Fumaça Branca Saindo Do Escapamento

A lei de trânsito mudou e a sua CNH pode estar em risco! Você tem uma multa e quer evitar a perda da habilitação? Clique aqui e fale com o especialista!

Todos os condutores de automóveis sabem que quando algo anormal acontece em seu veículo, uma grande preocupação vem à tona. Nesse caso, irei aprofundar um tópico que acontece com muita frequência entre os motoristas e que causa sustos: a fumaça branca saindo do escapamento.

Se ao ligar seu automóvel, a presença de uma fumaça branca saindo do escape seja percebida, é bom que se fique alerta! Isso já que a cor da fumaça que sai do escapamento serve como um importante medidor de problemas internos mais graves.

Importante salientar que há um profissional indicado para a análise desse tipo de situação de forma rápida e eficaz: o mecânico. Portanto, nos casos em que a fumaça branca sair do escape e sua pretensão seja de solucionar o problema o mais rápido possível: vá a um mecânico!

Aqui nesse artigo, irei te indicar e explicar os diferentes tipos de fumaça, o que fazer em cada situação e suas causas!

Tipos preocupantes de fumaça

O escapamento é conhecido como um sistema de exaustão do carro e possui duas funções principais: filtrar a emissão dos gases e diminuir o barulho que é gerado pelo motor.

Em casos normais, os gases que saem do escape não devem possuir cor e nem cheiro. Devido a isso, quando a fumaça sair com algumas das colorações que citarei abaixo, é importante que se fique atento para resolver o problema.

Fumaça preta saindo do escapamento

A fumaça preta contendo, além da coloração, um cheiro bem forte, é um indicativo de que seu automóvel está consumindo mais combustível do que o que deveria. Ou seja, tal problema ocorre pelo mau funcionamento do motor, que não produz oxigênio suficiente para a queima do combustível.

Devido a isso, o carbono pulverizado que não entrou em combustão entra no escape e gera a fumaça preta!

Para resolver esse tipo de problema, é recomendada a análise de uma possível desregulação do carburador, de um bloqueio no filtro do ar ou até de uma injeção eletrônica.

Banner Consulta Grauita
Banner Consulta Grauita
Banner Consulta Grauita

Já se a fumaça for visível e estiver presente apenas na primeira partida, o problema pode ser localizado no afogador ou no sistema de admissão.

Fumaça azul saindo do escapamento

No caso da fumaça saindo do escape ser de uma coloração mais azulada, é fundamental que o condutor possua atenção redobrada e realize uma manutenção rápida.

Isso já que o motivo desse problema pode ser visto como a queima rápida de óleo lubrificante, o que produz um nível reduzido de lubrificação. Esse baixo nível de lubrificação pode fundir o motor.

A fumaça azul pode, então, aparecer devido ao excesso ou vazamento de óleo na câmara de combustão. Porém, nos casos de aparição desse tipo de fumaça, outras causas devem ser investigadas:

  • Desgaste dos anéis
  • Obstrução na ventilação do motor
  • Desgaste nos retentores de válvulas
  • Mau funcionamento das turbinas
  • Defeito na junta entre o bloco do motor e o cabeçote

O principal indício, portanto, para confirmar esse escape de fumaça azulada é o aumento de consumo de óleo!

Fumaça branca saindo do cano de descarga escapamento

Aprofundaremos agora na fumaça branca, nosso principal tópico desse artigo!

Ela é inofensiva quando vista em dias muito frios, devido ao vapor produzido pelo ar condensado. Já em dias que não possuem uma temperatura tão baixa, devemos olhar para esse acontecimento como uma situação de alerta.

Se a fumaça branca aparecer nos veículos, enquanto o motor estiver aquecido, a probabilidade de que seja líquido no radiador é alta! A água que percorre pela junta do cabeçote com defeito atinge a câmara de combustão e, então, gera a fumaça.

Esse defeito pode afetar de forma grave o funcionamento do motor, vista a possibilidade de contaminar as velas ou o ar combustível. É fácil a identificação deste problema: o nível do radiador cai muito rapidamente.

Foi multado? Você tem uma multa e quer evitar a perda da habilitação? Clique aqui e fale com o especialista!

Além disso, a saída dessa fumaça do escapamento pode indicar a queima de fluido de freio pelo motor, ocorrido por danos no cilindro mestre. Isso ocorre, já que o fluido que vaza do cilindro se direciona até o servo freio, sendo assim absorvido e queimado pelo motor.

Já no caso específico das motos, além das causas já ditas, o problema pode ser motivado por outras razões, como por exemplo:

– Filtro de ar lambuzado, em casos de queda de moto

– Motor jogando óleo no cilindro

– Deterioração dos anéis de segmento do pistão gastos. Isso faz com que o óleo que lubrifica o pistão seja queimado junto com a gasolina

– Sonda lambda com defeito faz com que a quantidade de oxigênio captada seja a errada, gerando assim uma combustão fraca

Além disso, o ato de abastecer em postos de qualidade duvidosa também podem produzir a fumaça branca. O combustível “batizado” afeta as válvulas do motor, devido a uma mistura escassa na combustão.

O que fazer para resolver ou amenizar esse problema?

O melhor modo de evitar esse tipo de acontecimento em seu veículo é realizando manutenções preventivas.

Segundo o Instituto da Qualidade Automotiva, as revisões custam 40% menos do que os serviços de consertos e reparos. Ou seja, o ditado popular “É melhor prevenir do que remediar” se aplica muito bem nesse caso.

Citaremos então aqui os pontos de atenção mais relevantes em uma revisão:

  • Freios: troque o fluido do freio pelo menos uma vez em 12 meses e revise o sistema de frenagem a cada 10.000 km rodados.
  • Sistema de resfriamento: faça a limpeza periódica do sistema de resfriamento – composto pelo reservatório de expansão e pelo radiador – a cada 30.000 km rodados.
  • Óleo: troque o óleo lubrificante e o filtro do óleo de seis em seis meses ou a cada 10.000 km rodados.
  • Filtro de combustível: troque o filtro de forma periódica, entre 10.000 a 15.000 km rodados.
  • Velas: substitua os itens de quando o automóvel tiver percorrido entre 15.000 a 100.000 km.
  • Pneus: realize o rodízio de pneus e faça o alinhamento e o balanceamento, a cada 10.000 km. Também deverá ser realizada a calibragem, aproximadamente de 15 em 15 dias.
  • Filtro de ar: troque o componente de forma anual, a fim de não comprometer o desempenho do motor.

Outros fatores importantes que devem constar na manutenção preventiva, para garantia de tranquilidade do condutor, economia e a prevenção contra acidentes são: iluminação interna e externa, fusíveis, baterias, correias externas do motor, sistema de suspensão e vazamentos em geral.

A lei de trânsito mudou e a sua CNH pode estar em risco! Você tem uma multa e quer evitar a perda da habilitação? Clique aqui e fale com o especialista!