Desobedecer a Ordem de Parada: Crime, Multa e Pontos na CNH

Conforme o artigo 195 do Código de Trânsito Brasileiro, é considerada uma infração grave com multa de R$ 195,23 não obedecer à uma ordem de uma autoridade ou agente de trânsito. Além disso são lançados 5 pontos na CNH do condutor.

Leia mais

Art. 195

Leia mais

Desobedecer às ordens emanadas da autoridade competente de trânsito ou de seus agentes:Infração - grave;Penalidade - multa.

Leia mais

Aprovado pela maioria de votos, recentemente ficou decidido pela Terceira Seção do Superior Tribunal de Justiça (STJ) que é considerado crime desobedecer a uma ordem dada por um policial militar em serviço.

Leia mais

Após o rito dos recursos repetitivos, a maioria dos ministros do STJ tomou a decisão que constitui uma conduta típica de penalização conforme previsto no artigo 330 do Código Penal Brasileiro ignorar a ordem de parada do veículo emitida de um policial militar no exercício da atividade, executando a prevenção e repressão de crimes, caracterizando um crime de desobediência.

Leia mais

https://www.youtube.com/watch?v=GRZC6FNZaa8

Leia mais

Como prevê o Código de Processo Civil, essa tese fixada pelo STJ será aplicada pelas demais instâncias da Justiça.

Leia mais

Penalidade para crime de desobediência

Ficou definida que a penalidade para esse tipo de crime é de detenção do indivíduo de quinze dias a seis meses, além de multa.

Leia mais

Direito à não autoincriminação não pode ser invocado

Antes se entendia que o indivíduo, no seu exercício de defesa, não era obrigado a se submeter a ordem legal vinda de um funcionário público, como no caso, a polícia militar. Ou seja, para não se autoincriminar alguém poderia recusar uma solicitação de parada numa fiscalização de trânsito por exemplo.

Leia mais

O ministro Antônio Saldanha Palheiro, relator do recurso, explicou que o direito à não autoincriminação, não é absoluto para a jurisprudência do tribunal, logo que estimula a impunidade, dificulta e até mesmo impede o exercício da atividade policial, impactando assim diretamente na segurança pública.

Leia mais

Fuga de abordagem policial para evitar prisão por outro crime

O caso que foi analisado no julgamento do repetitivo descrevia uma ocorrência, de um motorista que havia desobedecido à ordem de parada e tentou fugir, porque havia saído sem pagar após abastecer o carro num posto de combustível.

Leia mais

Então a defesa alegou que seria um crime subsidiário desobedecer à ordem de parada logo que o motorista teve essa atitude tentando evitar a prisão pelo outro crime antes cometido no posto.

Leia mais

Ficou destacado pelo ministro então que a garantia da não autoincriminação, não pode suprimir o crime de desobediência, pois há a necessidade de proteção ao bem jurídico tutelado, não sendo suficiente para afastar a penalização da nova norma penal, a possibilidade de prisão por outro delito anterior.

Leia mais

https://www.youtube.com/watch?v=ATuuNK1gJLY

Leia mais

Conclusão

Agora é considerado crime não parar o veículo quando um policial militar fizer a abordagem, mesmo que você esteja agindo em legítima defesa tentando se defender de outro crime cometido anteriormente à situação da blitz. A decisão do Supremo Tribunal Federal enfatiza a segurança pública e a execução do cumprimento da lei e da ordem pela polícia militar para justificar essa tomada de decisão.

Leia mais

O policiamento ostensivo visa prevenir crimes e, portanto, não pode ser impedido de realizar a defensoria pública, exercendo a atividade, desta forma, a garantia da não autoincriminação não pode ser uma interferência nesse processo.

Leia mais

Gostou deste story?

Aproveite para compartilhar clicando no botão acima!

Esta página foi gerada pelo plugin

Visite nosso site e veja todos os outros artigos disponíveis!

Doutor Multas