Andar de Moto Com Segurança Sem Levar Multa e Pontos na CNH: Confira 9 Dicas Incríveis

Última atualização em

Saber como andar de moto com segurança é fundamental para os motoqueiros, sejam os que utilizam a moto para trabalhar ou que a utilizam unicamente por lazer. A legislação de trânsito especifica quais equipamentos devem obrigatoriamente fazer parte do veículo para a segurança do condutor e, ainda, de que forma os itens de segurança devem ser utilizados.

Sensação de liberdade, vento no rosto, coração acelerado. Quem já experimentou o prazer de andar sobre duas rodas sabe do que estou falando.

Andar de moto, para a maior parte dos pilotos, não significa apenas uma forma de deslocamento prática e rápida, mas uma paixão, um hobby.

De acordo com o portal UOL, uma pesquisa – realizada na Universidade da Califórnia, em Los Angeles – revelou que pilotar moto é uma prática capaz de reduzir o estresse.

Ou seja, além dos outros tantos benefícios, tais como economia de combustível, rapidez e adrenalina, andar de moto é quase uma terapia.

Se você é apaixonado por esse veículo, talvez nada disso seja novidade para você.

Mas você já parou para pensar se sabe como andar de moto com segurança?

Embora seja um dos meios de transporte mais fáceis de se adquirir e manter, principalmente se comparado com o carro, a moto é um veículo perigoso.

Portanto, seja você um motociclista experiente ou alguém que está considerando comprar uma moto, saber como andar de moto com segurança é fundamental.

Contudo, é claro, neste artigo, não abordarei apenas esse aspecto.

De modo a tornar este conteúdo ainda mais completo para você que é apaixonado pelo universo do motociclismo, falarei sobre diversos outros tópicos sobre o assunto.

Quer saber mais sobre andar de moto com segurança e, de quebra, descobrir coisas que você não conhece sobre esse veículo?

Então continue a leitura deste artigo!

 

Motociclistas Estão Mais Vulneráveis Aos Acidentes no Trânsito

Não seja mais uma vítima dos perigos do trânsito

Não é segredo para ninguém que os pedestres e motociclistas são as principais vítimas do trânsito brasileiro.

Mas você sabia que os motociclistas estão ainda mais suscetíveis do que os pedestres a se ferirem gravemente?

No Brasil, a ocorrência de acidentes de moto, principalmente em ultrapassagens, é significativa.

É o que confirmam os dados levantados pelo Fórum Nacional da Cruz Vermelha Brasileira sobre Segurança Viária.

Em entrevista à EBC Agência Brasil, o médico Fernando Moreira, especialista em Medicina do Trânsito, afirmou que a maior parte das internações pelo SUS são de motociclistas.

De acordo com o especialista, o aumento no número de acidentes envolvendo motociclistas está relacionado ao crescimento da frota de motos nos últimos dez anos.

A esse respeito, Fernando salientou a importância de o motociclista utilizar capacete e calçado fechado para pilotar.

A não utilização dos itens de segurança é um dos principais fatores motivadores de acidentes, principalmente em cidades interioranas, em que a fiscalização é menos intensa.

Utilizando os equipamentos de segurança obrigatórios, e, claro, respeitando as leis de trânsito, a chance de você sair ileso de um acidente será muito maior.

Além disso, também é importante que os outros veículos respeitem as normas de trânsito e estejam atentos aos motoqueiros.

Afinal, veículos de maior porte devem cuidar dos de menor porte, conforme o § 2º do art. 29 do CTB.

Mas, como sabemos, nem sempre as leis de trânsito são seguidas à risca, o que significa que você deve estar preparado para qualquer eventualidade nesse sentido.

O que quero dizer é: não espere que outros motoristas sejam cautelosos. Seja você um condutor consciente e cauteloso no trânsito.

Quer começar a agir com o objetivo de fazer um trânsito mais seguro?

Então, confira as dicas que preparei para ajudá-lo a andar de moto com segurança em qualquer ocasião, seja a trabalho ou por lazer.

 

9 Dicas Para Andar de Moto Com Segurança

Há diversas atitudes que podem ser tomadas para diminuir o risco de acidentes

Infelizmente, no trânsito ninguém está isento de se envolver em um acidente, seja pedestre ou motorista.

Quando se está sobre duas rodas, então, esse risco é ainda maior, já que o condutor fica quase totalmente exposto no veículo.

Dentro de um automóvel, o condutor, de certa forma, está mais protegido caso aconteça uma colisão ou derrapagem na pista, por exemplo.

Afinal, além do cinto de segurança, desde que seja utilizado, o condutor tem como proteção, também, a lataria do carro.

Na moto, o cenário é outro: em caso de acidente, o piloto pode acabar sendo gravemente ferido, principalmente se não estiver usando capacete.

Nesse sentido, saber como andar de moto com segurança é crucial, tanto para a sua segurança pessoal como para a de outras pessoas que estão no trânsito.

Acelera e freia, para na sinaleira, desvia de um obstáculo: são tantas as ações que demandam a atenção do condutor, que, muitas vezes, nos esquecemos de tomar cuidados básicos na direção.

Pensando nisso, resolvi fazer uma lista com dicas simples de segurança para o piloto de moto.

Como você verá, são cuidados bem fáceis de implementar quando você for sair com a sua moto, que, acredite, farão toda a diferença.

·       Dica 1: Nunca ultrapasse pela direita

Ultrapassar pela direita, salvo quando o veículo da frente estiver colocado na faixa apropriada e der sinal de que vai entrar à esquerda, é uma infração de trânsito.

A conduta é descrita no art. 199 do CTB como infração média, portanto, punível com multa de R$ 130,16 e 4 pontos na CNH.

Não é à toa que essa prática é considerada infratora pela legislação de trânsito, afinal, é muito arriscada.

A chance de você colidir com outro veículo ao fazer isso é imensa, e, caso isso aconteça, provavelmente você se envolverá em um acidente bem grave.

·       Dica 2: Evite andar no corredor

Você costuma fazer isso?

Essa é uma prática comum entre os motociclistas brasileiros, mas que não deveria ser vista como “normal no trânsito”.

Em muitos países, inclusive, trafegar pelos corredores das vias é proibido. Em outros, quando o trânsito está mais lento, é permitido andar no corredor, mas em velocidade reduzida.

No Brasil, não há proibição específica quanto ao tráfego de motocicletas no corredor. A ausência de proibição, porém, não equivale à permissão da prática.

Assim, poucos são os motociclistas que não aproveitam a oportunidade para andar entre os carros, estejam estes parados ou em movimento.

Diferente do que muita gente pensa, o condutor se coloca em situação de risco ao fazer isso, podendo provocar acidentes.

Além disso, a passagem dos motociclistas, muitas vezes, tira a atenção dos demais condutores.

Não está descartada, contudo, a possibilidade de você ser autuado por infringir o art. 192 do CTB.

Segundo o referido artigo, é infração grave não manter uma distância segura entre o seu veículo e os demais.

De modo a evitar acidentes, uma multa de R$ 195,23 e 5 pontos na CNH, tente não fazer isso ao trafegar.

·       Dica 3: Pilote de maneira defensiva

É fato que quem conduz uma moto têm desvantagens em relação a quem dirige um automóvel, como ter de lidar com as alterações climáticas e estradas esburacadas.

A capacidade de atingir uma velocidade maior com a moto também é um ponto positivo, mas, por outro lado, pode ser um fator de risco.

Nesse sentido, você deve estar atento ao trânsito, sempre agindo de maneira defensiva a fim de diminuir as chances de causar um acidente.

Afinal de contas, não se esqueça de que você está mais vulnerável nessa circunstância.

·       Dica 4: Fique longe de motoristas falando ao celular

Parece besteira, mas manter distância de motoristas cuja atenção está voltada para o celular, e não para o trânsito, pode salvar a sua vida.

O uso do celular ao volante provoca a distração do condutor e aumenta consideravelmente a chance de acontecer um acidente.

E, se você estiver perto de um veículo cujo condutor está mais suscetível a se envolver em um acidente, pode acabar “sobrando pra você” também.

É claro que nem sempre você conseguirá ter uma noção completa do trânsito ao seu redor, mas não custa nada ficar de olhos abertos para esse tipo de coisa.

·       Dica 5: Mantenha o farol aceso

Andar com os faróis do veículo apagados diminui a sua visibilidade ao volante

Além de ser uma infração gravíssima conduzir motocicleta com os faróis apagados (art. 244, inciso IV do CTB), mantê-los acesos melhora muito a visibilidade do condutor.

Isso ajudará você a perceber obstáculos na via e, assim, a desviar deles com mais facilidade.

Ou, em caso de não poder evitá-los, ao menos você estará mais bem preparado se surgir um empecilho no seu caminho.

·       Dica 6: Conheça a sua moto

Ter habilidade com o veículo está ligado a conduzi-lo melhor

Essa é uma dica simples, mas muito importante para quem está começando a pilotar: entenda o funcionamento do seu veículo.

Antes de começar a andar em vias movimentadas, trafegue em ruas isoladas para treinar sua habilidade com a moto.

·       Dica 7: Conheça a legislação de trânsito

Entendo que possa ser entediante pegar uns minutos do seu dia para ler o Código de Trânsito Brasileiro.

Mas saiba que ter em mente o que é previsto pela legislação de trânsito evitará muito mais do que punições.

Há uma razão que justifica a existência de um código de normas no trânsito: ao segui-las, todos podem transitar com seu veículo de forma segura, garantindo também a segurança dos pedestres.

·       Dica 8: Não deixe de utilizar o retrovisor

Usar corretamente o retrovisor lhe garantirá uma visão completa do que está ao seu redor.

Seu campo de visão lhe permitirá agir em segurança sobre a moto.

Assim, ficará muito mais fácil fazer uma ultrapassagem, por exemplo, sem correr o risco de colidir com outro veículo.

·       Dica 9: Não freie bruscamente

Por ser um veículo leve, a moto é um dos meios de transporte que mais proporciona rapidez na locomoção.

Por conta disso, é comum vermos motociclistas andando em alta velocidade.

Imagine que você está em alta velocidade e, de repente, surge um obstáculo, ou uma curva bem na sua frente.

Qual seria a sua reação nessa situação? Aposto que você respondeu que frearia o veículo, estou certo?

Mas essa não é uma boa ideia. É melhor reduzir gradativamente a velocidade do veículo de modo a evitar o risco de seu corpo ser arremessado da moto.

Depois de conhecer essas dicas, o que você acha de dar uma conferida na lista de equipamentos obrigatórios para a sua moto?

Se você não sabe ao certo tudo o que é preciso para seguir a legislação, leia a próxima seção.

 

Equipamentos Obrigatórios Para Andar de Moto Com Segurança

10 equipamentos são obrigatórios para andar de moto respeitando a lei

O uso de equipamentos obrigatórios para os veículos automotores é disciplinado pela Resolução n° 14/98 do CONTRAN (Conselho Nacional de Trânsito), inclusive para os motoqueiros.

Muitos condutores se preocupam apenas em utilizar o capacete quando vão andar de moto, mas, na verdade, há diversos outros itens de segurança igualmente indispensáveis.

Infelizmente, porém, mesmo com a resolução vigorando há mais de 20 anos, os itens obrigatórios ainda são pouco utilizados pelos motociclistas.

De acordo com a referida resolução, art. 1°, inciso IV, a motocicleta deve conter obrigatoriamente 10 equipamentos. São eles:

  1. espelhos retrovisores, de ambos os lados;
  2. farol dianteiro, de cor branca ou amarela;
  3. lanterna, de cor vermelha, na parte traseira;
  4. lanterna de freio, de cor vermelha
  5. iluminação da placa traseira;
  6. indicadores luminosos de mudança de direção, dianteiro e traseiro;
  7. velocímetro;
  8. buzina;
  9. pneus que ofereçam condições mínimas de segurança;
  10. dispositivo destinado ao controle de ruído do motor.

Além de respeitar essa determinação, para andar de moto com segurança, é ideal que o motociclista utilize, ainda, outros equipamentos protetores.

Conforme o art. 54 do CTB, os motociclistas só poderão circular nas vias atendendo a três exigências.

Para seguir a lei, o motoqueiro, portanto, deve:

  • utilizar capacete de segurança, com viseira ou óculos protetores;
  • segurar o guidom com as duas mãos;
  • usar vestuário de proteção, de acordo com as especificações do CONTRAN.

Utilizar vestuário de proteção e capacete de segurança é uma determinação que também se aplica aos passageiros de motocicletas, de acordo com o art. 55 do CTB.

O inciso II do mesmo artigo define, também, a obrigatoriedade de os passageiros serem transportados no assento atrás do condutor, ou em carro lateral acoplado.

Como você pode ver, o CTB delega ao CONTRAN a definição quanto à vestimenta adequada para pilotar uma moto.

Porém, não há ainda uma regulamentação específica quanto à vestimenta adequada para os pilotos, ou seja, não são obrigatórios itens como jaqueta e botas, por exemplo.

Tudo indica que a falta de obrigatoriedade é a principal razão para o fato de a maioria dos motoqueiros não tomar precauções extras pela sua segurança.

Afinal de contas, o motoqueiro só poderá ser autuado caso esteja pilotando sem capacete.

O mesmo não acontecerá, porém, se luvas de proteção, por exemplo, não forem utilizadas.

Na ausência dessa regulamentação, de qualquer modo, é importante saber de que outras formas é possível aumentar sua proteção no trânsito.

Para ajudá-lo nesse sentido, na próxima seção, apresentarei a você itens básicos de segurança para você andar na sua moto tranquilamente.

 

Itens de Segurança Para Motoqueiros

Não é preciso (muito menos recomendado) aguardar a legislação de trânsito definir regras de vestimenta para os motociclistas para começar a andar protegido no trânsito.

Você pode começar a se proteger hoje mesmo. Basta conferir os itens listados abaixo!

1.    Capacete

Estar atento às especificações sobre o uso correto do capacete, conforme o CONTRAN, é fundamental

Não é incomum, embora haja previsão legal, encontrar, no trânsito, condutores pilotando moto sem capacete.

Desobedecer a essa regra é infração gravíssima, conforme art. 244, inciso I, punível com multa de R$ 293,47 e suspensão automática da CNH, dada a sua gravidade.

Mas, apesar de as punições impostas ao condutor nessa situação serem severas, não é somente por essa razão que a determinação deve ser seguida.

Sua segurança deve ser sua principal motivação para nunca andar de moto sem capacete, já que a cabeça é a parte do corpo mais sensível e que, portanto, sofre mais lesões em acidentes.

A utilização do capacete – equipamento obrigatório – é regulamentada pelas Resoluções CONTRAN nº 453/2013 e nº 680/2017.

O art. 2º da Resolução nº 453 define os aspectos que serão verificados em uma fiscalização acerca do capacete.

  • O capacete deve ser certificado pelo INMETRO.
  • O capacete deve estar devidamente afixado à cabeça.
  • O capacete deve conter dispositivo retrorrefletivo nas partes laterais e traseira.
  • O capacete deve conter selo de identificação ou etiqueta interna do INMETRO – norma NBR7471 –, podendo estar afixada no sistema de retenção.
  • O capacete deve estar adequado para uso, ou seja, não poderá estar danificado.

Quanto ao selo de identificação e dispositivo retrorrefletivo, o parágrafo único do referido artigo determina que os requisitos se aplicam aos capacetes fabricados a partir de 1º de agosto de 2007.

Ainda, conforme o art. 3º da Resolução, o capacete deve ser utilizado, tanto pelo condutor quanto pelo passageiro, com viseira ou óculos de proteção, em boas condições de uso.

2.    Óculos

Há algumas exigências bem específicas em relação ao uso dos óculos de proteção

Outro item extremamente importante são os óculos.

É proibido, de acordo com o § 2º do art. 3º da mesma resolução, o uso de óculos de sol, óculos corretivos ou de segurança do trabalho, em substituição aos óculos de proteção.

Ainda, conforme o § 3º, quando o veículo estiver em movimento, a viseira ou os óculos de proteção devem estar posicionados de forma a proteger totalmente os olhos.

Obs.: A viseira poderá ser totalmente levantada quando o veículo estiver imobilizado na via, devendo ser imediatamente abaixada quando o veículo for colocado em movimento, de acordo com o § 3º, I.

3.    Botas

Invista em um bom calçado que possa proteger seus pés caso ocorra um acidente

É infração de trânsito de natureza média usar calçado que não se firme nos pés ou que comprometa a utilização dos pedais, de acordo com o art. 252, IV, do CTB.

Apesar disso, com frequência, vemos motociclistas pilotando sua moto usando chinelo de dedo.

Além de ser proibido, o ideal é que o piloto utilize um calçado fechado que possa proteger seus pés em caso de acidente.

Uma bota de couro, com solado de borracha, é o calçado ideal para quem fica tão exposto no trânsito.

De qualquer modo, um tênis (sem cadarço, de preferência) já é suficiente para aumentar sua proteção.

4.    Luvas

As luvas são aliadas do motoqueiro tanto no frio quanto no calor

Embora seja um pouco mais cara, vale a pena investir em luvas de couro, que protegem bem mais do que luvas comuns.

Além de proteger suas mãos em um impacto, já que tendemos a tentar amortecer a queda com as mãos, as luvas ajudam a aumentar sua aderência ao guidom da moto, principalmente em dias chuvosos.

E, em dias quentes, a utilização de luvas, mesmo que em material mais fino, evita que suas mãos fiquem expostas ao sol.

5.    Jaqueta e calça apropriada

Para dias de chuva, o ideal é utilizar roupas impermeáveis ou uma capa de chuva.

De qualquer modo, é importante usar uma jaqueta e calça adequada independente da condição climática.

Muitos condutores acabam sofrendo mais lesões corporais justamente por não estarem com uma vestimenta capaz de protegê-los.

Opte por roupas cujo material seja resistente aos impactos, como couro (mais indicado para os dias frios) ou lona (mais adequado para os dias quentes).

Se possível, também dê preferência às jaquetas com proteção nos ombros e cotovelos e às calças com proteção nas laterais e nos joelhos.

Não se esqueça, também, de que a roupa deve ficar ligeiramente folgada em seu corpo, caso contrário, você terá problemas de flexibilidade para dirigir.

 

Conclusão

Com essas dicas, basta andar de maneira defensiva no trânsito, aproveitando o seu veículo

Como você viu neste artigo, é possível andar de moto com segurança, respeitando a legislação de trânsito e garantindo, assim, distância de multas de trânsito.

Nesse sentido, apresentei a você 9 dicas fundamentais de postura para adotar no trânsito, as quais o ajudarão a ter mais segurança ao volante.

Andar sobre duas rodas, como comentei anteriormente, é uma paixão para muitas pessoas, mas não deixa de ser uma prática de risco.

Portanto, quanto mais você tomar precauções em prol da sua segurança, melhor. Faça isso, mesmo que a legislação de trânsito não o obrigue.

Garanta os equipamentos obrigatórios para andar de moto dentro da lei, e, se possível, utilize também os 5 itens de segurança mencionados acima.

Com eles, embora esteja mais exposto ao volante, você diminui a probabilidade de se ferir em um acidente de trânsito.

Em resumo, é totalmente possível aproveitar seu veículo de duas rodas sem colocar a sua vida em risco.

Para isso, basta ser consciente da sua responsabilidade no trânsito.

Por fim, como você sabe, não é apenas o motociclista que deve tomar cuidados ao volante, mas também os demais condutores presentes no trânsito.

Portanto, reforce esse alerta para outras pessoas, compartilhando este artigo em suas redes sociais.

Todos que compartilham o trânsito devem saber da importância de andar de moto com segurança, e você pode ajudá-los nisso.

 

Ficou com alguma dúvida sobre o assunto? Deixe seu comentário abaixo para que eu possa esclarecê-la!

Estou à sua disposição!

Foi multado? Não fique sem dirigir! Descubra agora como não perder a CNH: Clique aqui para ter uma CONSULTA GRATUITA com o Doutor Multas.