Airbag: Saiba se é Obrigatório no Brasil e Como Ele Funciona

Devido às constantes mudanças e atualizações na legislação brasileira de trânsito, o condutor sente, cada vez mais, a necessidade de se manter bem informado e, também, adaptado às novas normas.

Um exemplo disso é a grande procura por informações sobre o uso de airbag para o motorista e o passageiro dianteiro do veículo.

Nota-se, inclusive, que os condutores experientes apresentam muitas dúvidas sobre o funcionamento e a obrigatoriedade do airbag, já que esse equipamento de segurança acaba sendo uma novidade para quem adquire um veículo novo, por exemplo.

Pesquisando um pouco mais sobre o assunto, não é difícil encontrar os prós e contras sobre o uso do airbag.

Por exemplo, em publicação no site da Exame, em 2017, a Honda anuncia 11 mortes por explosão de airbag da Takata.

Como você pode perceber, existem motivos de sobra para que haja muitas polêmicas e dúvidas relacionadas ao uso desse equipamento de segurança.

O certo é que, apesar de o uso do airbag estar previsto no Código de Trânsito Brasileiro (CTB), desde 2009, há muitos pontos que precisam ser esclarecidos ao condutor.

Portanto, se você está planejando trocar de carro e tem dúvidas sobre comprar veículo com airbag, acompanhe este artigo até o final e fique bem informado sobre esse polêmico equipamento de segurança.

Boa leitura!

 

Saiba o Que é o Airbag e Como Ele Funciona

O airbag é um dispositivo de segurança do veículo que complementa o cinto de segurança

O airbag, também popularmente conhecido como bolsa de ar, é um equipamento de segurança usado em veículos automotores.

Esse componente é acionado sempre que há uma variação brusca na velocidade do veículo, ou quando este sofre um impacto muito forte como, por exemplo, uma batida.

Uma vez acionado, o airbag infla de ar instantaneamente, amortecendo, assim, o impacto sofrido pelos ocupantes do veículo.

Para que haja a retenção e o posicionamento adequados do corpo no momento de atuação do airbag, o cinto de segurança é de fundamental importância.

Assim, pode-se dizer também que o airbag é um dispositivo de segurança do veículo que complementa o cinto de segurança.

As partes do corpo que a bolsa de ar mais protege são o rosto, a coluna e o peito, pois elas são distribuídas em pontos estratégicos no interior do veículo: na parte frontal, traseira, lateral esquerda, lateral direita, na parte de trás do banco do motorista e dos passageiros e como uma espécie de cortina no forro de dentro da cabine do veículo.

Dessa forma, dependendo de qual sensor é acionado com o impacto, este emitirá sinais para uma única unidade de controle e, assim, será acionado o airbag mais adequado para a situação.

Passado o momento do impacto, o airbag esvazia-se gradativamente, evitando, assim, que a pessoa fique asfixiada.

Quanto à intensidade com que um airbag infla, atualmente há alguns modelos que conseguem prever a possível intensidade que o impacto terá e, assim, inflam com a intensidade adequada à necessidade.

Por exemplo, dependendo da circunstância, um airbag pode inflar de forma muito veloz: em 25 milésimos de segundo. Isso equivale a uma velocidade cinco vezes mais rápida que um piscar de olhos.

E toda essa tecnologia tem um objetivo muito nobre: salvar vidas!

Para que você tenha uma ideia, estudos realizados recentemente apontam que mais de 6.000 pessoas já tiveram suas vidas salvas pelos airbags.

Mas, você sabe quando esse dispositivo de segurança começou a ser usado em veículos?

Ficou curioso para conhecer a história do airbag? Descubra seguindo esta leitura!

Quando surgiu o airbag?

Atualmente, por ser considerado um item indispensável para a segurança dos ocupantes de um veículo automotor, o uso do airbag é obrigatório por lei.

Ele foi inventado pelo americano John W. Hetrick, no ano de 1952.

Entretanto, um longo caminho foi percorrido desde o seu surgimento e muitos aperfeiçoamentos tiveram de ser realizados até que o dispositivo pudesse ser usado.

Durante a década de 60, muitas pesquisas foram feitas para que, somente nos anos 70, os testes com airbag pudessem ser realizados em automóveis americanos.

Vale lembrar também que, no ano de 1981, foi criado um dispositivo muito semelhante, o Sistema de Retenção Suplementar (SRS).

Esse dispositivo fazia parte de um kit, o qual consistia em uma segurança extra para o motorista.

Mas, enfim, a novidade do sistema de segurança airbag para veículos automotores foi anunciada ao mundo no ano de 1987.

O evento se deu no Salão do Automóvel de Frankfurt, na Alemanha, quando o mundo ficou sabendo que o primeiro veículo automotor a disponibilizar esse tipo de sistema de segurança era o Classe S, mais precisamente o da série 126, produzido pela Mercedes-Benz.

A partir de então, iniciou-se a comercialização do equipamento no mercado automotivo.

Bom, agora que você já sabe quando o airbag surgiu e quando ele começou a ser comercializado, é preciso entender melhor como ele é fabricado.

Descubra na próxima seção!

Processo de fabricação do airbag

Geralmente, os airbags são feitos de materiais bem resistentes a impactos como, por exemplo, o nylon.

Dentro do airbag, um filamento que se encontra em contato com uma pastilha de azida de sódio é ligado por um sensor de colisão.

Dessa forma, é disparada uma reação que libera grande quantidade de nitrogênio.

A velocidade com que o ar se forma chega a alcançar a marca dos 300 km/h, fazendo com que a bolsa se infle em fração de segundo.

O airbag, por ser fabricado de nylon fino e resistente, pode ficar dobrado e acomodado em compartimento especial.

Um circuito integrado e um acelerômetro são capazes de detectar e analisar as mudanças de velocidade do veículo, já que, juntos, formam um sensor de colisão.

Esse sensor é programado para desprezar diminuições de velocidade não muito significativas, como as que ocorrem em uma freada brusca, por exemplo.

No entanto, se a desaceleração for drástica, o sensor envia imediatamente um sinal e a bolsa será instantaneamente inflada.

Após saber de que material geralmente são constituídos os airbags, conheça, a seguir, os tipos de airbags que existem no mercado.

 

Principais Tipos de Airbags

Existe no mercado uma variedade bem grande de tipos de airbag. Muitos deles, no entanto, são disponibilizados apenas no mercado internacional.
Existe no mercado uma variedade bem grande de tipos de airbag. Muitos deles, no entanto, são disponibilizados apenas no mercado internacional.

Conheça, a seguir, uma lista de tipos de airbags mais conhecidos:

1. Frontal

Este é o tipo de airbag mais conhecido pelos condutores. Os carros fabricados no Brasil, a partir de 2014, são obrigados a integrar o dispositivo.

Sua característica principal é a de inflar conforme o tipo de colisão.

A parte do corpo que esse tipo de airbag melhor protege é o peito. Isso evita que os ocupantes da parte da frente do veículo se choquem contra o volante e o painel.

2. Lateral

Tem por objetivo proteger a cabeça e o tórax dos ocupantes do veículo, e pode ficar apenas na parte da frente do veículo ou também em toda a sua parte lateral.

3. Cortina

Seu objetivo é diminuir possíveis impactos na parte lateral do veículo, e também proteger o motorista e os passageiros dos estilhaços de vidro que podem resultar de eventuais batidas.

4. Central

Sua função é evitar o choque provocado por acidente entre o motorista e o passageiro, e sua localização é entre os bancos da frente.

5. Para joelhos

Ele tem como função evitar o impacto entre os joelhos do condutor e a direção do veículo. Esse tipo de airbag não é muito comum no Brasil.

6. Para vidro traseiro

Esse tipo de airbag tem como objetivo proteger a cabeça dos passageiros em casos de batida na traseira do veículo, assim como protegê-los dos estilhaços de vidro.

7. De cinto

Trata-se de um cinto de segurança que infla ao entrar em ação.

O seu objetivo é proteger os ocupantes do veículo (principalmente as crianças) de uma colisão frontal ou lateral.

8. De capô

Esse tipo de airbag tem como objetivo amenizar o impacto do pedestre contra o pára-brisa e o capô, e está localizado na base do para-brisa.

9. De teto

A sua função é proteger o motorista e os passageiros que ocuparem veículo com teto solar.

Esse tipo de airbag impede que os ocupantes do veículo sejam lançados para fora em possíveis capotamentos, ou que se cortem com estilhaços de vidro, por exemplo.

Para isso, a bolsa de ar preenche todo o espaço acima da cabeça dos ocupantes do veículo.

E quanto aos valores dos carros equipados com airbags?

Acompanhe a próxima seção deste artigo e conheça os cinco veículos mais baratos com airbags de cortina.

 

Carros com Airbags: Quais os Valores?

O Brasil ainda está longe de produzir carros com sistema de segurança ideal proporcionado pela maioria dos tipos de airbag vistos acima.

O que acontece é que, quase a totalidade dos carros nacionais meramente tenta se adequar ao que prevê a lei, ou seja, apenas obedecem à obrigatoriedade do uso de airbags frontais e freios ABS.

Assim, há um avanço muito lento no uso de conjuntos completos de airbags em carros mais acessíveis.

Por exemplo, se tomarmos como parâmetro um valor médio de R$ 100.000,00, há disponíveis, no mercado automotivo atual brasileiro, mais ou menos 20 modelos de carros que oferecem airbags de cortina, ou seja, aqueles que proporcionam segurança à cabeça e aos ombros de todos os ocupantes do carro.

Confira, agora, quais são os cinco carros mais baratos que oferecem airbags de cortina e seus valores:

1 — Peugeot 208 Griffe: R$ 70.490;

2 — Ford New Fiesta Titanium Plus: R$ 75.190;

3 — Volkswagen Golf Comfortline TSI: R$ 78.780;

4 — Ford New Fiesta Sedan Titanium: R$ 79.560;

5 — Honda Fit EXL: R$ 81.700.

Portanto, caso você esteja pensando em adquirir um veículo novo, ou, até mesmo, trocar o seu carro usado por um desses modelos com airbag, tá aí uma boa dica!

Quanto à obrigatoriedade do uso de airbags no carro, que mencionei acima, você ficou curioso para saber o que diz a lei?

Siga a leitura e descubra!

 

O Que Diz a Lei Sobre o Airbag?

O airbag frontal para o condutor e o passageiro dianteiro está entre os itens obrigatórios previstos por lei.

Para entendermos melhor o que é previsto na lei sobre o uso de airbag no carro, é preciso recorrer ao CTB, mais precisamente, ao seu art. 105, alterado pela Lei nº 11.910, de 18 de março de 2009.

O art. 105, VII, determina que o airbag – equipamento suplementar de retenção – é equipamento obrigatório para o condutor e o passageiro do banco dianteiro.

De acordo com o § 1º do referido artigo, é de competência do CONTRAN (Conselho Nacional de Trânsito) regularizar o uso de airbags e determinar suas especificações técnicas.

O § 3º do art. 105 do CTB, por sua vez, prevê que a comercialização de veículos deve ser feita dentro das normas estabelecidas pelo artigo, ou seja, os carros devem estar com os devidos equipamentos obrigatórios.

Já o § 5º do artigo em questão estabelece que o uso de airbag, previsto no inciso VII desse mesmo artigo, terá de ser incorporado um ano após essa data aos novos projetos de automóveis, e cinco anos após essa definição aos automóveis zero quilômetro ou projetos já existentes.

Ainda de acordo com o § 6º desse artigo, podemos ver que veículos destinados à exportação estão isentos da obrigatoriedade do uso de airbags.

E quanto à validade do dispositivo? Você sabia que o airbag também tem prazo de validade?

Saiba qual é esse prazo na próxima seção.

 

Prazo de Validade do Airbag

Quando se fala em prazo de validade de airbags é preciso levar algumas coisas em consideração.

Por exemplo, é preciso saber se o produto é nacional ou importado, ou então, levar em consideração o fabricante do dispositivo.

Isso porque, na Europa, o prazo ideal para a substituição do airbag é de 10 anos.

Por sua vez, nos Estados Unidos esse prazo aumenta para 15 anos.

Aqui no Brasil, também há variações nos prazos de validade do dispositivo, já que não existe uma regulamentação federal para esse caso e, assim, o prazo muda de acordo com a montadora.

A Chevrolet e a Toyota não estipulam prazo de validade para airbags.

A Peugeot, por outro lado, informou que a vida útil ideal dos airbags é de 10 anos e, após esse tempo, o recomendável é trocar o dispositivo por outro novo.

E se o sistema de airbag apresentar algum problema, você sabe o que fazer?

 

Como Identificar um Defeito no Airbag?

O defeito no airbag pode ser visualizado no painel

Toda vez que o sistema de airbag apresentar algum problema, o motorista poderá visualizar o aviso no painel do seu carro, pois o símbolo que equivale ao airbag irá acender.

Por isso, é tão importante que o motorista fique sempre atento à sinalização no painel do veículo enquanto dirige.

Caso você não saiba qual é o símbolo do airbag, é só consultar o manual do proprietário do veículo.

Uma vez identificado um problema com o airbag, o ideal é procurar ajuda profissional o quanto antes.

Além disso, sempre que submeter o carro à revisão geral periódica, solicite também uma revisão no sistema de airbag.

Falando em airbags que podem apresentar defeitos, você sabia que, dependendo da gravidade do defeito do airbag em questão, ele pode ferir e até mesmo causar a morte dos ocupantes do veículo?

Saiba mais na sequência desta leitura.

 

Recalls de Airbags e a Segurança do Usuário

Recall é uma convocação para que determinado produto seja devolvido para substituição ou reparo de possíveis defeitos

Como vimos acima, os airbags podem apresentar defeitos como qualquer outro sistema ou componente do veículo.

E quando o equipamento já vem com defeito de fábrica, e é disponibilizado no mercado em grandes escalas, as consequências podem tomar proporções consideráveis.

Nesse caso, é responsabilidade da montadora que produziu o veículo convocar os proprietários dos veículos para um recall (convocação para que determinado produto seja devolvido para substituição ou reparo de possíveis defeitos).

Acontece, porém, que nem sempre o problema é identificado a tempo, ou seja, antes do airbag defeituoso fazer vítimas.

Por exemplo, a fabricante japonesa de airbag, Takata, fez 16 vítimas e afetou mais de 31 milhões de carros no mundo todo, incluindo o Brasil.

De acordo com publicação feita pela plataforma G1, em 27 de fevereiro de 2017, a Takata deve pagar US$ 1 bilhão por todo esse prejuízo, já que a empresa se declarou culpada após ser acusada criminalmente.

Segundo outra publicação recente da G1, de 01 de maio de 2019, a Ford convocou um recall de 66.087 unidades de Fusion e Edge para que os “airbags mortais” da Takata sejam substituídos.

Esses “airbags mortais”, explica a matéria, podem expelir fragmentos metálicos contra os ocupantes do veículo.

Isso pode acontecer quando o airbag é inflado com muita pressão interna e, dependendo da marca do dispositivo, o nylon pode não suportar a pressão e romper.

Assim, com o rompimento, pode acontecer de a bolsa projetar peças metálicas contra os ocupantes do carro, causando ferimentos graves ou, até mesmo, a morte dessas pessoas.

O que você achou? Assustador, não é mesmo?

É, no mínimo, contraditório, já que um dispositivo como o airbag foi desenvolvido justamente para salvar vidas.

Por isso, se você está pensando em adquirir um carro com airbag, é fundamental conhecer a procedência do fabricante do dispositivo e se informar sobre o histórico do produto.

 

Conclusão

Antes de comprar um carro novo, informe-se sobre a procedência dos dispositivos de segurança

Lendo este artigo, você conheceu um pouco mais sobre o uso do airbag.

Ficou sabendo quando o ele foi criado e quais as suas funções no carro.

Conheceu os principais tipos de airbags disponíveis no mercado e os valores dos cinco veículos mais baratos que são equipados com o dispositivo.

Também conferiu o que diz o CTB sobre a obrigatoriedade do uso do airbag em veículos.

Viu que o prazo de validade do dispositivo varia de acordo com o país e o fabricante do produto.

Descobriu como identificar possíveis defeitos no equipamento e como esses defeitos podem causar danos.

Além disso, você ficou sabendo o que é recall e como ele é importante para evitar maiores estragos e garantir a segurança do usuário.

Gostou deste artigo? As informações foram úteis para você?

Se você ainda continua com dúvidas sobre o uso de airbags, deixe comentários no final do artigo, que eu responderei com o maior prazer!