É Possível Pagar Menos na Apólice de Seguro? Confira Neste Artigo!

O seguro veicular é uma medida de segurança muito importante e que nem sempre consta na lista de preocupações das pessoas.

Apesar disso, deveria, pois, embora não possamos impedir que aconteçam danos ao veículo, um bom seguro, sem dúvida, é capaz de minimizá-los.

Contudo, o fator “gasto”, infelizmente, acaba contribuindo para que haja resistência à contratação do seguro.

Pagar menos na apólice de seguro é uma vontade de todos, afinal, quem é que não gosta de aliviar o orçamento?

A pergunta é, obviamente, retórica. Mas é possível, sim, garantir a proteção do seu veículo e pagar menos na apólice de seguro.

Neste artigo, você descobrirá como fazer isso. Além disso, saberá como funciona um seguro veicular.

Boa leitura!

 

O Que é e Como Funciona o Seguro Veicular

Para saber como pagar menos na apólice de seguro é preciso, antes, entender como funciona o seguro.

Ao identificar os aspectos que o caracterizam, torna-se mais fácil descobrir o que pode deixá-lo mais caro, assim como o que pode fazê-lo ficar mais em conta.

O seguro veicular tem por finalidade cobrir possíveis avarias ocorridas com o veículo assegurado.

Dentre os problemas mais comuns, estão os acidentes de trânsito e as ocorrências de roubo ou furto.

Quem assume a responsabilidade sobre esses problemas é a seguradora responsável pela cobertura.

Há várias no mercado, as quais oferecem diferentes serviços e preços.

Cabe, ao interessado em assegurar o veículo, averiguar qual dos pacotes disponíveis se encaixa melhor às suas necessidades.

Algumas pessoas buscam por um seguro completo, que garanta o total ressarcimento do veículo em qualquer hipótese; outras optam por contratar um menos abrangente, mas em conta.

A cotação de um seguro veicular depende de diversos fatores, o que significa que não há um valor fixo estabelecido para esse tipo de serviço.

Para o cálculo do seguro, são consideradas algumas características pessoais do proprietário do veículo, tais como:

  • faixa etária;
  • sexo;
  • comportamento no trânsito (incidência de multas);

Até mesmo as regiões em que o veículo circula com frequência influenciam no valor cobrado.

Se você veio parar neste artigo, é provável que seu interesse maior seja pagar menos na apólice de seguro.

Embora seja possível encontrar boas ofertas, você precisa ter em mente que, quanto menos valor investido, mais comum será o seguro.

Isso não quer dizer que os mais baratos são ruins, pois alguns fatores podem diminuir a cobrança da apólice.

De qualquer modo, vale lembrar que economizar nem sempre é a melhor opção. Muitas vezes, o seguro mais barato resulta num gasto muito maior.

A boa notícia é que diminuir o valor da apólice, e ainda garantir um seguro de qualidade, é totalmente possível.

Antes de saber como pagar menos na apólice de seguro, leia o próximo tópico, para que possa entendê-la.

 

Apólice de seguro

Saiba o que é uma apólice de seguro

 

A apólice é o contrato do seguro, documento que contém cláusulas, regras e condições estabelecidas entre a seguradora e o contratante desse serviço.

Na apólice, são listadas:

  • todas as assistências gerais que devem ser prestadas ao assegurado;
  • os direitos e os deveres de cada uma das partes;
  • a validade do seguro;
  • a forma de pagamento;
  • as necessidades particulares ou especiais; e
  • o valor da franquia a ser paga.

Esse documento, por ser um contrato, garante que, em caso de sinistro, sejam reparados os prejuízos contemplados pela apólice.

Da mesma forma, a apólice confere, à seguradora, a obrigação de cobrir apenas o que ficou firmado entre as partes e nada além.

Resumidamente, a apólice formaliza o contrato e o valor da franquia mediante assinatura das partes envolvidas.

Mas, antes de saber da existência de uma apólice, certamente você ouviu falar sobre a franquia, não é?

No próximo tópico, você finalmente entenderá o que significa uma franquia de seguro.

 

Franquia de Seguro

A franquia deverá ser paga quando houver sinistro

 

A franquia é, basicamente, a participação do assegurado na recuperação dos danos ocorridos ao veículo, nos casos em que não é necessária a indenização integral.

O principal motivo pelo qual o contratante também deve arcar com parte do ressarcimento de um sinistro é a conscientização ao volante.

Provavelmente, a preocupação com o veículo não seria a mesma se houvesse a garantia de reparo total de prejuízos.

Sabendo que o seguro não cobre absolutamente todas as despesas, a atenção e a precaução no trânsito são muito maiores.

Quanto às opções de franquia, há umas mais básicas, outras mais completas.

Isso porque o valor da franquia corresponde ao tanto que deverá ser pago em caso de sinistro com o veículo.

O lado bom é que você só paga por ela quando acontece um problema.

No geral, paga-se apenas o valor do seguro, o qual é obrigatório mesmo pagando pela franquia.

Digamos que o valor da sua franquia seja R$ 2.000, e você tenha um prejuízo com o veículo, cujo reparo custe R$ 4.000.

A sua parte, nesse caso, será cobrir a metade do valor do conserto, que corresponde ao valor da sua franquia, e a outra metade fica por conta da seguradora.

Agora, se o dano com o veículo não atingir o custo de R$ 2.000, não há motivo para que a franquia seja paga, e você mesmo deverá arcar com o gasto.

Quando há perda total do veículo, a maioria das seguradoras assume inteiramente as despesas.

Em caso de roubo ou furto, se o veículo for encontrado, a franquia deverá ser paga para que os danos possam ser reparados.

Como você pode perceber, a contratação do seguro envolve um grande investimento na proteção do seu veículo.

E, muitas vezes, por mais dispostos que estejamos a pagar, o valor pode acabar ultrapassando nossas possibilidades financeiras.

Desse modo, precisamos investir na busca por opções mais acessíveis.

É justamente o que você está fazendo ao ler este artigo. Portanto, chegamos à seção que mais lhe interessa.

Saiba o que fazer para economizar na hora de fechar o contrato.

 

Será que é Possível Pagar Menos na Apólice de Seguro?

Há muitos fatores que afetam o valor do seguro

 

Com certeza, você não é a única pessoa a ter esse questionamento. Afinal de contas, um veículo gera muitos gastos.

Não podemos nos esquecer de que um carro ou uma moto não são movidos apenas a combustível.

Para mantê-los, temos despesas como a renovação do licenciamento (IPVA, DPVAT), as revisões periódicas, estacionamento, limpeza etc.

Ao final de um ano, os gastos com o veículo contabilizam uma quantia significativa.

E de que adianta ter tanta preocupação com a manutenção do veículo sem pensar em protegê-lo?

O seguro é importante, assim como todos os elementos mencionados.

Mas também é fundamental que essa despesa não comprometa a maior parte da nossa renda, de modo que os outros aspectos não sejam deixados de lado.

E é possível economizar no seguro, se estivermos atentos a algumas questões.

A partir de agora, você verá uma série de dicas que, certamente, serão úteis para que o seguro do seu veículo não saia tão caro.

1 – Pesquise.

É preciso explorar as opções de seguro existentes no mercado, a fim de identificar aquelas que mais se aproximam do que você procura: preço acessível, cobertura simples/completa.

Enfim, cada empresa trabalha com a análise do seguro de determinada maneira, o que pode alterar muito o valor cobrado.

Uma causa preponderante refere-se à análise de risco, que é feita com base em diversos fatores que indicam as possibilidades de prejuízos com o veículo.

Você sabia que o local onde você reside e os lugares em que circula com o veículo influenciam na cobrança do seguro?

Dependendo da localidade, o preço pode aumentar bastante.

Residir em uma área considerada perigosa tende a tornar mais alto o valor do seguro, já que a probabilidade de ocorrer roubo ou furto com o veículo é maior.

De qualquer modo, não há um preço fixo para esse caso, portanto, cada seguradora pode aplicar seu próprio valor.

Ao consultar mais de uma, será mais fácil encontrar uma cobertura mais acessível.

2 – Contrate uma corretora.

Com a ajuda de um corretor, é mais fácil diminuir o valor da apólice

Nada como poder dialogar com alguém para apontar os aspectos que mais lhe interessam na contratação do seguro.

O corretor, certamente, o auxiliará a encontrar uma cobertura com um bom preço e que não seja absolutamente simples, pois ele tem a visão dos dois lados da moeda:

  • conhece as coberturas disponíveis; e
  • poderá lhe oferecer propostas conforme o seu interesse.

Além disso, ele poderá desfazer pontos aplicados injustamente envolvendo a contratação e, quem sabe, conseguir um desconto para o seu caso.

Em relação a isso, contudo, você precisará verificar se a corretora é credenciada pela Susep (Superintendência de Seguros Privados).

No próprio site da companhia, você poderá fazer essa consulta.

Na página inicial, na lateral esquerda, há a seção “Consulta de Empresas Autorizadas”. Insira os dados solicitados (nome e tipo da empresa e estado de registro) e selecione a opção “procurar”.

Ao conversar com o corretor, é muito importante, também, mencionar todos os dispositivos, equipamentos, instrumentos de proteção que estejam vinculados ao seu veículo.

O motivo é simples: quanto mais protegido ele estiver, menos custará a sua franquia de seguro.

3 – Preencha o formulário corretamente.

Ao preencher o formulário de risco, responda com sinceridade às perguntas, indicando onde o veículo ficará estacionado – principalmente, à noite – e se ele contém dispositivos antifurto (alarme, sistema de rastreamento, trava de câmbio etc.).

Os artefatos de segurança diminuem os riscos de perda do veículo e facilitam sua localização caso ele seja roubado ou furtado.

Caso você já possua uma cobertura de seguro para o seu veículo, saiba que a instalação de qualquer dispositivo de segurança pode ser comunicada à seguradora.

Se você mudar de endereço, passar a deixar o veículo em uma garagem ou deixar de ser o motorista principal, também é importante informar à seguradora.

Assim, você pode solicitar que o valor do seguro seja reduzido.

O mais indicado é que o motorista principal não tenha idade inferior a 25 anos, pois, para essa faixa etária, o custo do seguro é um pouco maior.

Considera-se que as pessoas mais jovens são mais propensas a sofrer acidentes no trânsito, o que implica no risco maior de a seguradora precisar arcar com os danos.

Da mesma forma, qualquer outra alteração, mesmo que contribua para o aumento do valor do seguro, deve ser comunicada.

4 – Seja um bom condutor.

Ainda em relação à análise de risco, os seus hábitos enquanto condutor também são fatores influentes.

A pontuação alta na Carteira Nacional de Habilitação (CNH) indica que são cometidas infrações frequentemente, o que significa que você é um motorista mais propenso a se envolver em acidentes de trânsito.

Isso certamente alavancará o preço do seguro, já que é mais provável que a seguradora tenha de ser acionada mais vezes.

Além disso, muitas seguradoras trabalham com uma espécie de recompensa ao “bom motorista”, concedendo descontos na renovação da apólice àqueles que não registram nenhum sinistro durante determinado tempo, ou àqueles que não têm pontos na CNH.

5 – Escolha um modelo de veículo mais comum.

Evite os veículos mais chamativos

A próxima questão vale mais para quem ainda não definiu qual modelo de veículo adquirir.

Se a sua intenção é não gastar tanto com o seguro, é interessante que você opte por comprar um modelo mais simples e que não esteja na lista dos mais visados para roubo e furto.

Por incrível que pareça, essa lista existe e, obviamente, exerce influência no valor do seguro.

Modelos mais antigos ou de luxo também podem demandar mais investimento com o seguro.

A explicação para isso envolve dois fatores.

  • Primeiro: veículos mais velhos são mais propensos aos problemas mecânicos ou incêndios por tempo de uso.
  • Segundo: a troca de peças de veículos fabricados há mais tempo é mais difícil, e isso favorece as práticas de roubo ou furto para a retirada e venda das peças.

Quanto à questão dos problemas mecânicos, vale ressaltar que nem sempre defeitos mecânicos ou elétricos são cobertos pelo seguro. Isso dependerá da cobertura.

E não pense que já acabou. Ainda há mais um motivo responsável por fazer você pagar mais caro para proteger seu veículo.

6 – Evite fazer alterações no veículo.

Estou falando de modificações das características originais do automóvel.

Essa prática vem se popularizando cada vez mais entre os amantes de carros, mas não favorece a diminuição do valor do seguro.

Quanto mais o veículo for modificado, mais o seguro cobrará pela apólice.

Isso se deve, principalmente, ao fato de que algumas alterações podem prejudicar o funcionamento adequado do veículo, mas também porque esses veículos são mais chamativos e suscetíveis a serem roubados ou furtados.

Em resumo, tudo o que torna a seguradora mais suscetível a arcar com prejuízos contribui para o aumento do valor do seguro.

De qualquer modo, há, ainda, algumas outras opções de seguro que você precisa conhecer, como o Seguro Popular.

Talvez essa seja a opção mais adequada para você. Por isso, falarei sobre ele na próxima seção.

 

Seguro Popular: Conheça e Saiba se Vale a Pena

O seguro popular, como você deve imaginar, tem um preço bem mais atrativo do que os demais.

No país, a porcentagem de pessoas que têm seus veículos assegurados é muito baixa.

Pensando nisso, a Federação Nacional de Seguros Gerais (FenSeg) criou o seguro popular, visando à inclusão dessas pessoas nos planos ofertados.

O valor é bem mais em conta, mas é bom que você saiba que a redução no preço pode acarretar em algumas desvantagens.

O que mais se destaca em relação a isso é que o valor da franquia do seguro popular é bem mais alto do que o cobrado pelos seguros tradicionais.

Portanto, você deverá tomar o máximo de cuidado para evitar os problemas com o veículo, de modo a escapar do gasto elevado.

Afinal, dependendo do sinistro, o valor economizado na contratação do seguro pode ser perdido na hora de reparar os danos.

Se o seguro ainda não for exatamente o que você procura, talvez seja uma boa ideia investir no pagamento à vista.

Entenda melhor no próximo tópico.

Pagamento à vista

Pagar o seguro à vista diminui o valor do seguro

Embora seja um pouco mais complicado pagar o seguro de uma vez só, essa é uma opção muito econômica.

O valor total do seguro parcelado acaba custando mais, devido à aplicação de juros.

Portanto, para quem tem a possibilidade de quitar o valor anualmente, em uma única vez, vale bem mais a pena.

Uma boa alternativa é utilizar o 13º salário.

Assim, além de economizar, você fica livre dessa pendência com antecedência.

Por fim, devo alertá-lo quanto à renovação automática do seguro, uma possibilidade oferecida por muitas seguradoras.

Saiba do que estou falando a seguir.

Renovação automática do seguro

Algumas seguradoras têm o hábito de disponibilizar a renovação automática do seguro.

Elas enviam a proposta ao contratante, normalmente pelos Correios, e, caso não recebam retorno, a apólice de seguro já firmada é automaticamente renovada.

O problema é que acontece, algumas vezes, de essa proposta conter novas cláusulas, inclusive, relativas ao aumento da cobrança da cobertura.

Nesse caso, o serviço que, em princípio, tem o intuito de ser benéfico, pode acabar se tornando um incômodo para você.

Como a ideia é pagar menos, e não mais, é interessante estar sempre de olho nessas questões e, se possível, acertá-las diretamente com a seguradora.

 

Conclusão

Economizar com o seguro é possível

Neste artigo, mostrei a você quais cuidados devem ser tomados no momento de contratar uma proteção para o seu veículo, priorizando a busca pelo menor preço.

No entanto, vale ressaltar que pagar menos na apólice de seguro tem implicações, como a cobertura muito simples.

É o caso do seguro popular, em que se paga menos pelo contrato, mas, em contrapartida, mais pela franquia em caso de sinistro.

Portanto, o ideal é que você selecione os motivos principais, pelos quais você está na busca por um seguro e, com base nisso, busque torná-lo mais em conta.

Creio que os aspectos abordados neste artigo serão úteis para você.

Ainda assim, se você ficou com alguma dúvida referente ao assunto, deixe-a nos comentários.

E não se esqueça de que minha equipe e eu estamos sempre prontos para ajudá-lo a recorrer de uma multa de trânsito.

Nós analisaremos gratuitamente o seu caso e lhe daremos retorno assim que possível.

Lembre-se de que é muito importante que o recurso seja formulado de acordo com a lei.

Este artigo ajudou você? Deixe sua opinião, pois ela é muito importante para mim!

Se possível, compartilhe este artigo para que outras pessoas saibam como pagar menos na apólice de seguro. Se quiser saber onde investir para comprar um carro, siga o link!

Foi multado? Não fique sem dirigir! Descubra agora como não perder a CNH: Clique aqui para ter uma CONSULTA GRATUITA com o Doutor Multas.
Você já possui seguro? Proteja seu patrimônio e dirija tranquilo. É muito mais barato do que você imagina: Clique aqui e cote seu seguro GRATUITAMENTE em 2 minutos.