Magnum 44.

A proteção de nível III-A é até quatro vezes maior do que a de nível mais básico. Ainda assim, seu uso é permitido.

O nível III-A chega a representar até 98% do total de procedimentos realizados no Brasil.

Nível III

A proteção de nível III tem uso restrito, dependendo de licença especial concedida pelo Exército Brasileiro. Oferece resistência a tiros de fuzil.

No entanto, o processo é mais demorado e agrega maior peso ao veículo, o que limita o número de modelos que o suportam.

Nível IV

No caso do nível IV, a blindagem é proibida para civis. Pessoas jurídicas, como transportadoras de valores, podem ter esse nível e proteção, que protege os ocupantes inclusive de disparos de metralhadora.

Veja, na tabela abaixo, um resumo sobre os níveis de proteção oferecidos pela blindagem de carros.

Arma Nível I Nível II e II-A Nível III-A Nível III Nível IV
Calibres .22 e . 38 X
Pistola 9 mm (pistola) X
.44 Magnum e submetralhadora X
Fuzil X
Metralhadora X

 

Agora que você sabe quais são os níveis de blindagem existentes, é preciso entender o que a legislação prevê sobre o assunto. Portanto, siga a leitura do próximo tópico.

 

Novas Regras Para Blindagem de Carros Já Estão Valendo

Como mencionei no início deste artigo, a blindagem de carros no Brasil está com novas regras.

Elas foram publicadas na Portaria nº 55, do Comando Logístico (Colog) do Exército Brasileiro.

As principais mudanças não alteram os níveis de proteção que acabamos de relacionar, mas envolvem o registro do processo, a reparação na blindagem e a resistência do teto solar.

A partir de agora, a blindagem não é mais registrada individualmente para o veículo, mas em nome do seu proprietário, que pode ser tanto uma pessoa física quanto jurídica.

Isso significa que, com um só registro, um proprietário pode ter vários carros blindados.

Para empresas que possuem toda uma frota blindada, essa mudança é vantajosa.

As regras quanto ao registro propriamente dito estão previstas no artigo 11:

Nesse caso, o proprietário deve apresentar:

  • declaração de Blindagem expedida pelo Exército;
  • registro no Exército para aquisição e propriedade de veículo automotor blindado.

Incluindo o encaminhamento do registro da blindagem de carros, há quatro fases previstas no processo, conforme previsto no artigo 44 da portaria:

  • procedimentos iniciais: pagamento da taxa correspondente e anexação de comprovante ao processo, acompanhada de documentação, preenchimento do requerimento (anexo F) e envio à RM;
  • análise do processo: verificação da documentação;
  • decisão: despacho do requerimento pela autoridade competente; e
  • publicidade: publicação em documento oficial permanente, informação ao interessado e emissão do documento de registro no Exército.

Veja que no item 1 está previsto o pagamento de taxa correspondente.

Como reflexo da mudança nas regras, que transfere o registro da blindagem ao proprietário e não mais ao veículo, os custos ficaram maiores.

O chamado Certificado de Registro passou de R$ 25 para R$ 100 no caso de pessoas físicas e de R$ 50 para R$ 500 no caso de pessoas jurídicas – dez vezes mais, portanto.

Vale lembrar que esse é um custo apenas para registro e não para a blindagem propriamente dita.

Outras mudanças nas regras

Falei sobre alterações que atingem as normas de registro da blindagem de carros, mas elas não são únicas.

De acordo com a portaria do Exército, não é mais permitido reparar peças do carro blindado, como em situações de avaria.

Se isso ocorrer, ela precisa ser integralmente substituída – um custo maior, certamente.

A medida foi justificada pelo Exército com o objetivo de manter a qualidade da blindagem veicular, já que reparos anteriormente permitidos poderiam comprometer o trabalho original.

Essa previsão aparece nos artigos 56 e 57 da nova portaria.

Já no artigo 10, o Exército determina que quem importa ou blinda carros precisa informar tal condição.

Outra mudança que implica em maiores custos atinge o teto solar dos veículos blindados.

Anteriormente, essa área do carro recebia uma proteção simplificada, a partir do entendimento de menor exposição a riscos.

Agora, a blindagem obrigatoriamente precisa ser a mesma em todas as partes do carro, conforme determina o art. 62 da portaria.

A próxima informação que trarei a você diz respeito à validade da blindagem dos carros. Afinal, por quanto tempo esse sistema de segurança funciona em perfeitas condições? Veja no próximo tópico.

 

Blindagem de Carros tem Validade?

blindagem de carros tem validade
Essa é uma questão até certo ponto controversa

Se você fizer uma consulta sobre blindagem de carros para modificar o seu veículo, talvez escute que o processo, que é caro, tenha que ser repetido dentro de determinado período.

Mas há pouco de verdade nisso.

A proteção se mantém a mesma durante toda a vida útil do veículo, já que os painéis balísticos que garantem a resistência da carroceria não degradam com o tempo.

Inclusive, a empresa blindadora deve fornecer, ao final do serviço, um Termo de Responsabilidade que, entre outras informações, traz o nível de blindagem e a validade da proteção balística aplicada.

A parte mais sensível constitui-se nos vidros, sujeitos à perda de transparência ou de avarias na sua camada interna de policarbonato.

Se for o caso, aí sim, será necessária a sua substituição.

Por outro lado, o proprietário de um veículo protegido contra disparos de arma de fogo precisa saber que o registro da blindagem de carros tem, sim, um prazo de validade – que, neste caso, é de 3 anos.

Agora que você tem todas as informações legais sobre blindagem automotiva, que tal descobrir quais são os veículos mais apropriados para esse tipo de proteção? Então, siga a leitura!

Melhores Carros Para Blindar

blindagem de carros melhores carros para blindar corolla
Confira abaixo o que especialistas nos setor acreditam

Qualquer relação que define os melhores carros, seja qual for a categoria, é um pouco subjetiva.

Por isso, para apresentar a você essa informação, pegarei carona no ranking elaborado pela revista Quatro Rodas, especializada no setor automotivo.

Conforme a publicação, os modelos SUVs estão no topo da lista.

A justificativa é a de que os veículos utilitários esportivos são mais altos e mais robustos, condições tidas como ideais para a blindagem.

De acordo com a revista, os modelos preferidos entre os carros blindados no Brasil são:

  1. Toyota Corolla;
  2. Honda Civic;
  3. Volkswagen Tiguan;
  4. Hyundai Tucson;
  5. Land Rover Evoque.

Se o seu veículo não está na lista, isso não significa que ele não possa passar pelo processo de blindagem de carros.

A publicação apenas alerta que modelos populares, de motor 1.0, sem ar condicionado e com câmbio manual são os menos propensos a receber a blindagem.

Você está pensando em blindar o seu carro? Sem dúvidas, investir em segurança nunca é dinheiro desperdiçado.

Mas, você tem ideia de quanto custa esse procedimento? Descubra na seção seguinte.

 

Quanto Custa Para Blindar um Carro

Essa é uma questão para a qual não há uma resposta rápida e pronta.

Afinal, o custo para blindagem de carros depende do modelo envolvido e do nível de proteção aplicada.

Em média, no entanto, a modificação preferida pelos brasileiros, que é a de nível III-A, tem um custo que varia entre R$ 45 mil e R$ 50 mil.

Como você pode perceber, sai mais caro do que comprar alguns modelos de automóveis zero quilômetro – sem a blindagem, é claro.

É por razões como essa que o procedimento acaba sendo indicado a carros mais robustos, como é o caso das SUVs.

Outro ponto importante diz respeito à depreciação dos veículos blindados.

Conforme pesquisa do portal Webmotors, enquanto os não blindados perdem 15,3% do valor, aqueles que contam com a proteção são depreciados em 16,9%.

Na prática, porém, quanto mais antigo é o carro, menor é o seu valor de mercado, o que impacta na venda.

Por um lado, isso abre a possibilidade de quem não consegue enviar seu carro para a blindagem comprar um já blindado.

Por outro, é quase certeza de perda de dinheiro.

O portal Autoinforme elaborou uma relação com 90 carros usados blindados à venda. A maioria dos modelos com blindagem custa menos do que sua versão tradicional.

Como exemplo, a publicação citou o Mitsubishi Airtrek 2006, que custa R$ 30,9 mil blindado e R$ 38 mil não blindado.

Para finalizar, conforme indicado no início do artigo, trarei a você, a partir de agora, 15 cuidados imprescindíveis para quem pretende blindar o seu veículo.

 

15 Cuidados Que Você Deve Ter Ao Blindar Seu Carro

Se, com um carro tradicional, a atenção do proprietário já é bastante exigida, quando falamos de um modelo blindado, os cuidados devem ser redobrados.

Dado o alto investimento e todos os detalhes que envolvem o processo de blindagem de veículos, há quase a necessidade de elaborar um planejamento, considerando aspectos que aparecem antes da modificação, durante ela e assim que concluída.


Para que você entenda melhor como cuidar do seu carro blindado, dividi os pontos de atenção em três etapas. Confira:

Antes

  1. Olho no custo: se for baixo demais, desconfie. Christian Conde, atual vice-presidente da Associação Brasileira de Blindagem (Abrablin), indicou à Revista Exame que a proteção de nível III-A dificilmente terá um custo inferior a R$ 40 mil.
  2. Conheça sua necessidade: como expliquei, os níveis de proteção são variados. Nessa hora, tentar economizar pode não ser uma boa ideia. É preciso saber qual tipo de resistência seu carro precisa antes de contratar o serviço.
  3. Verifique se o seu carro pode ser blindado: a tecnologia evoluiu e, hoje, praticamente todo o carro pode ser blindado. Mas você tem certeza de que, no seu caso, vale a pena? Há carros, por exemplo, que não suportam o peso da alteração. Portanto, não se deixe deslumbrar com propostas insustentáveis.
  4. Escolha a empresa: é interessante visitar seu site e até sua sede, explorar o que andam dizendo sobre seus serviços na internet e tentar captar opiniões de clientes reais. Não feche negócio sem uma pesquisa prévia.
  5. Confira a regularidade dela: quem fabrica peças blindadas precisa de aprovação em testes balísticos. Já quem executa o serviço necessita de registro no Exército e, também, de uma autorização para blindagem de veículos e sua comercialização.

Durante

blindagem de carros dicas acompanhe vistoria
Conheça como a empresa trabalha e o que está sendo realizado nas vistorias
    1. Acompanhe a vistoria: a primeira etapa de um processo de blindagem de veículos consiste na vistoria do carro, que é obrigatória. Garanta que ela seja realizada, acompanhe e tire suas dúvidas.
    2. Faça visitas à empresa blindadora: a blindagem de um automóvel leva em torno de 30 dias, pelo menos. Durante esse período, é importante fazer visitas periódicas para acompanhar a evolução do processo. Além disso, se algo parecer estranho ou o desagradar, você pode identificar na hora.
    3. Exija a documentação: Conforme a lei prevê, você deve receber no ato da entrega do veículo todas as informações, recibo e o Termo de Responsabilidade de Blindagem.
    4. Confira o que diz o Termo de Responsabilidade: ele deve trazer número e data de controle próprio da empresa blindadora, qual foi o material utilizado, nome do fabricante, quantidade e nível de blindagem e tempo de validade da proteção balística em questão.

Depois

blindagem de carros garantia
Não deixe de checar informações importantes, como a garantia do serviço
    1. Não subestime os riscos: blindar um carro é como contratar um seguro, pois você espera que não seja necessário utilizar. Mas se preciso for, o serviço tem que valer a pena, certo? Só não se considere dono de uma supermáquina. Blindados não são um tanque de guerra infalível.
    2. Adote comportamentos seguros: em complemento à dica anterior, lembre-se de manter as portas travadas e os vidros fechados. Se estiver em meio a uma troca de tiros, não pare. Estar em movimento reduz a chance de um projétil atingir o mesmo local.
    3. Dedique-se à manutenção: como qualquer carro, o modelo blindado também precisa de cuidados preventivos para garantir seu bom funcionamento. Os pneus, por exemplo, podem sofrer maior desgaste devido ao peso elevado do automóvel, assim como freios e amortecedores.
    4. Monitore o consumo: devido ao maior peso do carro blindado, é natural que o consumo de combustível fique ligeiramente maior. Mas as novas tecnologias têm atenuado esse impacto.
    5. Substitua peças danificadas: se sofrer alguma avaria na blindagem, lembre-se de que não é mais possível reparar a peça danificada. Ela precisa ser substituída integralmente.
    6. Cheque a garantia: se precisar de substituição, verifique se ainda possui garantia do serviço executado pela empresa blindadora e se pode fazer uso dela.

     

    E então, gostou das dicas? Espero tê-lo ajudado!

 

Conclusão

blindagem de carros conclusao
Conseguiu avaliar os pontos positivos e os negativos de blindar o carro?
  1. Não subestime os riscos: blindar um carro é como contratar um seguro, pois você espera que não seja necessário utilizar. Mas se preciso for, o serviço tem que valer a pena, certo? Só não se considere dono de uma supermáquina. Blindados não são um tanque de guerra infalível.
  2. Adote comportamentos seguros: em complemento à dica anterior, lembre-se de manter as portas travadas e os vidros fechados. Se estiver em meio a uma troca de tiros, não pare. Estar em movimento reduz a chance de um projétil atingir o mesmo local.
  3. Dedique-se à manutenção: como qualquer carro, o modelo blindado também precisa de cuidados preventivos para garantir seu bom funcionamento. Os pneus, por exemplo, podem sofrer maior desgaste devido ao peso elevado do automóvel, assim como freios e amortecedores.
  4. Monitore o consumo: devido ao maior peso do carro blindado, é natural que o consumo de combustível fique ligeiramente maior. Mas as novas tecnologias têm atenuado esse impacto.
  5. Substitua peças danificadas: se sofrer alguma avaria na blindagem, lembre-se de que não é mais possível reparar a peça danificada. Ela precisa ser substituída integralmente.
  6. Cheque a garantia: se precisar de substituição, verifique se ainda possui garantia do serviço executado pela empresa blindadora e se pode fazer uso dela.

 

E então, gostou das dicas? Espero tê-lo ajudado!

Foi multado? Não fique sem dirigir! Descubra agora como não perder a CNH: Clique aqui para ter uma CONSULTA GRATUITA com o Doutor Multas.