Seguro Por Minuto: Tudo o Que Você Precisa Saber

O seguro por minuto é uma nova modalidade de seguros automotivos no Brasil. Autorizada pela Superintendência de Seguros Privados (SUSEP), consiste em seguros por demanda. Isto é, o proprietário paga apenas pelo tempo em que usar o veículo. Neste artigo, explico como funciona esse novo sistema de seguros por demanda e quais as vantagens para o consumidor. Além disso, esclareço as diferenças entre o seguro por minuto e os seguros convencionais.

Leia mais

Você sabe o que é o seguro por minuto e quais as especificidades em relação aos seguros automotivos convencionais?

Leia mais

Ambos os serviços fazem parte da iniciativa privada, mas têm diferenças significativas na forma como funcionam.

Leia mais

Oferecido por startups, o seguro por minuto acontece sob demanda e com contratos reduzidos. É personalizado e acionado apenas durante o seu uso (pay per use).

Leia mais

Para ajudá-lo a entender melhor o seguro por minuto, elaborei este artigo.

Leia mais

Além de saber o que é e como funciona essa modalidade, você vai conferir quais são as principais diferenças em comparação com o seguro convencional.

Leia mais

Também vou comentar o que diz a legislação vigente no Brasil e se a novidade se estende a outros bens, como os celulares.

Leia mais

Finalmente, abordo quais são as empresas que atuam nesse novo mercado de seguros por demanda e os possíveis impactos para o nicho dos seguros privados no país.

Leia mais

Seguro Por Minuto: O Que é e Como Funciona?

O seguro por minuto (ou seguro por demanda) é uma nova modalidade de seguro automotivo privado. Nela, os contratos são personalizados e muito mais flexíveis.

Leia mais

No Brasil, o serviço é oferecido por startups, isto é, empresas emergentes que simplificam um modelo de negócios já existente. Se bem é verdade que cada startup tem suas próprias normas, todas adotam o sistema pay per use.

Leia mais

O pay per use significa, basicamente, pagar apenas pelo que usar. Na prática, a cobrança pelo serviço só é feita quando o veículo for efetivamente utilizado. Se estiver na garagem, por exemplo, considera-se que não há consumo.

Leia mais

Para visualizar melhor como funciona o seguro por minuto, vou citar aspectos principais desse novo modelo de seguro por demanda.

Leia mais

Veja a seguir!

Leia mais

Adesão e contratação

Ao contrário do que acontece no sistema convencional, não há a obrigatoriedade de uma apólice anual. O consumidor pode fazer contratos de um mês, uma semana, um dia ou até mesmo por algumas horas.

Leia mais

Para aderir ao serviço, o usuário precisa baixar o aplicativo no seu celular e seguir as orientações fornecidas pela empresa. Vale ressaltar, mais uma vez, que cada startup tem normas próprias.

Leia mais

Geralmente, são solicitadas informações sobre o veículo (modelo, ano de fabricação, placa, entre outros). Dados sobre o usuário também são pedidos, incluindo documentos e cópia da Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

Leia mais

Algumas empresas também solicitam uma vistoria online. Para isso, o usuário segue as instruções fornecidas pelo app e envia imagens do veículo, feitas pelo próprio celular.

Leia mais

Preços por contrato

As startups definem seus próprios critérios para realizar os ajustes de preços de cada contrato. Características do veículo, como modelo e ano de fabricação, são consideradas. Algumas startups, por sua vez, também avaliam como o condutor dirige.

Leia mais

Para fazer essa avaliação, instalam um dispositivo no automóvel, capaz de identificar certos padrões na maneira como o veículo é conduzido. A partir disso, os preços são ajustados.

Leia mais

Antes de aderir ao serviço, o usuário poderá fazer uma cotação. Isto é, uma simulação dos preços que serão cobrados pela empresa de acordo com o seu perfil e com o veículo que possui.

Leia mais

Cobrança e pagamento

O pagamento geralmente é pré-pago, seguindo um modelo que já é adotado pelas operadoras de celular. O usuário insere créditos em sua conta e eles vão sendo consumidos à medida que o seguro é usado.

Leia mais

Pelo próprio aplicativo, o condutor ativa ou desativa o serviço conforme suas necessidades. Sempre que precisar contar com a proteção do seguro, basta ativá-lo.

Leia mais

Por exemplo: ao sair de casa para ir trabalhar, o usuário ativa o seguro pelo app. Ao deixá-lo na garagem, poderá desativar o serviço e, consequentemente, pausar os gastos dos créditos.

Leia mais

Outra forma de pagamento adotada por algumas startups é a cobrança de uma taxa fixa e de uma taxa variável.

Leia mais

A fixa é definida de acordo com o valor de mercado do veículo. A variável, por sua vez, é calculada a partir da quantidade de quilômetros rodados.

Leia mais

Cobertura

Assim como acontece nas seguradoras convencionais, cada startup conta com seus próprios planos de cobertura. De maneira geral, elas oferecem coberturas para:

Leia mais
  • Roubo e Furto
  • Reboque (em um raio previamente acordado)
  • Pane seca
  • Serviço de chaveiro
  • Autossocorro
  • Troca de pneus
  • Guarda-veículos
  • Incêndios por causas mecânicas
Leia mais

Algumas startups também contam com coberturas em casos de danos a terceiros ou de perda total do veículo.

Leia mais

Como há diferenças nos serviços e planos de cada empresa, é muito importante  informar-se quanto às coberturas antes de fazer a adesão. Com isso, você garante que o plano contratado seja compatível com suas necessidades e expectativas.

Leia mais

Regulamentação

Os seguros privados no Brasil, incluindo os automotivos, são regulamentados pela  SUSEP. Esse órgão, que é uma autarquia do Governo Federal, autoriza, controla e fiscaliza serviços desse nicho.

Leia mais

O sistema de seguros por minuto foi reconhecido pela SUSEP. Em agosto de 2019, a autarquia editou e publicou a Circular 592/2019 no Diário Oficial da União, reconhecendo a modalidade intermitente (liga/desliga).

Leia mais

No normativo, estão as condições gerais para os planos de seguro com vigência reduzida e acionados segundo a conveniência do usuário. Ou seja: os seguros por demanda ou pay per use.

Leia mais

Uso em outros países

Nos Estados Unidos, essa modalidade de seguro já é tendência e vai além do setor automotivo. Os usuários podem contratar o serviço para outros objetos de valor. Máquinas fotográficas, instrumentos musicais, tablets e bikes, por exemplo.

Leia mais

Em outros países, como a Inglaterra, o seguro por minuto já vem sendo utilizado há algum tempo. Lá, o foco está nos veículos compartilhados, incluindo bicicletas e patinetes elétricos.

Leia mais

O seguro por demanda ainda é um serviço relativamente recente no Brasil. Por isso mesmo, compreender as diferenças em relação ao seguro convencional é importante. Vou falar mais sobre isso no próximo tópico!

Leia mais

Seguro por Minuto x Seguro Convencional: Quais São as Diferenças?

Uma boa estratégia para conhecer um novo produto ou serviço, como o seguro por minuto, é identificar o que ele traz de novo ao mercado.

Leia mais

Logo, entender as diferenças entre o sistema por demanda e os seguros privados convencionais é importante.

Leia mais

A seguir, falarei detalhadamente sobre as diferenças principais entre um serviço e outro.

Leia mais

Vamos a elas.

Leia mais

Apólice e vigência do seguro

Nos seguros tradicionais, isto é, da forma como esse serviço vem sendo oferecido até os dias de hoje, os contratos costumam ser, no mínimo, anuais. Ou seja, o consumidor contrata o auxílio do seguro por, pelo menos, 12 meses.

Leia mais

Já no seguro por minuto, os contratos são flexíveis. Algumas empresas estabelecem um período mínimo de 1 mês. Outras, no entanto, fazem contratos de uma semana, alguns dias ou até por apenas algumas horas, até que os créditos sejam esgotados.

Leia mais

Burocracias e requisitos para adesão

Se você é proprietário de veículo e, em algum momento, já fez um seguro privado, provavelmente deve ter passado por uma série de etapas antes de assinar o contrato.

Leia mais

A maioria das seguradoras privadas conta com alguns procedimentos burocráticos antes de finalizar a adesão de um novo assegurado. Um bom exemplo é a vistoria presencial do veículo, solicitada por algumas empresas.

Leia mais

No sistema convencional, o consumidor é atendido por um colaborador da seguradora, que fará a mediação do seu caso. Nesse momento, são definidos detalhes da negociação e das etapas finais de adesão.

Leia mais

Nas startups dos seguros por minuto, as burocracias são bem menos frequentes. As vistorias, quando solicitadas, são feitas de maneira online. Para isso, o usuário segue as orientações da empresa e envia fotos do seu veículo, feitas pelo próprio celular.

Leia mais

O atendimento também é um diferencial. Todo o procedimento é feito de maneira digital. O proprietário só precisa baixar o aplicativo e seguir os procedimentos indicados por ele. Não há mediação de colaboradores, tudo é feito online.

Leia mais

Análise de perfil do condutor

A análise de perfil do condutor é um passo importante para as seguradoras tradicionais. Embora existam variáveis entre uma empresa e outra, grande parte costuma considerar aspectos como idade, bairro e profissão para definir os preços das apólices.

Leia mais

Outros dados, como o modelo e ano do veículo e onde ele fica estacionado (se há uma garagem ou não) também são fatores avaliados. O raciocínio é simples: quanto mais o veículo estiver exposto a riscos, maior será o preço do seguro.

Leia mais

E no seguro por minuto, como é a análise de perfil? Há variáveis entre uma startup e outra. Comumente, são avaliadas as características do veículo, como modelo e ano de fabricação.

Leia mais

No entanto, há uma nova forma de tentar “medir” os riscos. Algumas empresas de seguro por demanda instalam um dispositivo no veículo. Esse dispositivo consegue traçar um padrão no modo como o condutor dirige.

Leia mais

A partir desse padrão, são feitos ajustes nos preços do contrato. Outros quesitos, como o tempo do contrato, também podem ser considerados para decidir quanto cobrar do usuário.

Leia mais

Preço

O preço é uma das diferenças mais significativas entre o seguro por minuto e o sistema convencional de apólices anuais.

Leia mais

Os valores dos contratos nas seguradoras privadas tradicionais costumam ser altos no Brasil. Dependendo do modelo do veículo e do perfil do condutor, os preços acabam se tornando ainda mais elevados.

Leia mais

Com o sistema pay per use, que, como você viu, significa pagar apenas pelo que se usa, o seguro por minuto barateia – e muito – os valores finais pagos pelo consumidor.

Leia mais

Dependendo da frequência de uso do veículo e do pacote de seguro escolhido, o serviço por demanda chega a ser entre 50% a 80% mais barato do que os tradicionais.

Leia mais

Método de pagamento

Ao assinar o contrato com uma seguradora de veículos, depois de passar por todas as fases e burocracias prévias, o consumidor deve realizar o pagamento.

Leia mais

De maneira geral, as seguradoras contam com a possibilidade de parcelar o valor total do seguro anual. Se escolher essa opção, o assegurado paga uma entrada e divide as demais no cartão de crédito, débito ou mesmo em boletos bancários.

Leia mais

Há, ainda, a opção de pagar integralmente o valor do contrato anual. Algumas empresas dão descontos, caso o assegurado escolha essa alternativa.

Leia mais

Já nas startups de seguro por Minuto, o pagamento, como falei, pode ser feito no sistema de créditos, bem parecido àquele usado pelas operadoras de celular.

Leia mais

O usuário coloca créditos em sua conta (com valores definidos pela empresa) e os utiliza.

Leia mais

Os créditos vão sendo consumidos na medida em que o condutor ativa o serviço e utiliza o seguro. Ainda que existam diferenças entre uma startup e outra, no sistema on demand, o pagamento é pré-pago.

Leia mais

Cada empresa de seguro por minuto tem suas próprias normas, preços, pacotes de cobertura. Pensando nisso, no tópico a seguir, vou falar sobre as principais startups de seguro on demand no Brasil.

Leia mais

Quais São as Empresas de Seguro Por Minuto no Brasil?

As empresas de seguro por minuto – ou seguro por demanda – são chamadas de insurtechs. Essa expressão é a junção entre duas palavras: insurance (seguros) e technology (tecnologia).

Leia mais

A forma como são chamadas resume bem o que são as insurtechs: empresas emergentes (startups) que utilizam a tecnologia para simplificar e aperfeiçoar o processo de contratação de seguros privados.

Leia mais

No Brasil, o setor está em expansão e já há uma série de startups com o foco em seguros pay per use. Algumas delas, você confere a seguir.

Leia mais

Onsurance

A Onsurance é uma das insurtechs mais conhecidas no Brasil. Afinal, está entre as pioneiras nesse novo mercado de seguro de veículos por demanda.

Leia mais

Segundo a própria empresa, os valores dos seus serviços chegam a ser até 80% mais baratos do que os tradicionais.

Leia mais

Para se tornar um usuário (ou um assegurado, como se costuma dizer tradicionalmente), são necessários apenas 3 passos:

Leia mais
  1. Compra de créditos: o primeiro passo é fazer a cotação e saber qual a quantidade de créditos iniciais necessária para o seu veículo;
  2. Vistoria online: depois disso, utilizando o app da Onsurance, será preciso enviar documentos solicitados e realizar a vistoria online, mandando fotos feitas pelo seu celular;
  3. Pronto para usar: basta esperar pela aprovação da empresa e passar a usar o seguro liga-desliga, isto é, o seguro por minuto;
Leia mais

Na Onsurence, há 2 pacotes de cobertura: a cobertura padrão e a cobertura de 24 horas por dia.

Leia mais

É interessante ressaltar que essa empresa utiliza um dispositivo que detecta como o condutor dirige e, a partir disso, define preços e faz ajustes no contrato.

Leia mais

Pier.

A Pier. é outra startup que vem crescendo nesse novo mercado de seguro de veículo por demanda. A empresa se define como uma plataforma digital de distribuição de seguros.

Leia mais

Assim como acontece em outras startups do mesmo nicho, todo o processo é feito online: adesão, vistoria, pagamento e até cancelamento, se for o caso. Para utilizar os serviços, o usuário precisa fazer o download do aplicativo e seguir as orientações.

Leia mais

A cobertura da Pier. engloba roubo, furto, autossocorro, reboque num raio de 200 quilômetros, guarda do veículo por uma noite, pane seca, chaveiro e troca de pneus.

Leia mais

Para definir os preços, a empresa considera as características do veículo, sobretudo, o valor de mercado, segundo a tabela FIPE. Inclusive, se o veículo for desvalorizado com o passar do tempo, as mensalidades também diminuem.

Leia mais

É interessante ressaltar que, além dos seguros automotivos, a Pier. também conta com seguros para o celular. O pagamento, para ambos os seguros, é feito mensalmente, via cartão de crédito.

Leia mais

Thinkseg

Leia mais

A Thinkseg também é uma das pioneiras no novo mercado de seguros por demanda. Nessa empresa, quanto menos o condutor rodar com o seu veículo, menos pagará.

Leia mais

Afinal, é utilizado o seguinte sistema de cobrança: uma taxa mensal fixa e uma variável.

Leia mais

Na prática, o usuário precisa contratar uma assinatura mensal para aderir ao serviço. Essa assinatura representa o valor fixo. Além dele, é cobrado um valor variável, calculado por quilômetro rodado.

Leia mais

Ou seja, dependendo do modelo do veículo, a empresa estabelece um preço por cada quilômetro que for percorrido. Ao final, deve ser paga a mensalidade fixa somada a essa variável.

Leia mais

Para saber quanto a empresa cobra por quilômetro, basta fazer a cotação online. Se quiser aderir ao serviço, o processo é feito pelo aplicativo da Thinkseg. Basta fazer o download e seguir as instruções, enviando os documentos solicitados.

Leia mais

Seguros Por Minuto: Qual o Possível Impacto Para o Mercado?

Uma das principais perguntas em torno do seguro por minuto é como a aquisição desses serviços poderá afetar o mercado brasileiro de seguros. Isto é, o mercado tradicional desse nicho.

Leia mais

O sistema convencional de seguros automotivos ainda é pouco acessível para grande parte dos brasileiros. Os valores altos cobrados pelas apólices, aliados à pouca flexibilização nos métodos de pagamento, contribuem para essa realidade.

Leia mais

A flexibilização dos contratos e, sobretudo, o barateamento dos custos são as promessas das startups de seguros por minuto, as insurtechs. Com isso, o que se espera é atingir outro tipo de público, com um poder aquisitivo menor.

Leia mais

Os desafios das insurtechs, por sua vez, passam pela relação de confiança. É preciso que o brasileiro aposte no sistema digital e não apenas naquele que é feito necessariamente por meio de um corretor de seguros.

Leia mais

Até o início de 2019, o Brasil já tinha 37 insurtechs, segundo o mapeamento feito pelo radar Fintechlab. Diante disso, um dos cenários possíveis é o que já vem acontecendo com outros setores.

Leia mais

Um bom exemplo é o televisivo. Canais por assinatura vêm dando lugar às plataformas streaming.

Leia mais

No setor bancário, por sua vez, grandes bancos veem surgir opções totalmente digitais e menos burocráticas.

Leia mais

No trânsito, inclusive, o modelo tradicional de transporte de passageiros é profundamente impactado pelos novos aplicativos, que otimizam e barateiam os custos para o consumidor.

Leia mais

A tendência é que os seguros por demanda também se ampliem para além do setor automotivo. Proteção para celulares e outros objetos de valor já vem acontecendo e pode expandir.

Leia mais

Conclusão

Neste artigo, você conferiu o que é e como funciona o seguro por minuto, também chamado de seguro por demanda ou pay per use.

Leia mais

Além de conhecer mais sobre esse novo mercado de seguro por demanda, você também viu o que diz a legislação vigente no país até o momento. Com destaque para o que estabelece a SUSEP.

Leia mais

Com essa leitura, você pôde perceber as diferenças entre o sistema pay per use e o modelo tradicional de seguros automotivos. Procurei comparar preços, burocracias e períodos de adesão entre eles.

Leia mais

Você viu, ainda, quais são as principais startups de seguros por minuto, as insurtechs, e os possíveis impactos dessa modalidade no mercado de seguros brasileiro.

Leia mais

Vai contratar um seguro por demanda para o seu veículo? Lembre-se de todas as informações presentes neste artigo antes de aderir aos serviços.

Leia mais

Se conhece algum amigo ou familiar que também se interessa pelo tema, compartilhe com ele esse conteúdo.

Leia mais

Afinal, se foi útil para você, também poderá ajudar pessoas que têm questionamentos similares aos seus.

Leia mais

Caso você tenha ficado com alguma dúvida sobre o seguro por minuto, deixe um comentário abaixo para que eu possa ajudá-lo a esclarecê-la.

Leia mais

Referências:

Leia mais

https://www.infomoney.com.br/minhas-financas/susep-passa-a-permitir-seguro-por-minutos/

Leia mais

https://www1.folha.uol.com.br/mpme/2019/10/startups-eliminam-intermediarios-e-barateiam-seguros-automotivos.shtml

Leia mais

http://www.in.gov.br/en/web/dou/-/circular-n-592-de-26-de-agosto-de-2019-213190421

Leia mais

https://www.infomoney.com.br/colunistas/startups-e-fintechs/o-on-demand-chegou-tambem-para-os-seguros/

Leia mais

https://www.trov.com/

Leia mais

https://www.smartia.com.br/blog/seguro-de-carro-por-minuto

Leia mais

https://www.metropoles.com/distrito-federal/seguro-pre-pago-para-automoveis-e-novidade-de-startup-brasiliense

Leia mais

https://exame.abril.com.br/seu-dinheiro/seguro-por-minuto-pode-ser-ate-80-mais-barato-que-tradicional/

Leia mais

https://economia.uol.com.br/empreendedorismo/noticias/redacao/2019/08/10/onsurance-pier-digital-seguro-por-demanda-carro-celular.htm

Leia mais

https://onsurance.me/

Leia mais

https://www.pier.digital/seguro-auto

Leia mais

https://economia.estadao.com.br/blogs/coluna-do-broad/thinkseg-de-ex-btg-investe-r-50-mi-em-seguro-de-auto-por-assinatura/

Leia mais

http://www.insideseg.com.br/raio-x-do-segurado-brasileiro-e-estrategias-de-mercado/

Leia mais

Gostou deste story?

Aproveite para compartilhar clicando no botão acima!

Esta página foi gerada pelo plugin

Visite nosso site e veja todos os outros artigos disponíveis!

Doutor Multas