Seguro Viagem: Saiba Quanto Custa e Como Contratar a Melhor Cobertura

Você já possui seguro? Proteja seu patrimônio e dirija tranquilo. É muito mais barato do que você imagina: Clique aqui e cote seu seguro GRATUITAMENTE em 2 minutos.

Você deve concordar que conhecer novos lugares é uma das atividades mais prazerosas da vida.

Seja a trabalho, seja de férias, viajar é sempre uma experiência única, mas que demanda preparação.

É preciso pensar em muitas questões: dinheiro, vestimenta apropriada, organização das bagagens, reserva de hospedagem, revisão de automóvel etc.

Algo que é pouco lembrado, nesse momento, é que imprevistos podem acontecer durante a viagem.

Sofrer um acidente de trânsito em um lugar desconhecido, por exemplo, é uma situação bem difícil de resolver.

É por isso que existe o seguro viagem: assistência para lidar com vários tipos de contratempos ocorridos no período da viagem.

Neste artigo, falarei sobre as características dessa modalidade de seguro que, diga-se de passagem, é indispensável para garantir uma estada tranquila, seja onde for.

Boa leitura!

Seguro Viagem: Coberturas, Quanto Custa e Como Contratá-lo

O seguro viagem consiste em uma cobertura assistencial para o período em que você estiver viajando.

É semelhante a um plano de saúde, só que contratado temporariamente com a finalidade de cobrir possíveis despesas médicas ou eventualidades relacionadas à viagem, como o extravio de bagagens, por exemplo.

Contratar um seguro viagem é muito importante, principalmente, se você for para o exterior, pois o custo de um atendimento médico ou internação hospitalar costuma ser muito mais elevado fora do país.

Os tipos de cobertura são variáveis, dependendo da seguradora e do plano contratado.

Os planos mais comuns envolvem assistência médica e reembolso por danos ou perdas materiais, mas, em alguns, é possível incluir, até mesmo, assistência jurídica.

Para que você entenda melhor, nos próximos tópicos, falarei sobre os tipos de seguro viagem existentes no mercado.

 

Seguro médico hospitalar

Esse seguro garante rápido acesso ao atendimento médico fora do país

Ninguém está livre de se acidentar, não é mesmo?

Aqui no Brasil, contamos com o Sistema Único de Saúde (SUS) que, embora não atenda às expectativas, é um serviço de atendimento médico sem custo para qualquer pessoa.

Em muitos países, no entanto, nem mesmo os atendimentos emergenciais são gratuitos.

Isso significa que sofrer um acidente de trânsito em outro país, provavelmente lhe fará gastar muito além do planejado.

Mesmo para quem não vai deixar o país, o seguro viagem pode ajudar em caso de acidentes, principalmente, porque o atendimento médico é mais rápido.

Com o seguro, além de deslocamento e internação, você tem direito ao ressarcimento de qualquer despesa adicional necessária para o tratamento.

Caso você precise estender a permanência na cidade, por não conseguir voltar para casa, o seguro cobre os custos extras, gerados no período da viagem.

A cobertura de gastos com medicações ou com hospedagem no hotel costuma fazer parte de quase todos os planos.

 

Seguro de assistência jurídica

A assistência jurídica pode evitar problemas fora do país

Tendo em vista que os países estrangeiros têm sua própria jurisdição e culturas distintas, estar assegurado juridicamente, fora do Brasil, é mais do que essencial.

Em outro país, a chance de nos envolvermos em problemas, por falta de conhecimento das regras locais, é maior.

Cometer um acidente de trânsito, por exemplo, pode resultar em consequências nem imaginadas, dependendo do país.

Nesse caso, tendo o seguro, você tem assistência jurídica a qualquer momento.

Alguns planos contam, inclusive, com cobertura de fiança ou outras possíveis despesas legais, decorrentes de detenção.

Tendo em vista que os países estrangeiros têm sua própria jurisdição e culturas distintas, estar assegurado juridicamente, fora do Brasil, é mais do que essencial.

Em outro país, a chance de nos envolvermos em problemas, por falta de conhecimento das regras locais, é maior.

Cometer um acidente de trânsito, por exemplo, pode resultar em consequências nem imaginadas, dependendo do país.

Nesse caso, tendo o seguro, você tem assistência jurídica a qualquer momento.

Alguns planos contam, inclusive, com cobertura de fiança ou outras possíveis despesas legais, decorrentes de detenção.

Tendo em vista que os países estrangeiros têm sua própria jurisdição e culturas distintas, estar assegurado juridicamente, fora do Brasil, é mais do que essencial.

Em outro país, a chance de nos envolvermos em problemas, por falta de conhecimento das regras locais, é maior.

Cometer um acidente de trânsito, por exemplo, pode resultar em consequências nem imaginadas, dependendo do país.

Nesse caso, tendo o seguro, você tem assistência jurídica a qualquer momento.

Alguns planos contam, inclusive, com cobertura de fiança ou outras possíveis despesas legais, decorrentes de detenção.

Tendo em vista que os países estrangeiros têm sua própria jurisdição e culturas distintas, estar assegurado juridicamente, fora do Brasil, é mais do que essencial.

Em outro país, a chance de nos envolvermos em problemas, por falta de conhecimento das regras locais, é maior.

Cometer um acidente de trânsito, por exemplo, pode resultar em consequências nem imaginadas, dependendo do país.

Nesse caso, tendo o seguro, você tem assistência jurídica a qualquer momento.

Alguns planos contam, inclusive, com cobertura de fiança ou outras possíveis despesas legais, decorrentes de detenção.

Tendo em vista que os países estrangeiros têm sua própria jurisdição e culturas distintas, estar assegurado juridicamente, fora do Brasil, é mais do que essencial.

Em outro país, a chance de nos envolvermos em problemas, por falta de conhecimento das regras locais, é maior.

Cometer um acidente de trânsito, por exemplo, pode resultar em consequências nem imaginadas, dependendo do país.

Nesse caso, tendo o seguro, você tem assistência jurídica a qualquer momento.

Alguns planos contam, inclusive, com cobertura de fiança ou outras possíveis despesas legais, decorrentes de detenção.

 

Problemas com a bagagem

O seguro também pode cobrir extravio de bagagem

Dificilmente, você encontrará um seguro viagem que não cubra problemas, de modo geral, que você possa ter com as suas malas.

Ter as bagagens extraviadas é uma situação muito desagradável para qualquer viajante.

Além de ser algo que ocorre com frequência, as companhias aéreas não costumam se responsabilizar por danos ou perdas de objetos de valor de seus passageiros.

Para evitar essa dor de cabeça, a contratação do seguro viagem garante a sua indenização.

Provavelmente, o ressarcimento será equivalente ao valor total do seguro. É possível, também, que seja calculado pelo peso das malas.

Dependendo do plano contratado, a companhia aérea concede uma ajuda de custo para que você possa fazer compras emergenciais, enquanto a situação não se resolve.

De qualquer modo, é mais indicado que objetos de valor sejam levados na bagagem de mão.

Se for preciso despachá-los, é importante que você os declare antes de embarcar.

Problemas com o voo

Atraso ou cancelamento de voo são situações que podem ser resolvidas com o seguro

O seguro viagem também garante a indenização por problemas com o voo: atrasos, cancelamento, alteração de portão de embarque ou da data e horário de partida do avião etc.

Frente a uma dessas situações, você pode solicitar, com o seguro, o reembolso do valor da passagem, caso queira desistir da viagem, ou a realocação de viagem em horário conveniente, não necessariamente no próximo voo.

Alguns planos oferecem, ao assegurado, a possibilidade de seguir viagem por outro meio de transporte caso o tempo entre o voo cancelado e o próximo seja muito espaçado.

Seguro por morte ou invalidez permanente

Nenhum de nós está livre de sofrer um acidente mais grave e, por infelicidade, até perder a vida.

Em qualquer lugar do mundo, estamos suscetíveis a todos os tipos de risco.

O seguro viagem também garante que, em situações assim, todas as providências possam ser tomadas.

A maioria dos planos de seguro conta com 3 coberturas nesse sentido:

  • seguro de invalidez permanente por acidente;
  • seguro por morte acidental; e
  • translado de corpo.

Antes de saber como cada plano funciona, porém, é importante que você entenda como cada uma dessas condições é caracterizada.

Invalidez permanente

Acontece quando, irreversivelmente, algum membro ou parte do corpo perde suas funções parcial ou totalmente.

Invalidez parcial

No caso de invalidez parcial, o acidentado tem reduzidas as funções do(s) membro(s) atingido(s), mas não completamente comprometidas.

Nesses casos, é comum que a pessoa fique com sequelas não tratáveis, mesmo após se recuperar do trauma causado pelo acidente.

Invalidez total

A invalidez total, por outro lado, se trata de um caso mais severo, em que o acidente deixa consequências mais graves no acidentado, como a perda total da visão, da audição, ou dos membros inferiores ou superiores.

Agora, saiba quais providências serão tomadas em caso de falecimento do assegurado.

Falecimento

Lembrando que, para receber a indenização em um dos casos citados acima, o assegurado deverá comprovar seu comprometimento físico e a impossibilidade de recuperação.

Caso ocorra o falecimento do assegurado no período de viagem, o seguro deverá cobrir os gastos com o funeral, sepultamento ou cremação.

Nesse ponto, a contratação do seguro é ainda mais importante, tendo em vista que, nem sempre, os familiares estão preparados financeiramente para arcar com esse gasto extra.

Por se tratar de uma viagem, em caso de falecimento, o seguro não poderia deixar de cobrir o transporte do corpo para o país ou estado de origem do assegurado.

Caso a liberação do seguro leve mais tempo do que é possível aguardar, os familiares podem requerer a indenização posteriormente, mediante comprovante de todos os gastos custeados.

Dependendo da cobertura contratada, viajantes menores de idade, cujos acompanhantes não estejam em condições de cuidá-los, têm direito à remarcação de passagens para retorno antecipado ao país ou ao estado de origem.

Alguns seguros possibilitam, ainda, que outro familiar maior de idade busque o menor de idade, com cobertura total de despesas.

Por fim, um aspecto que deve ser considerado é se você pode precisar de assistência médico hospitalar por doenças preexistentes à contratação do seguro.

Isso pode fazer a diferença na hora de avaliar qual o melhor seguro.

Saiba do que estou falando no próximo tópico.

Doenças preexistentes à contratação do seguro viagem: o que acontece?

É bem comum que as pessoas se esqueçam de ler o contrato minuciosamente antes de assiná-lo.

Não ter esse cuidado é o que pode fazer com que você ache que está contratando algo que, na verdade, não está.

A maioria dos planos de seguro viagem não tem cobertura para problemas decorrentes de doenças preexistentes à viagem.

A maioria dos seguros cobrem apenas problemas de saúde que surgem durante a viagem.

No entanto, uma doença crônica, por exemplo, pode ter cobertura desde que você indique a sua condição de saúde previamente.

É importante sempre questionar a seguradora quanto às possibilidades de contratação.

Afinal, nada impede que seja personalizado um pacote de serviços específicos, conforme as suas necessidades.

Cuidados como esse devem ser tomados antes de a contratação ser efetivada.

Logo, explicarei a você como contratar o seguro viagem.

Antes, porém, quero esclarecer uma dúvida tida por muitas pessoas. Talvez também seja a sua.

Confira a seguir.

 

A Contratação do Seguro Viagem é Obrigatória?

O seguro viagem é obrigatório para entrar em alguns países

No caso de viagens nacionais, a contratação do seguro viagem é opcional, sobretudo para quem tem um bom plano de saúde.

Contudo, é importante lembrar que nem todos os planos de saúde estendem sua cobertura para fora da cidade em que o plano foi contratado.

É bom verificar essa questão, junto ao seu plano de saúde, para não correr o risco de ficar à mercê de ser atendido pelo sistema público de saúde caso essa não seja uma opção para você.

Diversos países exigem a contratação do seguro viagem para liberar entrada aos seus visitantes estrangeiros.

É o caso da maioria dos estados do continente europeu, o qual tem acordo firmado com o Tratado de Schengen, conhecido também como espaço Schengen.

Esse tratado foi firmado visando facilitar a livre circulação dos próprios cidadãos europeus dentro do continente, entre os países que são signatários do Tratado.

Para entrar em alguns países (membros do espaço), desde que o acordo foi estabelecido, deixou de ser necessária a retirada do visto, até então, obrigatória para permanência de até três meses no país.

Para visitar países membros do tratado, então, você deverá providenciar um seguro viagem e ter o comprovante de contratação em mãos, pois certamente lhe será solicitado.

Caso você não saiba se o seu destino faz parte da lista de países que não liberam a entrada de turistas sem seguro viagem, é possível consultar essa informação no consulado desse país.

Mesmo que não seja obrigatório, o seguro viagem não deixa de ser importante em qualquer lugar do mundo.

Na Austrália e nos Estados Unidos, por exemplo, o seguro é opcional.

Entretanto, nesses países, o custo de um atendimento de saúde é bem alto, isso sem falar na despesa com veículo de emergência, o qual também não é público.

Para alguns países da América Latina também é opcional viajar com seguro, como para Argentina e para o Paraguai.

Já Venezuela e Cuba são países que exigem, inclusive, o valor mínimo que o seguro contratado deve ter.

Para entrar na Venezuela, além do seguro para despesas médicas, também é necessário contratar um seguro adicional, específico para furto, roubo ou extravio de bagagem.

Quanto ao valor de cobertura, recomendo que você consulte o consulado do país de destino para se informar sobre o mínimo que deverá ser contratado.

Feito isso, podemos falar sobre a contratação.

 

Como Escolher e Contratar o Seguro Viagem

Mencione todas as suas necessidades antes de assinar a apólice

Na hora de escolher a cobertura mais adequada, vale pensar menos no valor a ser desembolsado e mais na garantia de que os contratempos (caso ocorram) serão resolvidos.

Contratar qualquer seguro, sem verificar que tipos de serviços estão inclusos no pacote a ser adquirido, pode resultar em um gasto ainda maior, visto que o risco de você não ter alguns de seus problemas resolvidos é grande.

Assim como é recomendável para a contratação de qualquer tipo de seguro, é necessário conhecer as cláusulas e condições antes de firmar contrato.

Por isso, leia a apólice atentamente.

O seguro só cobre aquilo que está estabelecido no contrato. Isso quer dizer que não dá para querer que eventuais problemas, não fixados na apólice, sejam solucionados a qualquer custo.

Além do mais, para ter direito ao seguro viagem, caso seja necessário, você também precisa respeitar o dispositivo contratual.

Se você contratou um seguro para ficar assegurado durante uma viagem de 10 dias à França, por exemplo, é somente nesse período e nesse país que o seguro será válido.

Caso sua intenção seja viajar de lá para outro país, essa informação precisa ser mencionada para a contratação do seguro.

Provavelmente, isso fará com que o valor do seguro viagem aumente. Em compensação, você terá a garantia de poder viajar sem preocupação.

É muito importante mencionar o máximo de informações possíveis, como, por exemplo, se você pretende praticar alguma atividade de risco durante a viagem.

Essa é uma situação que torna o assegurado mais suscetível aos acidentes, os quais têm menos chance de ocorrer na ausência da prática arriscada.

Para quem participa de trabalhos voluntários, o seguro também tem algumas particularidades.

Algo que também não deve ser deixado de lado é se você terá assistência em português ou somente na(s) língua(s) materna(s) do país.

Mesmo que você tenha fluência no idioma, não podemos nos esquecer de que, se tratando de saúde, você pode ter dificuldade para compreender alguns termos.

Tudo isso influencia na contratação do seguro viagem.

Agora, para finalizar o assunto, falarei sobre uma modalidade de contratação que desperta dúvidas.

Quer saber do que estou falando? Então continue a leitura!

O Seguro Viagem do Cartão de Crédito é Confiável?

Confira se vale a pena ou não contratar o seguro viagem com o cartão de crédito

A resposta para essa pergunta depende de alguns fatores.

O primeiro deles é que nem todas as bandeiras fornecem essa proteção aos seus usuários.

No geral, apenas categorias superiores, como o mastercard Black e o Platinum, contam com essa possibilidade, por conta do alto preço da anuidade.

Além disso, para ter acesso à cobertura, por meio do cartão de determinadas bandeiras, você precisará comprar todas as passagens da viagem com o cartão.

Não dá para descartar o fato de que é comum a cobertura oferecida pelo cartão de crédito ser limitada, não cobrindo alguns imprevistos comuns de ocorrer.

Obviamente, optando por essa modalidade, você terá menos gasto. Em contrapartida, talvez não tenha suas necessidades atendidas.

Isso sem falar que a maioria das bandeiras trabalha com o sistema de compensação, em que o turista arca com as despesas e tem todos os gastos reembolsados posteriormente.

Ou seja, para pagar transporte de emergência, internação e medicamentos, o usuário precisará de um bom limite de crédito no cartão, já que o gasto pode ser bem alto.

Se a cobertura disponibilizada pelo seu cartão de crédito não é ideal para a sua viagem, o mais aconselhável é que você busque companhias de seguro.

Existem muitas no mercado com preços acessíveis, mas é bom considerar o seu destino e fazer cotações em diferentes companhias, pois o valor pode variar.

A Bidu, por exemplo, é uma plataforma online que pode ajudar você nessa tarefa.

Você pode fazer uma cotação de seguro viagem em até 10 seguradoras diferentes.

Basta inserir o seu e-mail, o continente para o qual você pretende viajar e o período de viagem para ter acesso às opções e ao valor de cada uma.

Vale lembrar que o preço do seguro é proporcional ao tempo de duração da viagem.

 

Conclusão

Ter a cobertura de um seguro viagem é essencial para garantir uma estadia tranquila

Como você viu neste artigo, para garantir uma viagem tranquila não dá para abrir mão do seguro viagem, sobretudo para quem tem como destino o exterior.

Com o seguro, além de ter assistência médica, você consegue inserir, à apólice, mais coberturas específicas para o seu caso.

Embora não seja obrigatório contratar um seguro para entrar em alguns países, lembre-se de que você pode ter muito menos gasto com o seguro do que com atendimentos médicos realizados no exterior.

Você viu também que é muito importante ter cuidado ao contratar o seu seguro viagem para evitar possibilidades de não ter suas necessidades atendidas caso ocorra algum contratempo durante a viagem.

E, caso você tenha alguma doença crônica, não se esqueça de mencioná-la no momento da contratação.

O mesmo vale para as gestantes ou pessoas que precisem de acompanhamento médico periódico.

Espero que a leitura deste artigo tenha sanado suas dúvidas a respeito do seguro viagem.

Em todo caso, estou à disposição para discutirmos o assunto nos comentários.

Se você gostou deste artigo, compartilhe-o com seus amigos, para que outras pessoas saibam como contratar um seguro viagem.