Tire Todas as Suas Dúvidas Sobre Película de Controle Solar – 5 Perguntas Mais Frequentes

Foi multado? Não fique sem dirigir! Descubra agora como não perder a CNH: Clique aqui para ter uma CONSULTA GRATUITA com o Doutor Multas.

O uso de películas solares nos veículos há muito deixou de ser apenas por personalização ou estética, ou seja, para deixar o carro com outra aparência. Hoje, considerando a intensidade dos verões, é também uma questão de economia para o seu bolso, uma vez que auxilia na climatização interna do carro.

A aplicação da película – mais conhecida como Insulfilm (marca famosa de um fabricante do produto) – apresenta diferentes finalidades e benefícios, bem como uma maior privacidade para quem se encontra dentro do veículo, por exemplo.

E não apenas isso. A película também oferece segurança aos condutores de cidades muito violentas e com altos índices de assaltos, como Belém (Pará), por exemplo, que aparece no ranking da pesquisa feita pela BBC, em 2017, sobre as 50 cidades mais violentas do mundo, e protege os motoristas contra a ação dos raios solares, os quais podem ser muito nocivos à saúde.

Para que você possa ter ideia do quanto os raios solares fazem mal, uma matéria publicada no EXTRA relata o caso de um caminhoneiro que teve o lado esquerdo do rosto – parte voltada diretamente ao vidro do veículo enquanto dirige – totalmente afetado pelos raios UV.

O motorista adquiriu dermatoheliosis unilateral, que consiste no espessamento e enrugamento da pele, resultado da exposição ao sol.

As consequências dos raios solares que penetram através do vidro do veículo na pele são inúmeros, podendo causar desde envelhecimento precoce e manchas até doenças como o câncer de pele.

É importante que todos os motoristas tenham em mente os benefícios proporcionados pelas películas solares e invistam no produto em prol da própria saúde.

Pensando que você está convencido a cuidar de sua pele e segurança, ainda mais se você trabalha o dia todo utilizando o veículo, separei as principais dúvidas dos motoristas quanto às películas solares.

Quero que, ao final deste artigo, você saiba tudo sobre o assunto, inclusive os aspectos que envolvem as diretrizes impostas pelo Código de Trânsito Brasileiro (CTB).

Fique comigo até o final do artigo e tire todas as suas dúvidas.

Boa leitura!

1.  Quais os tipos de películas solares existentes?

Descubra os tipos de películas solares existentes
Descubra os tipos de películas solares existentes

As películas solares nada mais são que filmes para a laminação de vidros de automóveis que os tornam escurecidos ou fumados, como popularmente são chamados.

As marcas e modelos de películas solares variam bastante e, no mercado, os condutores podem comprar o tipo que melhor atender às suas necessidades.

Há variações de cor, espessura e transparência, por exemplo, e você pode escolher se deseja ou não um modelo que tenha proteção contra os raios UV, como nos óculos solares, ou ainda uma película que seja antifurto, ou seja, que dificulte a quebra dos vidros.

Os modelos podem ir dos mais básicos até os mais avançados, apresentando vários graus de transparência.

Vale salientar que um vidro escuro não representa necessariamente proteção. Inclusive, você encontra películas transparentes que oferecem proteção contra os raios solares, garantindo, assim, a climatização interna do veículo.

Abaixo, vou apresentar os tipos de películas mais comuns que, com certeza, você encontrará com facilidade no comércio de sua cidade ou região:

  • Básica: Apesar de ser chamada de básica, esta é a película mais procurada pelos proprietários de veículos. Este tipo apresenta diferentes graus de transparência, podendo variar de 5 a 35% e não oferece nenhuma espécie de proteção contra a luz e o calor.

 

  • Avançada: A transparência deste tipo de película varia entre 5 e 50%. Além disso, ainda que seja bastante similar à básica, possui uma qualidade superior, protegendo o condutor dos raios solares e proporcionando uma climatização agradável no veículo.

 

  • Segurança: Este tipo de película protege o veículo de tentativas de roubo e, em casos de acidente, garante a segurança dos passageiros, pois é um material mais espesso e dificulta a quebra ou estilhaçamento dos vidros. A transparência deste tipo varia entre 5 e 35%.

 

  • Para-brisa: Ainda que tenha um preço consideravelmente superior às demais, este é o melhor tipo de película solar que você pode investir em seu veículo. A transparência pode atingir até 75% no para-brisa. A tecnologia desenvolvida na película para-brisa bloqueia com eficiência a ação dos raios UV e, consequentemente, auxilia no conforto térmico do veículo.

 

 

2.  É verdade que existe simulador de película solar?

A resposta para esta questão é assertiva.

Sim, há simuladores de películas solares que auxiliam você na hora de escolher a película que melhor atende às suas exigências sem, no entanto, deixar o seu veículo com uma aparência que lhe desagrade.

A seguir, eu separei dois simuladores, um da 3M e outro da Insulfilm – marcas famosas de películas solares –, para que você possa fazer o teste.

Você poderá visualizar desde as películas mais transparentes até as mais escuras, selecionando aquelas que oferecem o que você procura.

Acesse os links abaixo e comente o que achou.

https://www.3m.com.br/3M/pt_BR/pelicula-vidro-automotivo/

https://insulfilmnorio.com.br/insulfilm-simulador/

 

3.  Quanto tempo leva a aplicação e qual a durabilidade das películas solares?

A compra de películas solares automotivas pode ser realizada pela internet, há sites confiáveis que têm preços bastante acessíveis e que cabem em seu bolso.

Porém, sugiro que você não se atenha apenas ao valor. Pesquise a marca oferecida pelo site e veja se a película é de qualidade. Uma dica interessante é você conferir os comentários dos clientes no site.

A qualidade é um fator relevante e que deve ser levado em consideração na hora da compra, pois interfere tanto na aplicação do produto quanto na sua durabilidade.

Referente à aplicação, meu conselho é que você não tente fazê-la sozinho em casa, pois uma aplicação mal feita pode fazer com que a película fique com bolhas ou acabe descascando.

Dessa maneira, procure uma oficina qualificada e especializada em aplicação do produto, pois existem alguns procedimentos que devem ser realizados antes e depois da aplicação, como a limpeza do vidro com água e sabão, por exemplo.

Você sabia da necessidade desse procedimento?
Você sabia da necessidade desse procedimento?

Além disso, um profissional saberá orientá-lo quanto aos cuidados que você precisa ter com os vidros após a aplicação.

Por exemplo, você sabia que após a aplicação da película deve-se esperar 3 dias para voltar a utilizar o veículo e 5 para usar o desembaçador?

Não?!

Então, confie em um profissional e certifique-se da aplicação do produto em seu veículo.

E não é somente isso, uma boa aplicação garante também a durabilidade do produto, que deve ser de, no mínimo, 5 anos.

Tendo isso em vista, é importante que você confira a garantia da película que, geralmente, é de 10 a 15 anos.  Dentro desse prazo o produto não deve descolar nem desbotar.

Por essa razão, meu conselho é que você pesquise a marca antes de comprar, pois as películas costumam ser resistentes e podem durar por muitos anos.

A má aplicação pode danificar a película. Contrate um profissional para fazer o serviço.
A má aplicação pode danificar a película. Contrate um profissional para fazer o serviço.

 

4.  O uso de película pode gerar multa?

O uso de películas solares em veículos também é determinado pela legislação brasileira de trânsito. Portanto, você não pode utilizar qualquer tipo de transparência nos vidros do seu carro.

O CTB e o CONTRAN (Conselho Nacional de Trânsito), órgão que regulamenta as leis impostas pelo CTB, estabelecem os tipos de películas que são permitidos aos veículos que transitam em território nacional.

Dessa forma, é importante que você conheça o que diz a legislação para não sofrer as consequências previstas aos infratores.

Em primeiro lugar, quero mostrar a você o que está previsto no Art. 230 do CTB, veja:

“Art. 230. Conduzir o veículo:

XVI – com vidros total ou parcialmente cobertos por películas refletivas ou não, painéis decorativos ou pinturas;

 Infração – grave;

 Penalidade – multa

Medida administrativa – retenção do veículo para regularização”

É proibido, no Brasil, o uso de películas refletivas (ou não), bem como painéis ou pinturas que cobrem total ou parcialmente os vidros do veículo.

A lei prevê aos proprietários de veículos que infringem essa determinação uma multa de natureza grave, que corresponde ao valor de R$ 195,23, e a apreensão do veículo até que haja a regularização dos vidros do carro, conforme estipula o CTB.

Assim, se olharmos para o artigo acima, podemos constatar que o uso de películas solares, com forma igual aos vidros, é proibido, visto que cobrem toda a extensão do vidro.

Desse modo, é preciso conferir o Art. 111 do CTB, que trata especificamente dos vidros dos automóveis:

“Art. 111. É vedado, nas áreas envidraçadas do veículo:

     (…)

        II – o uso de cortinas, persianas fechadas ou similares nos veículos em movimento, salvo nos que possuam espelhos retrovisores em ambos os lados.

       III – aposição de inscrições, películas refletivas ou não, painéis decorativos ou pinturas, quando comprometer a segurança do veículo, na forma de regulamentação do CONTRAN.”  

 

O inciso III, que trata especificamente do uso de películas, como você pôde ver, estabelece que sejam obedecidas as regulamentações impostas pelo CONTRAN.

Esse órgão, por meio da Resolução nº 254, impõe, além dos quesitos para os vidros de segurança, critérios para a aplicação de inscrições, pictogramas e películas nas áreas envidraçadas dos veículos com base no Art. 111 do CTB, o qual acabamos de ler.

Confira o Art. 3º dessa Resolução:

 

“Art. 3º A transmissão luminosa não poderá ser inferior a 75% para os vidros incolores dos pára-brisas e 70% para os pára-brisas coloridos e demais vidros indispensáveis à dirigibilidade do veículo.

1º Ficam excluídos dos limites fixados no caput deste artigo os vidros que não interferem nas áreas envidraçadas indispensáveis à dirigibilidade do veículo. Para estes vidros, a transparência não poderá ser inferior a 28%.

2º Consideram-se áreas envidraçadas indispensáveis à dirigibilidade do veículo, conforme ilustrado no anexo desta resolução:

I – a área do pára-brisa, excluindo a faixa periférica de serigrafia destinada a dar acabamento ao vidro e à área ocupada pela banda degrade, caso existente, conforme estabelece a NBR 9491;

II – as áreas envidraçadas situadas nas laterais dianteiras do veículo, respeitando o campo de visão do condutor.”

 

As áreas envidraçadas indispensáveis à dirigibilidade do veículo correspondem ao para-brisa e às janelas laterais dianteiras do veículo. Nessas áreas a transmissão luminosa não pode ser inferior a 75%.

Quanto às demais áreas (partes traseiras do veículo), é permitida a aplicação de películas mais escuras, contanto que a transparência não seja inferior a 28%.

 

Caso tais exigências não sejam atendidas e os proprietários dos veículos utilizem produtos que não obedecem à legislação, a penalidade prevista no Art. 230 do CTB será aplicada.

Portanto, se você não deseja receber uma multa de natureza grave (no valor de R$ 195,23), 5 pontos na CNH (Carteira Nacional de Habilitação), conforme impõe o Art. 259 do CTB, e ter seu veículo retido até a regularização (medida administrativa), é importante que você respeite a Lei.

 

5.  Como recorrer de multas por películas solares?

O uso de películas solares não é proibido, desde que obedeçam ao grau de transparência determinado pela Resolução nº 254 do CONTRAN.

Caso as determinações não sejam acatadas, os proprietários dos veículos receberão como penalidade uma multa de natureza grave, como falei em resposta à questão anterior.

Contudo, todo condutor que recebe multa como penalidade é assegurado pelo direito à defesa, conforme a Constituição Federal no Art. 5º e o CTB.

Dessa maneira, se você não deseja que sejam registrados os 5 pontos em sua CNH ou que você tenha que despender do valor cobrado pela infração,  você pode optar por recorrer da multa.

Valer-se desse direito requer que você contrate um profissional especialista em direito de trânsito para defendê-lo ou que você conheça todos os passos a serem seguidos em uma defesa e faça o seu próprio requerimento.

Se você ainda não conhece o procedimento, vou explicá-lo rapidamente.

Um recurso de multa de trânsito compreende 3 etapas, a saber: defesa prévia, recurso à JARI (Junta Administrativa de Recursos de Infrações) e recurso ao CETRAN (Conselho Estadual de Trânsito).

A defesa prévia consiste na contestação da autuação que você recebeu. Você deve apontar os equívocos presentes na notificação, como erro na descrição do veículo, por exemplo.

Esta etapa não é obrigatória, você a realiza apenas se observar alguma irregularidade no documento. Cabe ressaltar que nesse momento a penalidade ainda não foi imposta.

Já a segunda etapa, o recurso à JARI, é um passo obrigatório se você deseja recorrer da autuação. Nessa etapa você deve reunir argumentos em sua defesa.

A Junta tem 30 dias – conforme Art. 285 do CTB – para julgar o seu processo. Caso ele seja indeferido, você deve enfrentar a 3ª etapa, o recurso ao CETRAN.

Fala-se recurso ao CETRAN, pois é o órgão que, geralmente, autua os condutores nas vias municipais. Mas, na verdade, deve-se recorrer ao órgão que o autuou, o qual pode também ser o CONTRADIFE (Conselho de Trânsito e Distrito Federal).

Portanto, você deve conferir na notificação qual o órgão responsável pela autuação para poder apresentar o seu recurso.

É importante que você elabore argumentos bastante sustentáveis para que as suas chances de deferimento aumentem.

Além disso, você deve estar sempre atento aos prazos de envio dos recursos à JARI e ao CETRAN, pois não são aceitos requerimentos fora do prazo estipulado pelo CTB.

Portanto, esteja sempre atento às datas e ao que diz na notificação de autuação que você recebeu.

 

Dicas Para Quem Vai Aplicar a Película Solar no Automóvel

Acompanhe as dicas que separei para você
Acompanhe as dicas que separei para você
  • Se você for comprar pela internet as películas solares para o seu veículo, pesquise a marca em promoção e o site que oferece o produto antes de comprá-las.

 

  • Procure um local de sua confiança e que seja especializado na aplicação do produto.

 

  • Exija do profissional que vender a você a película o certificado de garantia.

 

  • Escolha a película que atenda às suas necessidades e exigências, não vise apenas o valor.

 

  • Desconfie de estabelecimentos que oferecem preços muito abaixo do mercado, pois o produto pode não ser de boa qualidade.

 

  • Peça ao profissional que for aplicar a película em seu automóvel para que a verifique antes da instalação, a fim de certificar se tudo está como o combinado, como a marca, por exemplo.

 

  • Respeite o que estabelece o CTB quanto ao uso de películas solares automotivas e fique atento às resoluções do CONTRAN.

 

Conclusão

Providencie já a película solar para o seu veículo
Providencie já a película solar para o seu veículo

Os questionamentos sobre a aplicação de películas solares em veículos pelos meus clientes são sempre frequentes.

Muitos condutores desejam aplicar o produto em seus veículos, mas não sabem se a conduta é permitida pela legislação que rege o trânsito brasileiro.

No entanto, se você leu este artigo até aqui, você está ciente de que o uso das películas não somente é permitido, como também é essencial, tendo em vista a proteção que oferece aos passageiros do veículo.

Portanto, se você ainda não tem película solar nos vidros do seu carro, procure um profissional qualificado no assunto e faça logo a aplicação. A sua saúde irá agradecer.

Deixe abaixo o seu comentário sobre o texto ou, caso ainda tenha dúvidas, faça o seu questionamento. Será um prazer atendê-lo.

Foi multado? Não fique sem dirigir! Descubra agora como não perder a CNH: Clique aqui para ter uma CONSULTA GRATUITA com o Doutor Multas.